sábado, 7 de novembro de 2015

Xuxuleco e a nova Escolinha do Professor Raimundo: Out of Business



Como não assisto a Globo ( na verdade não assisto TV aberta, eventualmente um futebolzinho e olhe lá ) não estava sabendo que o velhusco Escolinha do Professor Raimundo havia voltado. Segundo este site, é um remake comemorativo dos 25 anos do humorístico, e terá apenas 7 episódios. Evidentemente, são novos atores a assumir os papéis dos personagens. O Professor Raimundo, por exemplo, será encarnado pelo filho de Chico Anysio, Bruno Mazzeo, o que não surpreende. Pessoalmente, eu não gostava nada desse programa e não entendia como alguém acima de 12 anos conseguia rir com aquela mesmice, apenas esperando pelo momento em que cada personagem soltava seu bordão característico, para então explodir numa gargalhada inexplicável. Enfim...

Fico imaginando essa "Escolinha..." em São Paulo:

- Seu Armando Volta?

- Eis-me aqui, digníssimo, e pode perguntar, porque comigo pau é pau, pedra é pedra. Se sei, digo que sei; se não sei, digo que não sei e pronto! É papo dez e tapas leves, e dá-lhe que é barbada. E pronto!

De repente, alguém bate na porta da sala:

- Sim?, pergunta o Mestre Raimundo.

- Com licença?, pede, educadamente, um senhor distinto, com cara de bom tio.

- Entre!

- Boa tarde, senhor professor! Boa tarde, senhores alunos!, cumprimenta o visitante.

- Mas boa tarde! Jovens (sic), queiram aplaudir o governador, que apareceu de surpresa aqui em nossa escolinha...

CLAP! CLAP! CLAP!

- Deixem disso, por favor!, pede o governador, levemente constrangido com os aplausos.

- Mas a que devemos a honra de sua visita?

- Bem, Senhor Professor. Senhores Alunos... Vocês já devem estar cientes de que o Governo e a Secretaria estão empreendendo uma série de mudanças na rede escolar.

- Sim, senhor. O fechamento...

- Não diga isso! Estamos empreendendo uma REORGANIZAÇÃO na rede, com o objetivo de melhorar o ensino em nosso Estado.

Um aluno levanta a mão.

- Sim?

- Captei! Captei vossa mensagem, amado governador!

- Oras, que bom! Essa juventude é mesmo muito inteligente. Pois bem, todos sabem que em períodos de crise econômica e ociosidade em unidades escolares é necessário equacionar os gastos e...

Outra aluna levanta a mão:

- Ele só pensa...naquiiiloooo!

- Isso não é verdade, minha jovem. 

Outro aluno toma a palavra:

- E o fechamento de escolas que estão falando?

- Não haverá isso, jovem!

- Há controvérsias! Pode garantir isso?

- Bem, é que...

- Então, não me venha com chorumelas!

- Mas...mas, jovem... sim, o que?

É outro aluno pedindo a palavra:

- Melhor pouca escola do que prejuízo no orçamento...

- Muito bem, esse é o pensamento e... você aí quer falar?

- Ligadão nas quebradas, chefia, mas que hora é a merenda?

- Meu jovem, estamos empreendendo esforços para levar uma merenda de qualidade aos alunos e...

- Use-me e abuse-me!!!!

- O quê? Ahm, sim, pode falar e,,,

- Te dou o maiorrr apoio!

- Obrigado! É bom saber que a população apóia nossas ações e que... sim, jovem , pergunte!

- Não precisa explicar, eu só queria entender...

- O quê, como assim? Eu...eu...vou explicar...

- Pá daqui, pá dali, pá de lá, pá de cá! Você parece que não sei...

- Vocês estão me confundindo!

O Professor Raimundo intervém naquela bagunça:

- Muito bem! O governador veio aqui explicar a razão de sua visita e quero silêncio agora! Pode falar, Geraaaaaaldo.

- SIM?, respondem ao mesmo tempo o governador e o aluno.

- Você não! ELE. O governador.

- Bem, obrigado professor. Vim aqui pessoalmente, pois os senhores são personagens de muita estima e consideração e achei que mereciam um tratamento diferenciado.

O Professor Raimundo se empolga:

- Tem a ver com o salário? Porque ele, ó!

E faz o gesto famoso, aproximando polegar e indicador.

Isso irritou o governador:

- Saiba, caro professor, que nós pagamos um dos maiores salários do país, entre todos os Estados e temos uma clara e transparente política de valorização do magistério e trata-se de um enorme...

AAAAIIIII!

Dona Bela quase tem um chilique quando o governador diz "enorme". Não por soar um duplo sentido, mas por sugerir que o salário de Raimundo e dos professores é bom.

O governador começa a perder a linha:

- Gente, vocês precisam entender que a REORGANIZAÇÃO vem trazer uma maior readequação na rede de ensino e com isso "apagar"....

Ao escutar a palavra "apagar", Dona Capitu vai ao quadro-negro, pega o apagador, e garante o momento relax pra galera, até o Professor Raimundo pedir que volte à sua carteira.

O governador apruma a gravata e tenta continuar:

- É natural que mudanças gerem medos e inseguranças... mas naturalmente haverá poucos efeitos colaterais limitados e localizados...

- Agora que eu me estrepo!, desabafa Brandão Filho, misturando os personagens Sandoval Quaresma e Primo Pobre.

- Nada disso, jovem. Garanto que os possíveis transtornos serão passageiros e remediáveis, pois nossa política educacional e pedagógica...

- O povo é só um detalhe!, interrompe Célia Caridosa de Melo. 

O governador entende aquilo como uma crítica, embora fosse um elogio.

- Oras, meus jovens. Estou tentando ser paciente. Vim aqui com a maior boa vontade, mas vi que não será possível ter uma conversa civilizada. Então terei que ser direto.

- Seja breve, "professor"!

- Pois bem! Esta "Escolinha..." é uma das unidades no Estado que terá as atividades interrompidas pelo nosso projeto de REORGANIZAÇÃO. Vim aqui pessoalmente comunicar-lhes isto, pois se tratam de personagens queridos da população e não ficaria bem tratá-los de forma como a dispensada aos alunos comuns.

Silêncio absoluto na sala. Nunca aquele ambiente ficou tão quieto, em todos os anos de programa ( rádio, inclusive ). Uma lágrima discreta rola pelo rosto do Professor Raimundo.

- E se não quisermos sair? Gostamos daqui! Temos uma ligação afetiva e televisiva com esta "Escolinha..." e queremos continuar aqui!, desafia um dos alunos.

- Bem, jovem, a decisão já está tomada. Eu não vim aqui consultá-los, mas informá-los da decisão de Governo e Secretaria. A partir da semana que vem este estabelecimento será esvaziado e os alunos remanejados para colégios "próximos" daqui.

Dona Bela solta outro gemido, quando o governador pronuncia "próximo". Ela sabe reconhecer uma sacanagem quando diante de uma.

- E se nos recusarmos?

- Estava esperando por isso...

O governador estala os dedos e uma tropa da PM irrompe na sala, metendo o pé na porta e chutando todo mundo, descendo o cassetete e jogando spray de pimenta nos alunos e no Professor Raimundo. Por ser professor, ele se torna o maior alvo dos policiais.

- Sabia!, diz uma aluna, aquela mais atirada. Com esse governador não tem "beijinho, beijinho", só "pau, pau"!

- Vamos lá! "Vamos malhar"!, incentiva o governador a tropa de PMs.

- Opa! Esse bordão é meu!, diz Paulo Cintura.

O governador instrui a PM a retirar logo aqueles invasores e delinquentes, "a todo custo".

- Aí eu choro. Au-auuuu!, conclui Galeão Cumbica.

FIM

OBS: Os bordões referentes a cada personagem foram retirados daqui


.













Nenhum comentário :

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Golpe