Monitor5_728x90

sábado, 23 de janeiro de 2016

"A Indústria da Multa não existe", em: A cegueira seletiva de "alguns" paulistanos (2)


Cegueira seletiva.

Moralidade idem.

Estava descartando uns jornais velhos ( acreditam que eu tinha aqui o Estadão de 12 de Setembro de 2001, capa do WTC? Acabei de mandar pra reciclagem ) e encontrei uns recortes de um antigo jornal do bairro. Esses recortes se referiam à uma alegadamente ansiada instalação de um posto da PM na praça central de um certo bairro, em meados do segundo semestre de 2007.
Sabe como é. Os tais moradores e comerciantes se queixavam da presença de indivíduos que não gostam de seguir as leis ( memorizem isso, que é importante, como veremos adiante: "indivíduos que não gostam de seguir as leis"). Assim, nada como a presença da polícia para coibir as ações deletérias de certos indivíduos. Lei é pra ser seguida, não é verdade?

E, assim, conseguiram que fosse instalado um posto móvel da PM na tal praça. Mas não saiu exatamente do jeito que os moradores gostariam. Eles gostariam de uma espécie de segurança particular, paga pelo dinheiro dos nosso impostos, segurança particular que teria a incumbência apenas de proteger os "cidadãos de bem" daquela localidade. Mas faltou combinar com os russos, como se diz por aí.

Ocorre que, desde muito tempo, aquele "largo" do bairro era ( e continua sendo ) um pedaço muito problemático do bairro, em termos de trânsito.  Durante muito tempo foi um bairro em que as pessoas residiam com suas famílias e descendentes há muitas décadas, e que também ainda não havia passado por um grande processo de especulação, guardando então bastante semelhança com uma cidadezinha do interior, em que praticamente todos se conheciam desde sempre. Havia muitas casas com portões e muros baixos, ruas tranquilas onde até dava - ainda dá - pras crianças brincarem fora, as pessoas se chamavam pelo nome ou sobrenome, conheciam dos familiares. Em suma, um bairro consideravelmente tranquilo em comparação a muitos outros. E quase não existia muito policiamento, de qualquer tipo. De trânsito, menos ainda.

Assim, as pessoas dali se acostumaram a folgar. O tal do largo, onde tinha duas padarias - hoje tem apenas uma - era um bagunça em que cada um fazia sua lei de trânsito, de acordo com sua conveniência. Até hoje é assim, essa é que é a verdade. Não tem Cristo que consiga fazer a fiscalização ir até lá dar um jeito. E, claro, a situação está do jeito que os moradores gostam. 

Mas eu bem que tentei.

De volta a 2007. O posto policial foi implantado. E os policiais, para surpresa e desapontamento dos moradores, também tinham outras incumbências, não só garantir a proteção ao "cidadão de bem". 

Logo começou a chiação, que se podia ler nas páginas dos dois jornais de bairro que existiam por lá. Hoje restou apenas um. Vou combinar informações dos recortes de jornais que possuo com aquelas tiradas da Internet, como por exemplo, do antigo perfil dedicado ao bairro no Orkut, ou de posts meus sobre o assunto, publicados em meus três blogs ( hoje tenho só este aqui ). Todas as referências a nomes, vias, ruas e até mesmo ao bairro serão alteradas. Até porque eu tenho pra mim que esses eventos se deram nesse local em específico, mas poderiam ter acontecido em qualquer bairro paulistano.

Vejamos então:

Essa informação aqui é de novembro de 2007:


Festival de multas

Depois da aprovação das mudanças viárias, será apontado o ponto que abrigará a base fixa da Polícia Militar, que já está atuando na praça XOXOXOXO XOXOXO por meio de uma viatura móvel. No entanto, a maior expectativa dos comerciantes é que os policiais se empenhem mais na segurança do que nas multas. Desde que a base móvel está no trecho, comerciantes e usuários do ponto vêm reclamando da freqüência de autuações de trânsito. “Muitos clientes aqui do comércio já foram multados, este trecho da avenida XOXOXO é uma total bagunça e os PMs, ao invés de auxiliar, já que querem se dedicar ao trânsito no lugar da segurança, só têm atenção para o talão de infrações”, comenta o funcionário de uma padaria. “As pessoas estacionam seus veículos nos locais onde sempre pararam [ destaque deste blog ], já que não há indicação correta de nada ( sic ), e quando eles teimam (sic!!! ), saem multando todo mundo”, completa um cliente.


COMENTÁRIO: tem sim toda indicação necessária mas, como desabafou o cidadão ali, "as pessoas estacionam seus veículos nos locais onde sempre paravam", ou seja, a impunidade sempre foi garantida pela ausência de uma fiscalização e as pessoas haviam acostumado daquela forma. Quando finalmente a fiscalização apareceu, acabaríamos vendo que esse lance de "indivíduos que não gostam de seguir as leis" só serve pros outros, nunca pra nós. Nóis é "cidadão de bem" que merece um tratamento especial. 
De qualquer forma, todos nós sabemos que motorista meliante sempre tem um arsenal de desculpas e justificativas para seus atos. O fato de ter uma "indicação correta" nem sempre quer dizer nada. Vejam o exemplo a seguir:

Em 2012 um destes jornais publicou reportagem mostrando que o estacionamento em "ilhas" é proibido mas que...: 


"(...) Basta circular pela região para ver que em muitas vias as ilhas de proteção aos pedestres (área rodeada por prismas) são utilizadas como estacionamento (...)"



A imagem acima ilustrava a reportagem em questão. E sabem onde fica essa "ilha"? Dista uns 100 ou 200 metros daquela praça onde havia se instalado o posto da PM ( que, aliás, não existe mais, nem fixo, nem móvel ). 
Pois bem. A "ilha" é, POR SI MESMA, uma "indicação correta", conforme as palavras do cidadão ali. E daí? Anos depois que a matéria sobre estacionamentos em ilhas foi publicada, o problema só tendeu a aumentar neste ponto acima. E, o que é pior: nesta avenida costuma passar carro de polícia. E ninguém multa nada. E aí o "cidadão de bem oprimido pela Indústria da Multa paulistana" fica bem feliz e faz boquinha de siri.

Pois bem, voltando ao posto policial. Vejam o que foi publicado por um dos jornais, em outrubro de 2007:

( CHAMADA DE CAPA )
Vila XOXOXOXO pediu policiamento, agora reclama de multas no trânsito
Saudada por comerciantes e moradores do bairro, a chegada há pouco menos de duas semanas da Base Móvel Comunitária da Polícia Militar na Praça XOXOXOXOXO XOXOXO, em Vila XOXOXO, está trazendo maior sensação de segurança e ar de tranqüilidade. As principais manifestações da comunidade são de rasgados elogios pela iniciativa. Por coincidência, porém, desde que no mesmo intervalo de tempo um destacamento especial da Polícia Militar passou a fiscalizar o trânsito em toda a cidade [ destaque deste blog ], motoristas da região reclamam do excessivo rigor ( sic ) das multas aplicadas perto da Praça XOXOXOXO XOXOXO, o conhecido Largo de Vila XOXOXO. Esses PMs habilitados a multar estão identificados com braçadeira de cor branca no ombro. Suas investidas não perdoam os mínimos deslizes de indisciplina ( sic, sic ) no trânsito local. Outros alvos de reclamações são as poucas vagas disponíveis para estacionamento [ grifo nosso ] na Avenida XOXOXO, a falta de sinalização de solo [ destaque nosso, a explicação vem logo adiante ] e a ausência de placas de orientação. Enquanto isso, o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) anuncia reajuste nos valores das multas, que estão congelados há sete anos.


( A REPORTAGEM )
Depois de assaltos, multas geram reclamações

Comerciantes saúdam presença da Base Comunitária Móvel da PM no Largo de Vila XOXOXO, mas sobram queixas sobre multas

( Legenda para foto ) Base móvel da Polícia Militar é recebida com elogios, mas multas aplicadas por destacamento especial recebem queixas.

( Legenda para foto ) Mesmo com a ação da polícia, infrações continuam, como parar em local proibido.[ GRIFO NOSSO ]

Saudada por comerciantes e moradores do bairro, a chegada há pouco menos de duas semanas da base móvel da Polícia Militar na Praça XOXOXOXO XOXOXO, em Vila XOXOXO, está trazendo maior sensação de segurança e ar de tranqüilidade. As principais manifestações da comunidade são de rasgados elogios pela iniciativa. Por coincidência, porém, desde que no mesmo intervalo de tempo um destacamento especial da Polícia Militar passou a fiscalizar o trânsito em toda a cidade, motoristas da região também reclamam do excessivo rigor das multas aplicadas perto da Praça XOXOXOXO XOXOXO, o conhecido Largo de Vila XOXOXO. Esses PMs habilitados a multar estão identificados com braçadeira de cor branca no ombro. Suas investidas não perdoam os mínimos deslizes de indisciplina no trânsito local.

“Antes as queixas eram com a falta de policiamento e com os constantes assaltos a clientes de bancos, pois ao sacar valores eles tinham seus passos vigiados para os roubos nas ruas e se tornavam vítimas dos ladrões”, comenta o impressor gráfico aposentado XOXOX X. XOXOXO, morador no bairro há mais de 40 anos. “Agora, escuto diversas reclamações de motoristas que, ao estacionar em fila dupla ou em local proibido, receberam multas recentemente. O ser humano é complicado”. De acordo com XOXOX, isso mostra a grave situação a que chegaram as irregularidades e as indisciplinas no trânsito nessa parte do bairro. “Nos dias da feira-livre [sexta-feira], aqui virava um território livre para abusos e precisava de um basta”, relata. “A lei existe para ser respeitada e para oferecer convivência entre as pessoas” [ DESTAQUE DO BLOG ]. As situações de risco eram freqüentes, antes da instalação da base da PM. “Somente numa noite tivemos duas ocorrências, uma com um senhor que foi pego na Rua XOXO do XOXO e teve que sacar dinheiro no Bradesco e entregar seu carro para os bandidos e outra com uma senhora na Rua XOXOXO”, relata o dono de uma farmácia da Avenida XOXOXO, Alexandre XOXOXO. “Hoje, estamos notando que a PM também interpela carros e pessoas em atitudes suspeitas”. Para o comerciante aposentado XOXOXO XOXO XOXOXO, de 90 anos, e que sempre está observando a movimentação perto do largo, a situação mudou da água para o vinho. “É sempre boa a presença da polícia, que espanta os bandidos [ GRIFO DO BLOG ], comenta o aposentado que mora na Vila XOXOXO há 47 anos. “Desde que eles chegaram, não tive notícia de ocorrência policial”. Já o gerente de uma famosa padaria da praça, XOXOXO XOXOXO dos XOXOXO, afirma que no local havia também muitos roubos de carros. “Precisamos que eles [policiais militares] também possam ficar à noite ou até mesmo 24 horas”, observa. “Sei que estão batalhando para isso virar realidade”.

PAPEL DA POLÍCIA “Não estou pedindo vista grossa (sic), mas tolerância da PM para certas situações, pois não há locais disponíveis para estacionar e comprar remédio na farmácia”, reclama a comerciante XOXOXO Peres. Ela reside no Jardim XOXOXO e vai quase que diariamente aos estabelecimentos comerciais da Vila XOXOXO. Recentemente, foi multada por estacionar quase na esquina da Rua XOXOXO com o Largo de XOXOXO. “Estou pedindo um pouco de compreensão, mesmo porque meu carro não estava atrapalhando o fluxo de trânsito (sic)”. O dono de um açougue das proximidades, XOXOXO XOXOXO XOXOXO, acredita que o policiamento da base móvel é sempre bem-vindo, pois traz mais segurança, mas faz algumas ressalvas na questão do monitoramento do trânsito por outros policiais. “A aplicação de multas deveria continuar exclusiva com os agentes da CET [Companhia de Engenharia de Tráfego], pois o papel da polícia é na questão da segurança pública, no combate aos assaltantes”, argumenta. “A polícia militar deveria sim, ao ver irregularidades, acionar os ‘marronzinhos’ para cuidar do trânsito e até multar ( !!!!???? ) quem comete essas infrações”.

Para o vendedor de uma loja das proximidades do largo, XOXOXOXO XOXOXO XOXOXO, as multas estão sendo aplicadas de forma contínua. “O pessoal faz coisas erradas como dirigir sem cinto de segurança, atendendo aos telefonemas nos celulares e parando em locais proibidos. As multas não são de graça” [ GRIFO NOSSO ], comenta. “Mas até que melhorou, pois já faz mais de uma semana que são raros os motoristas que param em fila dupla na frente dos bancos”. Uma das pessoas mais indignadas não propriamente com as multas, mas com a falta de coerência da Prefeitura, é o bancário aposentado, XOXOXOX XOXOXO XOXOX. “Se pelo menos o dinheiro arrecadado com as multas fosse investido em melhorar as condições do trânsito, seria justo”, argumenta. “Há anos estamos solicitando pinturas de faixas para travessia e até agora nada”. Já o projetista mecânico XOXOX XOXOXOX prefere enaltecer o bom comportamento dos motoristas ( SIC!!! ), mas aponta o mesmo problema da ausência das faixas. “O motorista que obedece à sinalização jamais vai receber multa, mas deve-se considerar que a falta de sinalização [horizontal] e vertical [placas] podem fazer com que elas sejam anuladas”, disse. “A faixa de pedestre é sinal de cidadania e não entendo porque a CET [Companhia de Engenharia de Tráfego] não atende às reivindicações. Afinal, qual o custo da pintura de uma faixa em relação ao montante obtido com as multas?”, questiona.

A reportagem acima merece uma caralhada de comentários. Só que estou ficando com tanta raiva da incoerência ( "A aplicação das multas tinha que ser exclusividade da CET...",“A polícia militar deveria sim, ao ver irregularidades, acionar os ‘marronzinhos’ para cuidar do trânsito e até multar quem comete essas infrações...”) e da cara de pau das pessoas arroladas nessa matéria, não importa se é coisa antiga ( pois não é, no fim das contas, já que nada mudou pra melhor, e sim, pra pior ), que fica difícil comentar qualquer coisa de forma civilizada. Vale lembrar, com relação à aplicação de multas pela polícia e não mais apenas pela CET, que o contingente de "marronzinho" é simplesmente ridículo, absurdamente insignificante, o que deve ter levados as administrações que ocuparam a Prefeitura nos últimos anos a fazer esses convênios. Assim, consciente ou inconscientemente, o objetivo do morador ao reclamar exclusividade para a CET é EXATAMENTE para que a impunidade permaneça, já que a CET não dá conta. Evidentemente, se a CET pudesse estar naquela praça multando, ela estaria, e não existiriam relatos como o do aposentado, que pintou corretamente o quadro tenebroso de infrações diversas cometidas pelos moradores, que permanece até hoje.    

Melhor dizendo, fico com raiva é dos caras de pau ( "Não queremos vista grossa...", "...meu carro não atrapalhava o fluxo..."  ), mas é um refresco ler testemunhos importantíssimos, como o do citado aposentado que corretamente narrou os fatos e evidenciou que a fiscalização era mesmo necessária e as multas uma decorrência da fiscalização. Ele afirmara que "isso mostra a grave situação a que chegaram as irregularidades e as indisciplinas no trânsito nessa parte do bairro".  Isso ( "grave situação a que chegaram as irregularidades" ) acaba sendo confirmado com a inconsciente confissão de outro, mais acima, quando este diz que "as pessoas estacionam onde sempre pararam". Isto é, sempre paravam mas não eram autuadas por isso. Nota-se que, em meio a toda essa conversa, enquanto uns ficam obstaculizando as ações fiscalizatórias, ora alegando que não tem placa, ora dizendo que é 'muito rigor", o aposentado confirma que as infrações eram cometidas e chegaram à "grave situação" testemunhada por ele.

Infelizmente os jornais costumam destacar de forma bastante desequilibrada a quantidade de multas aplicadas, em vez de reconhecer a obviedade: as multas só existem devido às infrações cometidas. Merece até nova reprodução tal testemunho: “ (...) Agora, escuto diversas reclamações de motoristas que, ao estacionar em fila dupla ou em local proibido, receberam multas recentemente. O ser humano é complicado”. De acordo com XOXOX, isso mostra a grave situação a que chegaram as irregularidades e as indisciplinas no trânsito nessa parte do bairro. “Nos dias da feira-livre [sexta-feira], aqui virava um território livre para abusos e precisava de um basta”, relata. “A lei existe para ser respeitada e para oferecer convivência entre as pessoas (...)” 

Também vale menção o que disse outra testemunha: “É sempre boa a presença da polícia, que espanta os bandidos

Sim. Espanta bandidos. E os multa também.

Vejam que as desculpas e o chororô variam. Vai desde a falta de vagas ( "Se não tem vaga pra estacionar meu carro eu tenho o direito de estacionar onde quiser" ), passando pela falta de pintura de solo... Hoje em dia esses locais estão repletos de pintura de solo e - com exceção das faixas de pedestre, que até são bastante respeitadas embora, conforme relatos ouvidos, algumas acabam virando estacionamento - não adianta porra nenhuma, conforme mostra o exemplo abaixo. 

Esta foto eu consegui no Google Street e a data é recente. Fica na polêmica praça que é objeto deste post. Só que hoje em dia não tem mais posto policial pra multar estes anjinhos e esses zebrados são rotineira e deliberadamente desrespeitados, como se não existissem...
  

Teve um tempo em que eu ligava diariamente para a CET e eles, pra minha surpresa, estavam atendendo devidamente estas reclamações. Fiquei sabendo disso por meio de relatos postados na comunidade do bairro no finado Orkut, à qual eu pertencia anonimamente.  Vejam que legal esta conversa que eu tinha tirado da Internet, também de anos atrás:

fúlvio*

multa

va ate a vila XOXOXO e ganhe uma multa….no largo da vila ta ruim de ir de carro ou de moto,eles estao multando por nada,eu estou evitando ir pra la para nao ganhar uma multa…alguem ja tomou alguma multa la???????comentem



[Lita]*
Eu vi multando uns carros barados do Itaú até a droga XOXOX sabado passado, e não foi “por nada” pq afinal tem uma bela placa de que é proibido…


LACROU, LITA!

Sabe, eu adoraria ter conhecido todas essas pessoas que aparecem neste post, na época em que era moda se falar em "teoria da janela quebrada", e em "tolerância zero" para criminosos. Só pra saber a opinião delas sobre isso.

Por fim, pra terminar esse texto que acabou ficando maior do que eu pretendia, reproduzo um trecho de texto publicado pelo colunista de um dos dois jornais de bairro de que me servi até aqui. É de outubro de 2007:

MULTAS EM VILA XOXOXO
"(...) Pois bem: ao invés de melhorar a segurança, os policiais passaram a tascar multas por estacionamento proibido em toda a área comercial do bairro. Lojistas e usuários estão estrilando e ligando para o jornal. Consultado pelo colunista, o comandante da Xa.Cia PM, Cap XOXOX XO XOXO XOXOX, afirmou que já tomou as medidas necessárias"

COMENTÁRIO DO BLOG: Pelos testemunhos apurados nas matérias acima, não teve essa de "em vez de melhorar a segurança", conforme alegava este colunista, já que  praticamente todos reconheceram que esta realmente havia melhorado. 

O "problema" das pessoas foi que o policiamento resolveu que esse lance de "indivíduos que não gostam de seguir as leis" servia pra todos. Embora fico curioso: essas "medidas necessárias" passavam por proibir os policiais multar os motoristas meliantes? Se for, eu sou prova de que funcionou.

.










Nenhum comentário :

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Golpe