domingo, 30 de março de 2014

Da série "Dá uma verba pública pra esse cara, dá..."



Estava eu enrolando, matando o tempo, numa revistaria enfincada dentro de um supermercado paulistano. Olha daqui, olha dali, hora de ir embora. E chego pra dona do estabelecimento:
- Dona Suely, vou pegar umas balas aí.
Bala de hortelã Santa Fé, dez centavos cada. 
Quando ia pagar, ela disse:
- Você me fez lembrar de um caso que aconteceu comigo ontem.
- É? E o que foi? - respondi, perguntando. Mal sabia eu que a resposta seria um nojo.
- Tinha um pai lá fora, olhando as capas dos jornais. Nem prestava atenção no filho. O menino entrou e pegou uma bala. E saiu.
- Ah, sei - respondi - típica coisa de criança, né? Aposto que o moleque pegou o papel e jogou no chão.
- Não. Ele deu pro pai. Eu tinha ido atrás e falei pra o pai ouvir: "Tem que pagar a bala!"
- E ele?
- Ele me deu UMA NOTA DE CINCOENTA REAIS!
- Tá brincando????, disse eu.
- Não!
- E você cobrou dali?
- Não! Eu falei "olha, de cinquenta reais não dá pra cobrar!"
- O cara quis pagar dez centavos com cinquenta reais????!!!

Nem preciso dizer que isso aconteceu em São Paulo, a orgulhosa capital bandeirate.

- É! Cincoenta reais!!
- E a senhora cobrou?
- Não, falei que não dava mesmo!
- E aí? Como que era o cara? Tipo malandrão?
- Nada! Bem normal, bem vestido, barbeado.
- Sei... Não passaria por malandro?
- Não!
- E aí?
- Quando eu disse que não dava pra tirar de R$ 50 reais, ele falou "Então dá pra passar no débito?"
- Ah, vaitomanocú, dona Suely!!!! Ele não queria pagar! Você não tirou dos cincoenta? Eu tirava! Ele te desafiou!
- Não... Eu não tirei dos cincoenta nem do cartão...
- Peraí... Ele quis pagar dez centavos no cartão?
- É...
- Tá brincando???
- Eu respondi que a máquina tava quebrada.
- E tá mesmo?
- Na verdade tá quebrada, eles ficaram de tocar até o dia primeiro...
- Mas pagar dez centavos no cartão???!! Ele te desafiou de novo, dona Suely! A senhora devia ter cobrado do cincoenta!!! E aí, como foi?
- Ele falou "eu vou ali comprar alguma coisa e depois eu venho pagar a bala!"
- E ai?
- Tô esperando até agora!, concluiu dona Suley, relatando mais esse caso que só poderia ter ocorrido em São Paulo, Capital.

.
.

Nenhum comentário :

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Golpe