Monitor5_728x90

sábado, 7 de fevereiro de 2015

Quem venceu com a eleição de Eduardo Cunha?, Por Jasson de Oliveira Andrade


Vencem os fisiológicos do PMDB. Perdem Dilma e o PT. Oposição e evangélicos não ganham! 


Com dedos em riste, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e o presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG), protagonizam bate-boca no plenário`` ( Foto: Reprodução )
A eleição do deputado Eduardo Cunha (PMDB) para presidente da Câmara Federal trouxe euforia aos adversários da presidenta Dilma. Ele é considerado um desafeto dela. A oposição, embora não votando em Eduardo Cunha, se considera vitoriosa. Já o pastor Silas Malafaia, no Facebook, escreveu: “Vocês vão ter que nos aturar”. Esta declaração se deveu porque o novo presidente da Câmara é evangélico. No entanto, nem a oposição venceu, nem os evangélicos. O grande vencedor foi somente Eduardo Cunha, agora paparicado por todos e que fará acordos com Dilma. É o que constata Dora Kramer, no texto sob o título “Só bobos brigam” ( Estado, 3/2/2015 ): “Na Câmara, possivelmente fiquem decepcionados os que acreditaram na versão do “ferrabrás” Eduardo Cunha. O deputado se notabilizou pela fidelidade da palavra. Pois bem. Fez campanha dizendo que não faria oposição (sic). No discurso logo após a vitória repetiu que seu lema seria independência. O que não significa insurgência (sic)”. Como peemedebista ( Sempre no Poder, já escrevi anteriormente ), o bom relacionamento dependerá da presidenta Dilma. Como diz o título do artigo de Kramer: SÓ BOBOS BRIGAM! É o que pensa também Janio de Freitas, em artigo publicado na Folha ( 3/2/2015 ): “Verbas: armas poderosíssimas dos governos. A elas o fisiológico PMDB não tem resistido, há décadas. A rigor, sua razão de ser tem sido apenas a de obtê-las, saídas do Tesouro Nacional ou vindas de cargos para isso mesmo ocupados pelo partido no governo. A fome peemedebista de verbas e a dieta que o governo imponha vão influir para o que o PMDB vier a ser. Ou seja, para o grau e a forma que o poder complicador de Eduardo Cunha e seus seguidores poderá assumir”.

A mídia e a oposição se “esqueceram” que também houve eleição para a Presidência do Senado. Janio de Freitas afirmou a respeito: “No afã de acentuar a derrota de Dilma Rousseff na Câmara, os comentários em geral esqueceram que no Senado o esforço oposicionista do senador Aécio Neves também sofreu derrota expressiva. Não só pela desvantagem numérica. Ficou demonstrado que o governo conta com uma bancada leal e predominante no Senado”. A vitória do senador Renan Calheiros, reeleito presidente, foi também uma vitória do governo, que o apoiou. Realmente os governistas comandam o Senado. Tanto assim que Renan, como presidente reeleito, excluiu o PSDB da Mesa Diretora da Casa, o que provocou uma troca de acusações entre o peemedebista e o senador Aécio. O Estadão assim noticiou o atrito: “Com dedos em riste, o presidente do Senado, Renan Calheiros ( PMDB-AL ), e o presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG), protagonizaram ontem [4/2/2015] um duro bate-boca (sic) no plenário da Casa”. Esta troca de acusações confirma Janio de Freitas: Aécio sofreu mesmo derrota expressiva no Senado!


Os vencedores da eleição de Eduardo Cunha à Presidência da Câmara foram, sem dúvida, o deputado Eduardo Cunha e os fisiológicos do PMDB. Dilma e o PT perderam, mas a oposição e os evangélicos não ganharam! O tempo se encarregará de confirmar ou não esse prognóstico. A ver.


JASSON DE OLIVEIRA ANDRADE é jornalista em Mogi Guaçu.

JANEIRO DE 2015

.

Nenhum comentário :

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Golpe