sexta-feira, 21 de março de 2014

Quem comanda a Rebelião do PMDB, Por Jasson de Oliveira Andrade




O PMDB sempre apóia o governo, seja ele quem for. Apoiou Fernando Henrique Cardoso, Lula e agora Dilma. Nestas Administrações teve Ministros nomeados. Logicamente que sempre também houve discordâncias sobre esses apoios. Uma minoria. Então não existiu surpresa com a atual rebelião do PMDB contra Dilma. O curioso é quem comanda essa nova briga. É o que iremos ver.

         
O líder do PMDB é o deputado federal Eduardo Cunha. A jornalista Luciana Nunes Leal, na reportagem CUNHA TEM ELEITORADO EVANGÉLICO E ANTIDILMA – Líder do PMDB que comandou rebelião diz que “tensionamento” com petista ajuda sua imagem”, publicada em 16/3/2014, revela: “Carioca de 55 anos, Cunha calcula que os evangélicos representam metade dos 150 mil eleitores que lhe deram a quinta maior votação entre os deputados do Rio. “O eleitorado evangélico não gosta do PT. Quando há tensionamento (com os petistas) meu eleitorado evangélico gosta”, diz”. Pelo visto, o verdadeiro motivo dele comandar a rebelião do PMDB não foi o tratamento que a Dilma dava aos peemedebistas e sim essa manifestação de seu eleitorado. Apesar disto, ele elogia a presidenta, conforme a mesma notícia: “Em 2010, Dilma se comprometeu, em carta, a não enviar ao Congresso projetos sobre “aborto e outros temas concernentes à família”. (...) “Ela cumpriu o que prometeu, não há o que reclamar”, defende o líder peemedebista”. O curioso é que a jornalista revelou que o deputado Garotinho, também evangélico, e o deputado mais votado no Rio, além de candidato forte ao governo do Estado pelo PR, “é um dos muitos (sic) desafetos de Cunha”. No passado eram amigos (devido à religião), mas agora serão adversários em outubro. O líder do PMDB apóia o candidato Luiz Pezão, de seu partido. Sem comentário...

Haverá um rompimento do PMDB com a presidenta, que tem como vice Michel Temer deste partido? André Barrocal, na reportagem “O inimigo ao lado”, publicada na CartaCapital de 19 de março diz: “A liderança de Dilma nas pesquisas ainda sustenta a aliança”. Outra revelação do jornalista: “Segundo um dirigente petista, o PMDB ajuda a ganhar eleição e atrapalha governar”. Já o Estadão, no Editorial “O PMDB força a mão” (19/3), escreve: “Já se disse, mas não custa repetir: com aliados como esses, Dilma não precisa de inimigos”.

Não acredito que a rebelião vai prosperar. Ela já fez estragos no Congresso. Agora os “revoltosos” e governistas vão se acertar. Afinal de contas o “comandante” já colheu seus votos para a eleição de outubro... A ver!

JASSON DE OLIVEIRA ANDRADE é jornalista em Mogi Guaçu 
Março de 2014

.

.

Nenhum comentário :

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Golpe