domingo, 6 de dezembro de 2015

Terror na França e a destruição de nossa civilização, por Jasson de Oliveira Andrade





O ataque terrorista à França, especificamente em Paris, causou espanto e revolta mundial. O ataque foi reivindicado pelo EI (Estado Islâmico). Paul Krugman, prêmio Nobel de Economia, escreveu um artigo sobre o assunto, publicado pelo Estadão (17/11/2015), sob o título “Resistir ao medo é a melhor resposta ao terrorismo”. Por oportuno, vamos transcrever alguns trechos desse texto.

“Reflita sobre o que a França é e o que ela representa. O país tem seus problemas – e que nação não tem? Mas é uma democracia robusta, como uma legitimidade sem limites. Seu orçamento para a defesa é pequeno comparado ao americano, mas o país possui um Exército poderoso e tem recursos para torná-lo muito mais forte se o desejar. O país não vai ser conquistado pelo Estado Islâmico, nem agora e nem nunca. Destruir a civilização ocidental? Sem chances. (...) Vivemos em um mundo complicado e mesmo as superpotências não conseguem solucionar tudo. Em 11 de setembro de 2001 [ ataques terroristas ao World Trade Center e ao Pentágono, nos Estados Unidos ], Donald Rumsfeld disse a seus assessores: “vasculhem tudo. Relacionado ou não” e imediatamente sugeriu que o atentado fosse usado para invadir o Iraque. O resultado foi uma guerra desastrosa que fortaleceu os terroristas e abriu caminho para a ascensão do EI [Estado Islâmico]”. 

A seguir Paul Krugman faz uma observação que merece uma meditação de todo ser humano preocupado com o nosso futuro: “Finalmente, o terrorismo é apena um dos muitos perigos enfrentados pelo mundo e não deve desviar nossa atenção de outros. Quando Obama descreve a mudança climática como a maior ameaça que enfrentamos, ele está corretíssimo. O terrorismo não pode e não destruirá nossa civilização, mas o aquecimento global sim”. 

Krugman tem razão. O terrorismo não destruirá nossa civilização, mas o aquecimento global sim. O próprio papa Francisco, um papa diferente como veremos em outro artigo, também está preocupado com o meio ambiente. A encíclica “Laudato Si” trata desse grave problema. Ao que consta, Francisco foi o único papa a escrever uma encíclica sobre o assunto, o que mereceu elogio do presidente Barack Obama, outro preocupado com o problema, como vimos no texto de Paul Krugman. Terrorismo é preocupante, mas o aquecimento global é muito mais! No Quênia, em 25/11/2015, o papa Francisco fez esse alerta: “A grave crise ambiental que nosso mundo enfrenta exige cada vez mais uma maior sensibilidade pela relação entre os seres humanos e a natureza”. Que essa advertência do Papa seja ouvida!

JASSON DE OLIVEIRA ANDRADE é jornalista em Mogi Guaçu

Publicado na GAZETA GUAÇUANA em 5/12/2015


.

Nenhum comentário :

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Golpe