Monitor5_728x90

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

A prisão de Palocci e a fala inacreditável do ministro da Justiça, por Jasson de Oliveira Andrade



A prisão de Palocci, em 26 de setembro, seria mais uma ação da Lava Jato se não fosse um pronunciamento do ministro da Justiça, Alexandre de Moraes. Antes de comentar a fala dele, uma explicação. Com o impeachment de Dilma, o PSDB foi agraciado pelo governo Temer com três Ministérios. Um dos nomeados foi Alexandre Morais, que era secretário de Alckmin.


A fala de Morais foi assim relatada por Kennedy Alencar: “O ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, anunciou ontem [25/9] em evento em Ribeirão Preto (SP), onde participava da campanha eleitoral de um tucano (sic), que haveria nova fase da Lava Jato nesta semana. Depois, em nota, o Ministério da Justiça divulgou que não se tratou de informação privilegiada, mas de “força de expressão”, já que estariam ocorrendo novas fases todas as semanas. (...) No melhor cenário para o ministro da Justiça, ele elevou o boquirrotismo dos ministros do governo Temer ao seu mais alto grau de irresponsabilidade (sic). Se for verdade que não tinha informação privilegiada, falou o que não devia e o que não podia por ser ministro da Justiça e chefe administrativo da Polícia Federal. (...) FAZER ISSO EM PLENA CAMPANHA ELEITORAL É FALTA GRAVE PARA UM MINISTRO DE ESTADO, PORQUE PERMITIRÁ A SUSPEITA DE USO DA POLÍCIA FEDERAL COMO POLÍCIA POLÍTICA E NÃO UMA FORÇA JUDICIÁRIA OU DE ESTADO (destaque meu). No pior cenário para o ministro da Justiça, ele tinha uma informação privilegiada sobre um adversário político. Usou num dia de campanha para um colega do PSDB (sic), Duarte Nogueira, candidato a prefeito de Ribeirão Preto, terra onde Palocci fez carreira política (sic). E depois deu uma desculpa esfarrapada. (...) ASSIM, ELE DEIXA MAL O PRESIDENTE MICHEL TEMER, QUE TEM DE ADMINISTRAR MAIS UMA TRAPALHADA, NUM CENÁRIO, OU UMA INFRAÇÃO DA LEI, NOUTRO CENÁRIO (destaque meu). Foi grave a atitude do ministro da Justiça. Não vai acontecer nada? O governo vai sustentar que foram coincidência e força de expressão? Difícil. (...) Nos dois cenários, o melhor e o pior para Moraes, ele presta um desserviço à Lava Jato e mostra despreparo para o cargo (sic). É importante reiterar: O PROBLEMA DE TEMER NÃO É A COMUNICAÇÃO. O PROBLEMA SÃO OS MINISTROS (destaque meu)”.

O Estadão, que apoia Temer, em Editorial, sob o título “Um ministro insustentável”, pede a demissão do ministro: “O ministro da Justiça e Cidadania, Alexandre de Moraes, não tem mais condições de permanecer no cargo, se é que algum dia as teve. Seu despreparo para tão importante função já estava claro havia algum tempo, mas o episódio em que ele antecipou a realização de operações da Polícia Federal (PF) no âmbito da Lava Jato, justamente na véspera da prisão do ex-ministro petista Antonio Palocci, teria de servir de gota d´água para sua dispensa, em razão de tão gritante imprudência”.

Eduardo Guimarães, no Blog da Cidadania, afirma: “Lava Jato se desmoralizou por só investigar e prender petistas”. A afirmação poderá ser considerada facciosa, exagerada. No entanto, essa fala do ministro da Justiça, lamentavelmente, a confirma!

Valdo Cruz, da Folha, noticiou: “Após prisão de Palocci: Temer cobrará explicação de ministro da Justiça”, informando ainda: “O episódio envolvendo Alexandre de Moraes é mais um de uma coleção de declarações consideradas “desastradas” pela equipe de Michel Temer, que tem gerado desgaste precoce no governo do peemedebista”.

Perguntar não ofende: o ministro Alexandre de Moraes será exonerado? Duvido: Temer não vai contrariar os tucanos! Outra pergunta: por que a prisão de Palocci na semana das eleições municipais? Não poderia ter sido antes ou depois? No mínimo muito estranho!

JASSON DE OLIVEIRA ANDRADE é jornalista em Mogi Guaçu


...


Nenhum comentário :

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Golpe