terça-feira, 21 de julho de 2015

Como acabar com a suposta "Indústria da Multa" (sic!) paulistana




Acho que arrumei a solução para acabar com a Indústria das Multas™ em SP.

A cada R$ 100 acumulados em autuações, o cidadão Dibem poderia se dirigir à sede da CET, vestir um uniforme da empresa e ir a campo ajudar por um dia inteiro os fiscais em suas tarefas diárias, tendo sua dívida e pontuação na CNH perdoadas.

Seria o projeto "Marronzinho por Um Dia". Trocaria o dinheiro suado que esses monstros da CET insistem em tirar do bolso dele por suor em prol da comunidade.

A meu ver, seria um exercício importante de educação para o trânsito ("antes de punir, precisa educar"), tão requisitado pelos cidadãos Dibem desta cidade.

Dibem veria um monte de infrações de trânsito cometidas por seus colegas motoristas e que até então, por conta de estar na mesma situação deles, não prestava atenção e achava que era tudo "invenção de fiscal q só pensa em multar".

Comprovaria na prática que a CET não autua nem 2% do total de infrações cometidas por motoristas na cidade de SP, pois não há fiscal que chegue pra anotar tanta coisa errada sendo cometida ao mesmo tempo.

Ouviria neste dia de labuta motoristas lhe pedindo clemência porque estacionaram em fila dupla "só um minutinho", que parou em cima da faixa de pedestres porque "o semáforo fechou de repente", empurraria carros obstruindo a via por falta de combustível ou péssimo estado de conservação. Perceberia também que a sinalização instalada no viário está pequena para boa parte dos condutores, pois ouvirá muitas vezes o condutor abordado dizendo "nossa, nem reparei que tinha placa de proibido fazer conversão aqui, desculpa".

Na verdade, não sei se resolveria algo. Mas, pelo menos, o argumento "só pensa em arrecadar" desapareceria da boca do Dibem. Pra mim, só isso já está de bom tamanho.


.






.

Nenhum comentário :

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Golpe