sexta-feira, 13 de abril de 2018

O ‘Quadrilhão do MDB”: Justiça torna réus Yunes e coronel Lima. Artigo de Jasson de Oliveira Andrade


O ESTADÃO (10/4) noticiou: “Justiça torna réus Yunes e coronel Lima – Decisão é do juiz da 12ª Vara Federal de Brasília; os dois são acusados de integrar organização criminosa no caso do “quadrilhão” do MDB”.

Na reportagem: “O juiz Marcus Vinicius Reis Bastos, da 12ª Vara Federal, em Brasília, aceitou a denúncia contra o advogado e ex-assessor especial (sic) do Palácio do Planalto José Yunes, o coronel João Baptista Lima Filho e integrantes do grupo político do presidente Michel Temer, o MDB da Câmara. Com a decisão, além de Yunes e Lima Filho, outras sete pessoas vão responder a ação penal por organização criminosa, entre elas os ex-deputados emedebistas Eduardo Cunha (RJ), Henrique Eduardo Alves (RN), Geddel Vieira Lima (BA) e o ex-assessor Rodrigo Rocha Loures (PR). O caso é um desdobramento do inquérito que ficou conhecido como “quadrilhão” do MDB”. No mesmo jornal, do dia 11 de abril, outra notícia, com esse título “Denúncia diz que amigos operavam propina para Temer – Acusação na ação que apura “Quadrilhão’ do MDB afirma que Yunes e coronel Lima auxiliavam na arrecadação de recursos para o presidente”. Na reportagem: “O Ministério Público Federal afirmou, EM ADITAMENTO DE DENÚNCIA, que o advogado e ex-assessor do Palácio do Planalto, José Yunes e o coronel da reserva da Polícia Militar João Baptista de Lima Filho, o coronel Lima, auxiliavam integrantes do MDB na arrecadação de PROPINA, EM ESPECIAL PARA O PRESIDENTE MICHEL TEMER. (...) Conforme a acusação formal, Yunes e o coronel Lima tinham o papel de auxiliar integrantes do núcleo político classificado como “quadrilhão” do MDB na Câmara na arrecadação de recursos”.

Tanto Yunes como o coronel Lima estão encrencados em outro processo. Veja o meu artigo “Porto de Santos: prisões complicam Temer”.

Manchete de primeira página da FOLHA (12/4): “Obra para filha de Temer foi paga por mulher de coronel [Lima]”.

A COLUNA DO ESTADÃO de 3 de abril trouxe essa espantosa e incrível notícia: “O criminalista Cristiano Benzota diz desconhecer a pressão ao seu cliente [Coronel Lima]. Ele passou o dia ontem [2/4] explicando por que o coronel foi de CADEIRA DE RODAS para a prisão e SAIU ANDANDO SEM DIFICULDADES AO SER SOLTO”. Sem comentário!

JASSON DE OLIVEIRA ANDRADE é jornalista em Mogi Guaçu

.

Nenhum comentário :

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Golpe