sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Crimes do valerioduto do PSDB ( maiores e mais antigos do que o suposto mensalão ) começam prescrever



A Justiça de Minas Gerais acatou pedido da defesa e decretou a prescrição dos crimes de peculato e formação de quadrilha pelos quais Walfrido dos Mares Guia foi acusado no processo do valerioduto tucano. A juíza Neide da Silva Martins, da 9ª Vara Criminal de Belo Horizonte, entendeu que as acusações prescreveram em 2012, quando o réu completou 70 anos.

"Tendo transcorrido prazo superior a oito anos entre os fatos e o recebimento da denúncia, declaro extinta a punibilidade do réu Walfrido Silvino dos Mares Guia Neto, qualificado nos autos, pela ocorrência da prescrição da pretensão punitiva do Estado", declarou a juíza.

O valerioduto tucano é como ficou conhecido o esquema de desvio de dinheiro público, em 1998, para a campanha do deputado federal Eduardo Azeredo (PSDB-MG), então candidato à reeleição ao governo do Estado.

Segundo a denúncia do Ministério Público, Azeredo se beneficiou de recursos procedentes de um esquema ilegal que envolveu a empresa de publicidade SMP&B, de propriedade do publicitário Marcos Valério. De acordo com as investigações, R$ 3,5 milhões foram desviados de empresas estatais mineiras para a campanha.

A denúncia contra Mares Guia, vice-governador na gestão tucana, foi recebida pelo Supremo Tribunal Federal (STF) em 2009, mas o processo foi desmembrado para que 14 envolvidos respondessem às acusações na Justiça mineira, que acolheu a denúncia em 2010. Pela lei, quando o réu completa 70 anos, o prazo para a prescrição dos crimes – de 16 anos entre a ocorrência do fato e a aceitação da denúncia – cai pela metade.

O atraso no andamento do processo, diferente do que ocorreu na Ação Penal 470 – que puniu líderes petistas, deve beneficiar também Cláudio Mourão, ex-tesoureiro da campanha tucana. Os crimes de peculato e formação de quadrilha, atribuídos a ele pelo Ministério Público, prescrevem em abril de 2014, quando o réu completará 70 anos. ( HORA DO POVO )

MEMÓRIA:

Ex-prefeito relata como o mafioso Cachoeira e Veja criaram a farsa do “mensalão” em 2005

.

Nenhum comentário :

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Golpe