domingo, 16 de março de 2014

A César o que é de César: A Copa, a Sabesp e o Haddad




Não me levem a mal. Eu sempre lembro com carinho da época em que estudava no primário. Eu era um excelente aluno, o típico aluno nota 10, e não tenho falsa modéstia ao me referir a esse passado. Só que essa maravilha toda ficou, repito, no passado. Reconheço que o brilhantismo ficou lá atrás. Quem me vê hoje e me conheceu lá naquela época não acreditaria que se trata da versão mais velha daquele moleque fudidão hahaha! 

Fazer o quê?

Eu me orgulhava, por exemplo de, em vários anos letivos, ter passado de ano em diversas matérias ainda no segundo bimestre. Passave-se de ano atingindo 18,5 pontos ao longo dos quatro bimestres, mas, era quase regra, em várias das matérias eu atingia 20 pontos nos dois primeiros bimestres. E passava os demais bimestres apenas cumprindo tabela. No final do terceiro bimestre eu já tinha garantido os 100% de aprovação. 

Era muito bom ter aulas de História, Geografia, fazer as provas e tirar 10 por saber distinguir o governo Federal dos Estados e estes do municípios. Os deputados federais dos estaduais. O poder Executivo, o Legislativo e o Judiciário.
Não entendia como vários dos outros coleguinhas não entendiam esses conceitos e tiravam notas baixas por não saberem direito aquilo que lhes era ensinado e perguntado.

Todo esse chatésimo blablabla confessional serve como introdução a uma conversa a qual testemunhei um dia desses, num comércio do bairro de classe-média remediada onde trabalho. Tinha ido pegar, numa revistaria, um jornal de bairro gratuito. Enquanto esperava o balconista/dono me conceder o hebdomadário local, aguardei ao lado do balcão, onde ocorria uma conversa que foi mais ou menos assim:

BALCONISTA/ DONO: - E onde eu moro, na Zona Norte, já tá tendo racionamento, SIM! Eles ( sic! ) dizem que não tem, que não vai ter, mas lá as torneiras secam lá pelas X horas e só volta bem tarde... Tá assim faz uma semana! Mas, sabem o que eu vi hoje, quando vinha pra cá?! A prefeitura tava lá com um caminhão pipa lavando a Prefeitura, a Subprefeitura lá do bairro!!

MULHER BEM APESSOADA QUE ESTAVA GASTANDO, PELOS MEUS CÁLCULOS, CERCA DE UNS 70 OU 80 REAIS EM REVISTA DE CULINÁRIA: - É, a Prefeitura fala pra gente economizar água, mas eles não dão exemplo!

OUTRA MULHER BEM APESSOADA QUE JÁ CONHEÇO DE OUTROS CARNAVAIS E QUE JÁ DEU MOSTRAS DE SABER QUEM É QUEM NA POLÍTICA NACIONAL, REVELANDO UM ÓDIO MORTAL PELO PT (*): - Prá ELES (sic! ), PROS POLÍTICOS ( sic! sic! ) não vai faltar água, mas pra gente, vai!

B/D: - Nãão, eles usam água mineral!!! E a gente é que paga!

AS DUAS MULHERES BEM APESSOADAS: - Hahahaha!

Uma das mulheres olhou pra mim, com cara de "e o senhor, grisalho, branco e de olhos azuis, não acha que a Prefeitura e os políticos etc...?", e eu respondi:

EU: - Bem, a SABESP, que é a estatal da água do Governo do Estado, que é subordinada ao Estado de São Paulo, então, É ELA que tá mandando a gente economizar água, não a Prefeitura. E o caminhão-pipa a que ele se referiu pode ser aquela água de reuso, como a que usam para lavar as ruas quando tem feira-livre. Sem ver, não tem como saber.

MULHER QUE ODEIA O PT E QUE SABE MUITO BEM QUE "OS POLÍTICOS" A QUEM DEVERIA DIRIGIR SUA RECLAMAÇÃO SOBRE ABASTECIMENTO DE ÁGUA SÃO OS DO PARTIDO EM QUEM ELA JÁ DEMONSTROU VOTAR EM SP: - É, mas os políticos, prá eles não falta água...

Sim. Como sabe que a responsabilidade pelo caos no abastecimento de água em SP é inteirinha da SABESP e do PSDB, a mulher resolveu usar o velho golpe do "todo" ( os políticos ) pela parte ( o PSDB de SP, o Governo Estadual ), já que esse discurso falso já se mostrou vencedor, sobretudo nas redes sociais. Na hora de apontar o "Mensalão", no entanto, ela sabe direitinho quem são os atores. Uma hipócrita e indignada seletiva, em suma.

MULHER DAS REVISTAS DE CULINÁRIA: - E vão fazer Copa "nesse País"...

Os gestores do Estado - que, em 2007, vibraram na FIFA com a vinda da Copa pro país, sabendo que o Estado não ficaria de fora na hora de se decidir os locais-sede onde ocorreriam os jogos - e que são os responsáveis tanto pelo abastecimento de água como pelo Metrô que não anda, agradecem muito essas omissões, "confusões" e esquecimentos.

Da minha parte, peguei meu jornal grátis, me despedi daquelas pessoas tão distintas e vencedoras e dei no pé. Aquela conversa me reforçou a certeza que tenho, há anos, de que saber a diferença entre Estado e Município não me rendeu merda nenhuma nessa vida. 
E lembro que os professores nos advertiam de que saber essas coisas nos ajudaria no Vestibular, e explicavam que redação sem pé nem cabeça levava bomba. Só se for na redação. Na vida e nas redes sociais, tanta desinformação - muitas vezes proposital - rende amizades e "Curti" de montão.


(*) Sim, às vezes eu voto no PT. Na maioria das vezes. Mas também já votei no Covas e no Ciro Gomes. E isso não altera os papéis: Estado é Estado, Município é Município. Ponto.

.



Nenhum comentário :

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Golpe