sexta-feira, 16 de agosto de 2019

Bolsonaro e Ustra - Por Jasson de Oliveira Andrade


 



Bolsonaro é um admirador do torturador Ustra. No impeachment de Dilma ele o homenageou. Agora Bolsonaro recebeu no Palácio a viúva dele!

No meu livro “Defensores da Ditadura Militar Estão na Contramão da História”, à página 15, consta o artigo “A atriz Bete Mendes e a tortura”. No texto a atriz revela que foi presa duas vezes: “Na primeira não fui torturada. Na segunda, foi total. Fui torturada (em 1970) e denunciei o coronel Carlos Alberto Ustra (sic). Isso me marcou profundamente. Não desejo isso para ninguém – nem para meus inimigos”.

Marcelo Godoy, jornalista do Estadão, escreveu um livro: “A Casa da Vovó – Uma biografia do DOI-Codi (1969-1991), o centro de sequestro, tortura (sic) e morte (sic) da ditadura militar”. São mais de quinhentas páginas, nas quais o jornalista descreveu as torturas e outras monstruosidades colocadas em prática no DOI-Codi. Sabe quem o comandava? Ustra! Marcelo Godoy, à página 155, revela: “Ustra ou Doutor Tibiriçá foi o arquiteto do DOI – foi declarado torturador (sic) pela Justiça”. Bolsonaro não pode desmentir o jornalista: Marcelo Godoy conseguiu uma entrevista com ele antes de sua morte. Vale a penar ler o livro!

O jornalista Rolf Kuntz, em artigo ao Estadão (11/8), sob o título “Novo elogio a torturador reforça sinais de alarme”, escreveu: “Essa figura [Bolsonaro] mais uma vez homenageou, o coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, condenado (sic) em 2008 depois de um processo por acusação de tortura. O presidente o chamou de “herói nacional”, antes de receber sua viúva no Palácio do Planalto. (...) Entre 1970 e 1974 Brilhante Ustra chefiou em São Paulo o DOI-Codi, um dos mais sinistros aparelhos de repressão da ditadura, conhecido pela barbárie (sic) de seus interrogadores e de seu líder. (...) O coronel {Ustra} foi reconhecido e apontado publicamente por várias vítimas, incluídos a deputada e artista Bete Mendes e o então vereador Gilberto Natalini, preso no DOI-Codi em 1972, aos 19 anos, quando estudante de Medicina”.

Bolsonaro esteve em Itapira para inaugurar uma nova unidade do Laboratório Cristália. Flavio Magalhães, na A COMARCA, relatou essa visita: “Bolsonaro marca presença em Inauguração em Itapira com discurso provocativo (sic)”. Entre outras coisas o presidente declarou: “Não estou sentindo cheiro de mortadela [adversários) aqui”. Sem comentário!

O deputado Alexandre Frota, ex-PSL, expulso do partido após ter feito críticas públicas ao governo Bolsonaro {agora se filiou ao PSDB], declarou: “Herói não é Ultra. É Ayrton Senna”. Também acho!

JASSON DE OLIVEIRA ANDRADE é jornalista em Mogi Guaçu
.
;



   

Nenhum comentário :

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Golpe