sábado, 18 de novembro de 2017

Tucanos se bicam: “Fora, Aécio”. Artigo de Jasson de Oliveira Andrade


Os tucanos se bicam. Motivo: sair ou não sair do governo Temer. Incrível, mas é verdade! O inimigo do tucano é também tucano: Aécio X Tasso Jereissati. Parece mentira. No entanto, é verdade...

A FOLHA (12/11), no Editorial, sob o título “Ruína tucana”, portanto opinião do jornal, comenta esse dilema: “Depois de ensaiar algumas vezes sua ruptura com o governo Michel Temer (PMDB), sem chegar a conclusão nenhuma, o PSDB se encontra agora na situação irônica de ver considerada como oportuna, pelo próprio Planalto, a dispensa dos seus serviços ministeriais. (...) É o que indicam, ao menos, as noticiais de bastidores de Brasília. Segundo reportagem desta FOLHA, o presidente já não se empenha tanto em manter os tucanos na administração federal, em nome da paz em sua coalização. (...) Antes de qualquer decisão presidencial, no entanto, o PSDB tratou de aprofundar sua crise na quinta-feira (9/11), quando o senador Aécio Neves, DA ALA PRÓ-TEMER, destituiu seu colega e oponente Tasso Jereissati (CE) da presidência interina da legenda. (...) Já é espantoso que o político mineiro, FLAGRADO EM CONDUTA INDEFENSÁVEL, não tenha se retirado de cena por iniciativa própria ou de seus correligionários. Que ainda preserve tamanha influência dá ideia de quanto os tucanos podem tolerar desmandos gritantes (...) Alegando ter solicitado nada mais que empréstimos pessoais [recebidos por malas!] e ter proposto nada além da venda de um apartamento a Joesley Batista, da JBS, Aécio Neves prossegue incólume no cargo, no partido e NAS SUAS FRÁGEIS EXPLICAÇÕES.” O jornal termina assim o seu Editorial: “Dividido entre suas figuras luminares e seus nomes turvos, entre mensaleiros e donzelões, o PSDB periga naufragar – e, humilhação suprema, NEM MESMO TEMER FAZ MAIS QUESTÃO DE SUA COMPANHIA.”. Sem comentário!

Bernardo Mello Franco constatou: “Depois de perder quatro eleições presidenciais, os tucanos pareciam ter caminho aberto para voltar ao poder em 2018. Em vez de aproveitar o vento a favor, o partido se enroscou na impopularidade de Temer e NOS ROLOS DE AÉCIO COM A POLÍCIA. Perdeu espaço para Jair Bolsonaro e outros aspirantes ao papel de Anti-Lula”. O ex-deputado Arnaldo Madeira (PSDB-SP), fundador do partido, foi contundente em seu comentário: “O PSDB como instrumento de modernização acabou. Estamos no velório e em breve será o sepultamento. Pede-se evitar o envio de flores”.

O ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes (PSDB-SP), também comenta a briga do PSDB: “A chance de vitória do PSDB, em 2018, é ser o fator de agregação do centro político. Estamos jogando tudo isso pela janela. Se não percebemos isso, a disputa vai ficar entre Lula e Bolsonaro, E O LULA SERÁ ELEITO TRIUNFALMENTE”.

O Estadão (14/11) publicou com destaque na primeira página: “PSDB deixa Cidades e Temer antecipa reforma ministerial – Bruno Araújo pede demissão e é o primeiro tucano a deixar o governo em meio à grave crise que atinge o partido”. Eliane Cantanhêde comenta no mesmo jornal: “A demissão de Bruno Araújo abre a porta de saída do PSDB do governo, implode o centro e deixa Michel Temer a mercê do Centrão”.

Um fato merece destaque. O Estadão noticiou: “Em convenção paulista [PSDB de São Paulo], tucanos gritam “Fora, Aécio”. Deve-se lembrar que Aécio em 2014 obteve uma votação consagradora em São Paulo. Venceu aqui e perdeu em Minas Gerais, seu Estado. Eliane Cantanhêde, em artigo no Estadão, relembra: “O Brasil inteiro considerava Aécio imbatível em Minas, que governou duas vezes, mas ele perdeu o primeiro e o segundo turno para Dilma Rousseff no Estado e seus candidatos para o governo e depois para a prefeitura de Belo Horizonte. Sua liderança política parece esfarelar. Ou não era tanta quanto se imaginava”. E sua vitória estrondosa no Estado de São Paulo também está sendo contestada com o “Fora, Aécio” dos tucanos paulistas! Será o seu fim político? Na Convenção do PSDB mineiro, ele declarou que será candidato, sim, em 2018: para o Senado (reeleição) ou para o governo do Estado. A CONFERIR!

QUADRILHÃO DO PMDB ROUBA O RIO – O PMDB do Rio de Janeiro formou um “quadrilhão”, que está roubando o Estado. Fazem parte do “quadrilhâo”, o ex-governador Sérgio Cabral, o ex-deputado Cunha e agora Picciani, presidente da Assembléia Legislativa e mais dois parlamentares, todos do PMDB. Esta história escabrosa ficará para outro artigo.

JASSON DE OLIVEIRA ANDRADE é jornalista em Mogi Guaçu

.

Nenhum comentário :

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Golpe