segunda-feira, 12 de maio de 2014

A surpreendente política econômica de Aécio, Por Jasson de Oliveira Andrade




O presidenciável Aécio Neves apresentou um programa econômico surpreendente, caso seja eleito. Provavelmente orientado pelo seu guru em economia Armínio Fraga (*), que foi ministro de Fernando Henrique Cardoso, quando adotou uma política de arrocho salarial e causou milhões de desemprego. FHC precisou mesmo, no seu segundo mandato, de se socorrer do FMI (Fundo Monetário Internacional). É esse programa que iremos analisar.


O jornalista e escritor Paulo Moreira Leite, em seu Blog na Istoé, constatou: “Aécio Neves não teve receio de anunciar sua “coragem” para tomar “medidas impopulares” [caso seja eleito]”. A jornalista Vera Magalhães, no Painel (Folha), em 5/5/2014, noticiou: “Grandes empresários (sic) têm ficado de olhos brilhando com a promessa de Aécio de apresentar um projeto de reforma tributária no primeiro semestre de 2015, caso eleito, mas já começaram a exigir garantias políticas (sic) da proposta, considerada de difícil execução. (...) Em encontro reservado durante a semana, dirigentes indagaram ao tucano e a Armínio Fraga (sic) como se daria, nos bastidores (sic), a negociação com o Congresso da mudança prometida”. Quais deputados dariam essa garantia a um programa antipopular? O deputado Paulinho da Força Sindical? Duvido! Já o presidenciável Eduardo Campos (PSB), que esteve muito ligado ao Aécio, agora procura se mostrar diferente do tucano. O socialista declarou à imprensa: “Temos [Campos e Aécio] projetos distintos, com bases política e social distintas (sic). Isso não impede que tenhamos a capacidade de ver o que nos une. Mas oferecemos caminhos diferentes (sic)”. A crítica mais contundente foi feita por Celso Maia (DEM), candidato a governador do Rio e apoiador de Aécio. Em entrevista ao programa Poder e Política, da Folha e do UOL, Maia afirmou que o “tucano [Aécio] está priorizando a conversa com as elites. É um erro”. A crítica é também dirigida ao Eduardo Campos (PSB). “Você vê fotografias deles em vários lugares. Não vê em nenhuma favela, por exemplo”, disse ele, concluindo: “Faça também essas reuniões [com a elite], mas não só com elas”.

Para relembrar, a política econômica de Armínio Fraga, colocada em prática no governo FHC e possivelmente a ser repetida por Aécio (consta que ele será o ministro da Fazenda caso o tucano seja eleito), nós, aposentados, ficamos OITO anos sem aumento. O mesmo ocorrendo com o salário mínimo. Além do arrocho salarial, tivemos o “apagão”. Em Mogi Guaçu, existem ainda postes de iluminação pública marcados com um “x”. Tais postes não eram acesos, por economia... A situação era tão difícil que enviei essa mensagem à revista CartaCapital, publicada em 29 de maio de 2002: “Que “caminho certo” é esse? – Desemprego, arrocho salarial, dívida externa astronômica, comércio e indústria no sufoco, “apagão”. Se esse é o “caminho certo” de Armínio Fraga, devemos trilhar, em outubro, outro caminho”. Jasson de Oliveira Andrade Mogi Guaçu, SP”.

Sinceramente esperava uma política econômica diferente do Aécio. Jovem, deveria, em minha opinião, se acercar de pessoas com mentalidade também nova e não de Armínio Fraga. Em Minas Gerais, quando governador, tivemos um Anastasia. Agora o candidato dele para governador é um político da “Velha Guarda” e suspeito de participar do “mensalão” tucano (mineiro, como diz a mídia). Consta que recebeu dinheiro de Marcos Valério. Esta acusação está sendo investigada! O que está acontecendo com o Aécio? Ainda há tempo para voltar atrás. Ele fará? Como sempre digo: a conferir!

JASSON DE OLIVEIRA ANDRADE é jornalista em Mogi Guaçu 

Maio de 2014

(*) Antigas capivaras de Armínio Fraga podem ser lidas aqui e aqui também

.

.
.

Nenhum comentário :

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Golpe