sábado, 22 de julho de 2017

Aumento de impostos: povo paga o pato. Artigo de Jasson de Oliveira Andrade

O governo aumentou os impostos sobre a gasolina. Como diz a CartaCapital, na capa: TEMER CUSTA CARO – Para manter-se no Poder, ele apela à fisiologia [bilhões para verbas e cargos]”. No editorial “Remendo (sic) tributário”, a FOLHA criticou o aumento. Já o governista Estadão silenciou. No entanto, seus leitores criticaram. Entre as críticas destaco essa: “Quer dizer que o presidente “compra” parlamentares na CCJ e nós pagamos a conta na bomba de gasolina?” -- Moisés Goldstein, São Paulo”.

A FIESP publicou nos jornais matéria paga (uma página!), com essa crítica: “O QUE É ISSO, MINISTRO? MAIS IMPOSTOS?”. No texto afirma: “Nesta semana, ficamos indignados com o anúncio da alta de impostos sobre os combustíveis. (...) Aumento de imposto recai sobre a sociedade, que já está sufocada, com 14 milhões de desempregados, falta de crédito e sem condições gerais de consumo. (...) Somos contra o aumento de impostos porque acreditamos que isso é prejudicial para o conjunto da sociedade. (...) CHEGA DE PAGAR O PATO. DIGA NÃO AO AUMENTO DE IMPOSTOS!”

Eliane Cantanhêde, em artigo no Estadão, comenta: “Nós, os leigos, que não presidimos nenhum partido e nem sequer temos mandato parlamentar, não estamos entendendo nada. (...) Michel Temer aumenta impostos enquanto ABRE OS COFRES PARA A BASE ALIADA? (destaque meu)”. Adiante ela analisa: “O risco de Temer é o azedume contra o Planalto piorar ainda mais. Aumento de imposto é um prato feito para a oposição, irrita a população e os setores produtivos. AINDA MAIS SE O GOVERNO ABRE AS BURRAS PARA GARANTIR VOTOS DA CÂMARA CONTRA A DENÚNCIA DO PROCURADOR RODRIGO JANOT E EMPURRA A CONTA DA CRISE FISCAL PARA A MAIORIA DA SOCIEDADE (destaque meu)”.

Bernardo Mello Franco escreveu: “O aumento do imposto do combustível mostra que existe um abismo entre a propaganda do governo e a situação real (sic) da economia. DIANTE DOS MICROFONES, O PRESIDENTE MICHEL TEMER DIZ QUE O PAÍS VOLTOU AOS TRILHOS (destaque meu). No silêncio dos gabinetes, a equipe econômica [Meirelles] admite que as contas estão longe de fechar. (...) No ritmo atual, seria impossível cumprir a meta de R$ 139 bilhões de déficit. O governo asfixIou a máquina e parou até a emissão de passaporte, mas a arrecadação continua muito abaixo do esperado. Para tapar o rombo, vai apelar ao remendo de sempre: tungar o contribuinte”.

O economista Celso Ming, no artigo “Você pagará mais impostos”, explica: “Essa nova expropriação (sic) de recursos do consumidor não vem, como inadvertidos poderiam entender, para zerar rombo. Vem apenas com o objetivo de melhorar a possibilidade de manter o déficit deste ano nos R$ 139 bilhões, como ficou estabelecido na PEC do Teto dos Gastos, O QUE AINDA NÃO ESTÁ GARANTIDO (destaque meu)”. Adiante o economista faz essa revelação: “O governo está desdenhando o impacto sobre a inflação, que é outra consequência. Está dizendo que o momento é de baixa forte da inflação e que um adicional sobre os preços dos combustíveis não vai matar ninguém. Não é bem assim, aumento de imposto sobre os combustíveis é inflação em fim de ciclo já na chocadeira”. Será que esse aumento vai mesmo aumentar a inflação? A CONFERIR!

Um fato merece meu comentário. Meirelles é considerado um ótimo economista. Lula até o recomendou à Dilma, mas ela não o nomeou. Temer escolheu Meirelles como o SALVADOR DA PÁTRIA. No entanto, ao que parece, para a nossa decepção, ele fracassou. Pelo visto, Lula e Temer estão errados e Dilma certa: ele não conseguiu colocar o País nos trilhos!

“A população brasileira irá compreender”, afirma Temer sobre o aumento da gasolina. SEM COMENTÁRIO!

JASSON DE OLIVEIRA ANDRADE é jornalista em Mogi Guaçu

.

Nenhum comentário :

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Golpe