segunda-feira, 4 de setembro de 2017

Joesley chamou Temer de “ladrão”. Por Jasson de Oliveira Andrade

O político que está em baixa ou correndo perigo de ser condenado por corrupção deve ficar calado para não ser visado. Temer não bancou o bom político. Atacou Joesley e recebeu o troco. Bernardo Mello Franco, em artigo à FOLHA, sob o título “Processo vergonhoso”, escreveu: “O governo entrou em setembro à beira de um ataque de nervos. Na noite de sexta [1/9], a Presidência emitiu uma nota AGRESSIVA (destaque meu), com ataque aos delatores Lúcio Funaro e Joesley Batista. No revide, o dono da JBS chamou Michel Temer de “LADRÃO GERAL DE REPÚBLICA (destaque meu)”. Adiante o jornalista comenta: “Na versão do palácio, Funaro prestou depoimento falso para servir a quem tenta derrubar Temer. O problema é que “essa pessoa” não foi inventada pelo Ministério Público ou pela oposição. Quem pôs Funaro na roda foi o advogado José Yunes, primeiro amigo do presidente. (...) Em março, Yunes contou ter recebido um “pacote” das mãos do doleiro, a pedido do ministro Eliseu Padilha. O advogado disse que não abriu a correspondência, mas afirmou ter sido usado como “mula involuntária” (sic) do chefe da Casa Civil. (...) Doleiros não entregam flores, entregam dinheiro vivo. Segundo o depoimento de Cláudio Melo Filho, o “pacote” continha R$ 1 milhão e fazia parte de um acerto da Odebrecht com o grupo Temer. À exceção de Yunes, os outros personagens da história continuam no Planalto. (...) A nova denúncia dará inicio a outra rodada de negociações (sic) para salvar Temer. Em meio aos ataques a Funaro e Joesley, a nota do Planalto disse que está em curso um “processo vergonhoso”. Deste ponto, parece impossível discordar”.

Eis a íntegra da nota de Joesley em resposta àquela publicada pelo Palácio do Planalto, que o atacou: “A colaboração premiada é por lei um direito que o senhor presidente da República tem por dever respeitar. Atacar os colaboradores mostra no mínimo incapacidade do senhor Michel Temer de oferecer defesa dos crimes que comete. Michel, que se torna ladrão geral da República, ENVERGONHA TODOS NÓS BRASILEIROS (destaque meu)”.

CHINA COMUNISTA VAI SALVAR O BRASIL? Em sua visita à China Comunista, Temer mirou a privatização de nossas empresas. Quer entrega-las aos comunistas. Se o presidente mirou a China, a privatização de Fernando Henrique Cardoso as entregou às empresas norte-americanas a preço de banana ou, como disse Aloysio Biondi (falecido em 21/7/2000) “um negócio da China”. O subtítulo do livro é; “Um balanço do desmonte do Estado – Como uma associação de interesses inconfessáveis (sic) desfechou o maior assalto da história nacional”. No início do livro, Biondi escreve: “O GOVERNO VENDE BARATÍSSIMO. OU PODE DOAR – Aproveite a política de privatização do governo brasileiro [FHC]. Confira nas páginas seguintes os grandes negócios que foram feitos com as privatizações – “negócios da China”, para os “compradores”, mas péssimos para o Brasil”. O jornalista Palmério Dória, no livro “O Príncipe da Privataria”, também abordou essa política entreguista de FHC. A diferença é que agora essa entrega de Temer vai beneficiar a China Comunista. Este agora é um verdadeiro negócio da China! Sem trocadilho ...

ECONOMIA – A economia está tão ruim, tão ruim, que quando ele sobe somente 0,2 %, resultado pífio, o governo e a mídia fazem OBA,OBA. Parece que o Brasil está nadando em dinheiro!

JASSON DE OLIVEIRA ANDRADE é jornalista em Mogi Guaçu

.

.

Nenhum comentário :

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Golpe