sexta-feira, 5 de setembro de 2014

Esquerdopata: "Relatório de situação"



Marina Silva atingiu seu primeiro objetivo com 100% de eficiência: rompeu a polarização PT x PSDB e criou a polarização PT x Marina. Fim de carreira para Aécio, péssimo para o PSDB em geral. Para o PT parecia ser um desastre na suposição de que no segundo turno a direita votaria em bloco em Marina contra Dilma, ao contrário de um segundo turno Dilma x Aécio onde o voto marinista se dividiria. Felizmente não contávamos com a falta de astúcia de Marina que, com declarações e atos inesperados e tresloucados, colocou em pânico boa parte dos eleitores com a possibilidade de sua vitória. Tivesse a fulana mantido um perfil light, adicionando ao discurso pseudo-ambientalista o liberalismo tucanoide e as alianças com setores conservadores de Eduardo Campos e a situação poderia tornar-se dramática, até com uma vitória no primeiro turno. Mas as concessões aos pastores-bandidos, as mentiras descaradas que renegam todo seu passado político e a exposição à luz de seu discurso incompreensível pelas massas e facilmente reconhecido pelos mais letrados como lero-lero de terceira categoria fez a onda Marina parar de crescer num nível ainda baixo (no 1º turno) e há sinais escandalosos de que a queda já está ocorrendo. O setor LGBT foi o primeiro a abandonar o barco, seguido por amplos setores que se consideram progressistas e reconheceram o caráter reacionário do programa marineiro (não faz mais sentido falar em PSB). Setores da direita radical, mas sincera também bateram e continuam batendo forte na falta de consistência e imprevisibilidade da candidata. Setores da classe média udenista identificaram em Marina um PT piorado e setores religiosos sentiram de longe o cheiro de fundamentalismo evangélico da Teologia da Prosperidade, vulgo Banditismo em Nome de Jesus. Tudo isso trouxe e trará mais ainda votos antes impensáveis para Dilma. Na esquerda o setor sindical acendeu a luz vermelha ao reconhecer um programa ainda mais neoliberal que o do PSDB e já parte firme contra a "ameaça Marina". Amplos setores do PT, encostados desde sempre, sentiram o cheiro fortíssimo da derrota e demissão em massa dos confortáveis cargos que ocupam e já saem às ruas como nos bons tempos de antigamente...

Resta Aécio, político medíocre e despreparado que perdeu o bonde eleitoral ao não identificar de início Marina como sua adversária direta e continuar batendo em Dilma como se a mídia precisasse de ajuda nessa tarefa. A falta de caráter e visão da maioria do PSDB levou o partido a abandonar Aécio ferido na estrada, coisa que nem Paulo Preto mereceu. Difícil saber quanto da intenção de voto de Marina vai voltar para Aécio agora que é dado como nanico. Só a união total da mídia em torno da destruição de Marina e reconstrução de Aécio poderia operar o milagre de tornar sua candidatura viável novamente. Mas como eu já escrevi em algum lugar: política não é ciência exata, a desconstrução de Marina vai mais facilmente levar Dilma à vitória no primeiro turno que Aécio ao segundo. Uma ampla desilusão com Marina vai levá-la aos números de Eduardo Campos ou pouca coisa melhor e dificilmente levarão Aécio acima de onde estava antes do jato cair.

Minha aposta hoje, 05/09/2014: Dilma vence no primeiro turno ou passa bem perto disso e vai para o segundo turno com ampla vantagem e favoritismo contra Marina ou Aécio. Os ataques que Aécio começa a lançar contra Marina tornarão difícil uma aliança no segundo turno com uma figura ressentida como Marina. Otimismo em alta.


.

Nenhum comentário :

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Golpe