Monitor5_728x90

quinta-feira, 10 de novembro de 2016

O MBL ( Movimento Black Lacostes ) pode dedurar professores, mas eu não poderia postar fotos e imagens de motoristas meliantes de Sampa!!!


Estava procurando um blog que eu lia, há muito tempo, mas não encontrei. Era de Minas Gerais, se lembro bem. De lá tirei inúmeras fotos que ilustram posts nesse blog, pois o cara era igual a mim: ele se revoltava de ver carro estacionado em calçadas, etc.

E, se minha pobre memória não está falhando, lembro que ele era obrigado a apagar ou esconder as placas dos carros. Assim, se ele fotografasse o carro de um vagabundo sobre a calçada, e não fosse assassinado enquanto estava tirando a foto, quando fosse publicar a foto no blog ele tinha que dar uma escondida na placa do meliante. Tipo aquelas bolinhas que a censura colocou em filmes como Laranja Mecânica. Acho que tem algo a ver com privacidade. E lembro dele falar sobre isso. Só que infelizmente não encontro o blog. E, apelando mais uma vez à minha pobre memória, se não me engano, ele falou de pressões que sofria. Também pudera. Se tem alguém pior que um bandido, esse alguém é o autoproclamado "cidadão de bem". Assim, se você tirar a foto de um cidadão de bem estacionando seu carro numa calçada, reze para não levar um tiro, pois o "cidadão de bem" é perigosíssimo. Se ele descobrir que você está mostrando o hipócrita criminoso que ele é, bem... você corre o risco de comer capim pela raiz. 

Aliás, foi justamente por causa dessas remotas memorias que eu tentei localizar o citado blog. Eu queria ver de novo sobre os impedimentos para publicar fotos de carros de terceiros em posições comprometedoras.

Por quê isso?

Bem, é que eu não tenho celular, por medo da violência.

Aí você pergunta: mas o que tem a ver celular com violência, se estamos falando de carro estacionado ilegalmente?

Bem, é que eu só me interessaria pelo celular, contanto que este tivesse recursos que me permitissem filmar ou fotografar vagabundos marginais cometendo crimes no trânsito. E, como expus acima, eu estaria correndo sério risco de tomar um tiro na cara, dado por um "cidadão de bem, pagador de impostos, trabalhador de família", quando eu fosse fotografá-lo estacionando seu carro numa calçada. Ou vocês acham que "violência" é só quando um cara rouba uma bolsa ou uma moto?

Por outro lado, como escrevi, o cara era pressionado ou até obrigado por lei, a não permitir que a foto identificasse o veículo. Pra isso, ele tinha que apagar ou borrar a placa.


DEDURISMO NA SALA DE AULA

Agora tá rolando uma conversa de que os estelionatários do MBL - que pra uns não passam de fascistas, enquanto pra mim não são mais do que golpistas e, repito, estelionatários - estão pagando a alunos para que filmem ou registrem professores "doutrinando" os educandos.

Eu não sei se existe alguma lei permitindo isso, ou se existe proibição, embora saiba que, mesmo que a lei proiba, o MBL não ligará pra isso. 

Também ignoro o que pretenderão fazer de posse das "provas" da "doutrinação". Tempos atrás, um jornalista escreveu pra direção da escola particular do seu filho, questionando o uso da Veja e do Jornal Nacional como fontes de informação para trabalhos escolares. Duvido que o MBL se preocuparia com esse tipo de doutrinação. Pois são canalhas, hipócritas e estelionatários.

Só que o assunto aqui é outro: não poder tornar pública uma foto de um marginal ocupando criminosamente uma calçada, tipo, a mãe de classe-média estacionando seu carro na calçada para esperar seu filho na porta do colégio ( como vejo quase diariamente, em frente a uma escolinha infantil particular, na rua Pinheiro Guimarães, no bairro paulistano da Vila Prudente ===> ). 

E o MBL, o que poderá fazer com as imagens de professores "doutrinando" os alunos? Postará em seu site? Tornará pública a imagem do "doutrinador"? Fará ele perder o emprego?

Olha o absurdo: imagens de câmeras podem ser usadas na investigação de um crime, mas imagens de celular ou câmera, pegando vermes vagabundos estacionando em calçadas não podem ser usadas para lavrar-lhes uma multa MERECIDA e nem ser publicadas num blog. Vejam bem, eu não estou falando em apenas fotografar um carro na calçada. Eu estou falando em tornar pública, de certa maneira, a imagem do meliante, por meio da possível identificação por sua placa. Para citar um exemplo: hoje eu flagrei a motorista de um veículo Volkswagen branco, placas EXZ 9604, falando ao celular enquanto manobrava para entrar num estabelecimento comercial, mais precisamente um mercadinho onde se vende produtos kosher, na rua Peixoto Gomide, mais ou menos no número 1720. Se eu a fotografasse ou filmasse e postasse no Facebook, era capaz de eu acabar sendo processado se fosse descoberto, mas pra marginal que guiava e falava ao celular ia ficar tudo bem. Como, de fato, ficou mesmo. Talvez eu ainda entre numa fria por ter escrito aqui a placa do carro dela e o tipo de veículo. Paciência.

Se eu fizer um blog só com fotos dos típicos e milhões de meliantes motoristas de São Paulo estacionando na calçada ou falando ao celular ( aliás, 70% dos motoristas que circulam pelo bairro dos Jardins fazem isso e nunca são autuados ou punidos como deveriam ) a lei dará razão a ELES, ou seja AOS MELIANTES!

O Brasil realmente se tornou um país onde canalhas e bandidos ditam as normas e impõem as leis, enquanto canalhas e bandidos "especiais" e "diferenciados" burlam as leis que não lhes interessa, inventam uma lenda urbana chamada "Indústria da Multa", reclamam pra caralho enquanto não fazem outra coisa atrás do volante a não ser cometer crimes e delitos o tempo todo. E ainda são tratados como "cidadãos de bem"!

Tem gente que poderá se ultrajar, alegando que uso termos fortes ou ofensivos, xingamentos e agressões. Mas, provavelmente, são exatamente as pessoas que cometem os crimes apontados neste texto, ou simplesmente gente que não vê problema nos crimes de trânsito. Afinal, cada um comete os crimes que estão a seu alcance. Uns desviam verba de merenda, outros estacionam na calçada. Cada um no seu quadrado.


...


Nenhum comentário :

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Golpe