terça-feira, 9 de setembro de 2014

Aécio: Carta fora do baralho?, Por Jasson de Oliveira Andrade



Dia 13 de agosto de 2014 mudou completamente a sucessão para a Presidência. Antes do trágico acidente aéreo com o ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos, a disputa era entre Dilma (PT) e Aécio (PSDB), com ampla vantagem da Presidenta. Depois dessa data fatídica, os concorrentes, atualmente, são Dilma e Marina (PSB). Aécio está muito ruim nas pesquisas, podendo ficar fora do segundo turno. Uma situação impensável antes de 13 de agosto. É o que veremos a seguir.

O jornalista Ricardo Mendonça, em texto publicado na Folha (7/9) ao analisar o último Datafolha, fez essa revelação: “É com o apoio dos eleitores de uma crescente direita (sic) e centro-direita que Marina Silva (PSB) assegura seu empate com a presidente Dilma Rousseff no primeiro turno da eleição presidencial e, sobretudo, derrota a petista na simulação de embate final”. Esse eleitorado era de Aécio e, agora, migrou para a candidata socialista. Principalmente em São Paulo, onde ela vence até no primeiro turno. Em nosso Estado, o eleitorado de Aécio, em grande parte, bandeou para Marina, cuja política econômica agrada essas correntes direitistas. O pior está ocorrendo em Minas. Bernardo Mello Franco, no Painel da Folha de 7/9, noticiou: “DE VOLTA PARA CASA – A campanha de Aécio Neves (PSDB) reconhece que um de seus maiores erros foi descuidar de Minas Gerais. Ele contava com uma vitória histórica em seu Estado, mas desabou para o terceiro lugar, com apenas 22%, no Datafolha. (...) Já de olho no pós-2014, o candidato pediu esforço máximo para evitar que um fiasco em casa comprometa suas ambições futuras”. Já o jornalista Janio de Freitas considerou esse terceiro lugar dele em Minas, como “degradante”. É surpreendente que o tucano tenha perdido eleitores mineiros para Marina! José Simão, na Folha, brinca: “E o Aécio depois de apanhar de duas mulheres, exige versão masculina da [Lei] Maria da Penha. Vai chamar Lei Aécio Apanha”.

Quem não está com brincadeira é a revista Veja. Nesta semana, no dia 6/9, sua edição publicou a delação de um ex-diretor da Petrobrás com acusação a alguns políticos ligados ao governo federal, que poderá atingir Dilma e – pasmem! – ao falecido Eduardo Campos, o que poderá atingir Marina. Eduardo Guimarães, no Blog da Cidadania, denuncia: “Mídia [principalmente VEJA] usa “delação” para atingir Dilma e Marina e tentar ajudar Aécio”. Será que essa “ajuda” vai mesmo ressuscitar a candidatura do tucano, que até o momento está fora do baralho? Como sempre digo: a conferir!

JASSON DE OLIVEIRA ANDRADE é jornalista em Mogi Guaçu 
Setembro de 2014

.


Nenhum comentário :

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Golpe