quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

ELE ESTÁ COMPLETAMENTE DESCONTROLADO "Minority Report" passa a valer no Brasil de Moro


A nova denúncia que o juiz Moro aceitou contra Lula consiste no seguinte: a Odebrecht comprou um terreno para nele construir a sede do Instituto Lula.
É bem verdade que o terreno não foi comprado pela Odebrecht, mas por outra empresa. E nele não está sendo construída a sede do Instituto Lula, mas uma revenda de automóveis.
Para o juiz Moro, nada disso tem importância. Teria havido uma intenção de propina, mesmo que não concretizada, pois o terreno poderia ter sido mesmo comprado para que a sede do instituto nele fosse construída. Foi dito que alguém, em algum momento, pensou nisso - e esse pensar já basta para a denúncia.
Não sou jurista, mas como leigo creio que mesmo que se possa provar tal intenção, o que está longe de ser o caso, intenção não é crime.
E há uma coisa que está fora de dúvida. Contra Lula, o juiz do Paraná até agora não conseguiu mais do que denúncias de propinas imaginadas ou abortadas: o apartamento que ia ser mas não foi, o terreno idem, assim por diante. Mesmo assim, ele segue numa perseguição sem tréguas. Contra seus amigos do PSDB, há fartura de evidências de corrupção efetiva: dinheiro passando de mão para mão, depósitos, cheques. Mas, diante deles, o justiceiro implacável se transmuta no inofensivo e sorridente conviva de jantares. LUIS FELIPE MIGUEL

( *** )

Ou eu não sei ler, ou a delação afirma que a odebrecht quis puxar o saco do Lula e comprou um terreno SEM ELE NEM SEQUER TER SIDO AVISADO DISSO.

aí o Lula e a Marisa foram convidados pra ir ao local, acharam uma bosta e melaram o jabá.

é exatamente isso que está escrito na reportagem da folha.

inacreditável. CLAUDIO DE SOUZA 

( *** )

LAVA JATO SUPERA KAFKA E MINORITY REPORT: ACUSA LULA POR NÃO RECEBER TERRENO

A Lava Jato abriu um processo contra Lula por ele não ter recebido um terreno, que segundo a operação, seria destinado ao Instituto Lula. A Lava Jato reconhece, porque é impossível não reconhecer, que o terreno não é nem nunca foi do Instituto Lula ou de Lula. É o grau de loucura que a Lava Jato chegou na sua perseguição contra o ex-presidente. Ao invés de investigar e apresentar denúncias sobre delitos reais, e após fechar acordos que tiraram da cadeia pessoas que receberam dezenas de milhões em desvios da Petrobras, persegue delitos que só existem na imaginação de Power Point de alguns promotores, e ficam atribuindo imóveis que não são de Lula para o ex-presidente. E o juiz Sérgio Moro aceita uma denúncia absurda dessas em poucos dias, porque o importante é gerar manchete de jornal e impedir Lula de ser candidato em 2018. Abaixo, nota enviada para a Folha de S. Paulo:

"Não comentamos supostas delações. Delações não são prova, quanto mais supostas delações. O ex-presidente não solicitou nenhuma vantagem indevida e sempre agiu dentro da lei. O terreno nunca foi do Instituto Lula e tampouco foi colocado à sua disposição. O imóvel pertence a empresa particular que lá constrói uma revenda de automóveis. Tem dono e uso conhecido. Ou seja, a Lava Jato acusa como se fosse vantagem particular de Lula um terreno que ele nunca recebeu, nem o Instituto — que não é propriedade de Lula, nem pode ser tratado como tal, porque o Instituto Lula tem uma personalidade jurídica própria. Todas as doações feitas ao Instituto Lula estão devidamente registradas e foram feitas dentro da lei." LULA


.




Nenhum comentário :

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Golpe