Monitor5_728x90

terça-feira, 2 de agosto de 2016

A diferença entre a agressão a Sabatella e o escracho em Janaína. Por Paulo Nogueira

Leonardo Boff postou no Twitter uma mensagem de solidariedade a Letícia Sabatella.

Internautas de direita invadiram o twitter de Boff com uma comparação falaciosa.

Criticaram Boff por defender Sabatella e nada ter dito sobre o escracho de Janaína Paschoal.

Grupos de direita usaram este mesmo argumento nas redes sociais.

É uma estupidez.

São coisas incomparáveis. Janaína ouviu gritos de golpista. Foi uma manifestação política. Ninguém ameaçou bater nela.

Isto é uma coisa.

Outra coisa foi a investida contra Letícia. Ela foi chamada de puta e de vagabunda. Foi ameaçada fisicamente. Uma aloprada gritava insultos para ela enquanto cantava que a bandeira brasileira jamais seria vermelha.

Insinuações torpes que a depreciavam eram feitas a todo momento. “A moleza acabou”, por exemplo. Que moleza? Sabatella estava sendo chamada aí de ladra. De alguém que roubou o dinheiro público na era PT.

Num vídeo, aparece um policial protegendo Letícia. Sua integridade estava claramente em risco, dado o ódio da turba. O policial não parecia muito amigável. Queria que Letícia fosse embora, numa clara afronta ao direito de ir e vir.

Janaína não enfrentou sombra disso. O que não impediu o trapalhão Alexandre Frota de ameaçar recrutar um grupo de brutamontes como ele para proteger Janaína.

Repito.

Golpista é uma coisa. Puta e vagabunda é outra.

As agressões da direita têm uma selvageria única, um grau de ódio inexcedível.

Comparar as duas coisas é mais uma ofensa da direita, agora à verdade.


...

NOTA DESTE BLOG: A canalhice e a desonestidade apresentados por essa gentalha foi sendo demonstrada incansavelmente ao longo de anos, e surpreende que ninguém tenha dado atenção a um fato, até porque é meio dificil explicar. Mas vou tentar.
Se fosse feito um levantamento de todas as vezes em que "petistas" ( tem que colocar entre aspas, porque outra das canalhices e desonestidades cometidos pelos coxinhas ao longo dos anos foi tachar as pessoas de "petistas", como forma de : 1 - constrangimento - serve a famosos e anônimos - e silenciamento: quem não queria parecer "petista" foi se calando, e esse progressivo silêncio das pessoas serviu para encorpar e fazer sobressair o discurso criminoso e hipócrita dos coxinhas; 2 - justificar as próprias agressões, já que "petista" é do mal, logo, quem o ataca só pode ser "do bem" ) foram atacados e comparar com a quantidade de vezes em que coxinhas e golpistas o foram, é evidente que os "petistas" é que foram atacados na esmagadora maioria dos casos. Não existe sequer uma igualdade matemática. O que decorre daí? Simples: Canalhas como são, fazem barulho em casos como esse como se existisse uma igualdade de situações. Explicando melhor, pois o modus operandi dos criminosos é manjado: se daqui uma semana acontecesse algo parecido com outra atriz contra o golpe, os mesmos coxinhas canalhas mais uma vez lembrariam da golpista Janaína. Ou seja, dois casos de agressões contra "petistas" e apenas um dos golpistas, e nem são o mesmo tipo de abordagem, como visto no texto de Paulo Nogueira.
Então, voltando ao "levantamento": se fizessem um levantamento das agressões, fatalmente, inapelavelmente, se detectaria algo que se sabe intuitivamente: as que ocorreram contra "petistas" são esmagadoramente maiores em quantidade E VIOLÊNCIA do que os parcos exemplos que os coxinhas têm para apresentar. E eles sabem disso.
Mas não percebi isso, esse modus operandi, pensando em agressões: foi quando tomou cada vez mais corpo a discussão sobre corrupção: lembro de, em conversas ( ainda se conversava, os coxinhas ainda não tinham se tornado esses monstros fascistas e hipocritas ) mencionar DIVERSOS CASOS e DIVERSOS TUCANODEMOS envolvidos nesses casos, e o máximo que os interlocutores faziam era falar de "Mensalão" ( caso ) e "Zé Dirceu e Genoíno" ( envolvidos ), e encorpavam a lista botando nomes como o de Lula ( foi investigado? julgado? condenado? NÃO ) e Gushiken, isso quando não implicavam até Celso Daniel na jogada, num lance altamente falacioso, já que ainda que nenhum daqueles sujeitos das citadas conversas mostrassem como era o "envolvimento" de Daniel no Mensalão; Mas foi ali que a semente foi plantada: bastava dizer, sem compromisso nenhum com fatos. Já a história de Gushiken é trágica. Deixa prá lá
Pra não sair do foco, pego um exemplo tucano, o do mal batizado caso do "Mensalão mineiro" ( seria "Mensalão tucano", mas a imprensa brasileira sempre passa um pano pros criminosos do PSDB e fecha os olhos pras roubalheiras deles ) :  o principal acusado, julgado e condenado nesse caso, o senador do PSDB Eduardo Azeredo pegou O DOBRO DA PENA DADA A ZÉ DIRCEU. Isso não saiu em nenhuma capa de jornal e a maior parte dos coxinhas que têm o Dirceu na ponta da língua nem devem saber da existência de Eduardo Azeredo, ou nem da pena que ele recebeu. Ah, o detalhe perverso é que Dirceu foi condenado sem provas, apenas na base da "teoria do dominio do fato" alemã, distorcida por Joaquim Barbosa apenas para condenar Dirceu.
Então, como agiam os coxinhas? Você falava da quadrilha dos Sanguessugas, cevada no governo FHC, os coxinhas falavam em "Mensalão". Você tratava da corrupção na CDHU, falava de Barjas Negri ( cujo nome não aparecia apenas neste caso ) e coxinha sacava o "Mensalão".
Você era OBRIGADO A TER UMA MEMÓRIA DE ELEFANTE E ELENCAR E LISTAR CADA CASO E CADA TUCANO ENVOLVIDO OU ACUSADO DE ESTAR EM UMA FALCATRUA, e mesmo que apresentasse dezenas, e não importa que fossem dezenas, nem que tivesse que recorrer ao Google, e tudo o que coxinha fazia e faz era falar de "Mensalão",
Então, NUNCA TEVE ESSE EQUILIBRIO. NUNCA HOUVE IGUALDADE. E os coxinhas agora usam a mesma "técnica" nos casos de "agressões". Nenhum tucano foi xingado ou agredido em restaurante. Nenhum diretório ou sede partidária do PSDB foi atacada, incendiada ou apedrejada. E, se existisse um caso, seria numa base de 99 para 1. 
Então, graças a uma retorica hiperbólica e grandiloquente, escândalos como o "mensalão" e agora do "Petrolão" se tornam, na sequencia, "o maior caso de corrupção da história", mas só porque envolveria o PT ( embora o partido realmente implicado nisso seja o PP e Aécio Neves tenha sido citado mais de uma dezena de vezes por delatores, mais do que qualquer petista ) , uma vez que o Banestado supera qualquer um, ou a Zelotes exponha a maior podridão, só que envolvendo cachorros grandes. De modo que podem cair ao teu lado mil tucanodemos como Caiado, Demóstenes, Azeredo, José Roberto Arruda ( o ex-vide do Serra ), serem citados Aécio, Aloysio Nunes, o proprio Fernando Henrique Cardoso, A[ecio, mencionar o Trensal'ao de S'ao Paulo ou Furnas, casos todos eles exclusivamente envolvendo tucanos, enfim, uma infinidade de sujeitos dessa laia, mas os coxinhas têm o escandaloso caso do pedalinho do Lula, ops, perdão, da "obstrução" para apresentar.
Os coxinhas, como já cansei de mencionar, são desonestos e pendem para a corrupção, não fazem contas, já que isso não interessa a eles. Fora o Alzheimer seletivo. E, claro, a monumental hipocrisia. Afinal, quem protesta na Paulista "contra a corrupção" e nenhum deles fala no Trensalao do PSDB ou no esquema das merendas envolvendo o deputado Fernando Capez?

,,,

Nenhum comentário :

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Golpe