terça-feira, 11 de agosto de 2015

Excelente notícia: São Paulo vai reduzir velocidade para 50km/h em todas as avenidas



Ruas secundárias terão limite máximo de 40 km/h, conforme plano da prefeitura. Meta é padronizar limites até dezembro. Especialistas apoiam a proposta

Após reduzir a velocidade nas Marginais do Pinheiros e do Tietê, o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, confirmou nesta segunda-feira (10) que até dezembro vai padronizar a velocidade máxima de 50 km/h em todas as avenidas da capital, ou seja, as vias arteriais que fazem ligações entre bairros, têm semáforos e dão acesso a ruas secundárias. As vias que permitem o acesso e a saída das arteriais, as chamadas ruas coletoras, deverão cair de 50 km/h para 40 km/h.

Há três anos, entre 2011 e 2012, o limite das vias arteriais já havia sido ajustado de 70 km/h para 60 km/h [ destaque deste blog ]. Segundo o secretário municipal dos Transportes, Jilmar Tatto, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) está agora montando a estratégia para concluir o padrão de 50 km/h na cidade. 

A possibilidade de limitar a velocidade em todas as vias foi levantada no mês passado e confirmada ontem. “Tudo termina até dezembro”, afirmou Haddad, referindo-se à redução em todas as ruas. A medida faz parte de um plano da Prefeitura para diminuir o número de atropelamentos e mortes nas vias.

O médico Dirceu Rodrigues Alves Júnior, diretor da Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet) elogiou a iniciativa. Segundo ele, é de 85% a probabilidade de morte em uma colisão entre pedestres e um carro a 64 km/h. Esse número, diz ele, cai para 5% caso o veículo trafegue com uma velocidade de até 32 km/h. O custo anual dos acidentes, das lesões e dos engarrafamentos, de acordo com a Abramet, é de R$ 32 bilhões ao ano.

“Acham absurdo o número de multas, mas a punição para quem cometeu infração ainda é pequena. Precisamos mexer no bolso do indivíduo para fazê-lo entender que é necessário seguir as leis de trânsito”, defendeu o médico.

Para o engenheiro Horácio Augusto Figueira, que é doutor em Engenharia de Transporte, os motoristas passarão a dirigir de maneira “mais uniforme e tranquila”. A velocidade média nas vias arteriais oscila entre 20 e 30km/h. “Essa padronização é boa. Estamos achando que 50 km/h é pouco, mas não é. Em nenhuma via da cidade de São Paulo se roda nos horários de pico com essa velocidade”, disse. 

OAB questiona
Já a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) move ação para cassar a redução de velocidades nas Marginais e pretende voltar à Justiça caso o prefeito “não ouça a sociedade” sobre a política de ampliar a diminuição do limite máximo para o restante da cidade. 

“Vamos ter de entrar com outra ação, dependendo de como isso vai ser feito, a partir desse novo anúncio”, afirmou o advogado Maurício Januzzi, presidente da Comissão de Trânsito da OAB-SP. No entanto, ele espera que o plano seja mais discutido com representantes da sociedade civil do que foi a redução de velocidade nas pistas expressa e local nas Marginais. Isso porque, segundo Januzzi, as medidas “mudam a configuração da cidade”. A entidade entrou com a ação no caso das Marginais em 21 de julho. Dias depois, o Ministério Público Estadual (MPE) deu parecer contrário ao pedido da Ordem de suspender a redução.

Ainda está em andamento uma apuração da Promotoria de Habitação e Urbanismo do MPE. O órgão verifica se há estudos qualitativos da Prefeitura para reduzir as velocidades nas Marginais. Segundo a promotoria, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) apresentou apenas dados quantitativos das vítimas do trânsito. ( MOBILIZE )

Leia também:



.

Nenhum comentário :

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Golpe