quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Natal sem Chaplin ( Carlitos ), Por Jasson de Oliveira Andrade





Escrevi este artigo em 21/12/1996. No entanto, o texto é ainda bem atual. Como estamos às vésperas do Natal de 2013, vou transcrevê-lo. É a minha homenagem ao imortal Charles Chaplin ( Carlitos ). E também uma recordação do Papai Noel de minha infância. Que saudades!

“Quando criança, dois acontecimentos emocionavam-me. Natal e Carlitos.

Esperava com ansiedade o Natal. O que Papai Noel iria me trazer? No outro dia, acordava cedo e ia direto ao sapato. Lá estava o tão esperado brinquedo. Saia contente da vida e ia ao encontro de outras crianças, cada uma delas com o presente natalino.

Outro acontecimento me deixava alegre: os filmes de Carlitos, a imortal criação de Charles Chaplin. Divertia-me com suas tropelias. Milhões de crianças tinham o mesmo prazer, embora só mais tarde entenderíamos as suas magistrais mensagens. Vamos, então, falar um pouco desse genial cineasta, cuja morte aconteceu numa data oportuna: esse homem, que era a alegria da criançada, morreu a 25 de dezembro (1977), por feliz coincidência, justamente no Natal.

Os principais filmes de Charles Chaplin ( O Garoto, Em Busca de Ouro, O Circo, O Vagabundo e outros ) foram rodados nos Estados Unidos e a figura de Carlitos tornou-se mundialmente conhecida. Mesmo assim por suas idéias progressistas foi perseguido e, em 1952, expulso dos Estados Unidos. Só obteve permissão para voltar a esse país em 1972 [cinco anos antes de morrer], como convidado de honra [sic]. A Folha de S. Paulo (2/3/1985) comentou essa reviravolta na atitude norte-americana: “A América curvou-se humildemente diante do gênio. E até um Oscar especial a hipócrita Academia de Hollywood lhe deu”.

Mais um Natal sem Charles Chaplin. No entanto, Carlitos jamais morrerá, embora atualmente esteja um pouco esquecido. A morte dele, Chaplin, a 25 de dezembro (1977), praticamente não é lembrada pela mídia. Mas, felizmente, apesar desse “esquecimento”, suas advertências contra os abusos dos Tempos Modernos ( neoliberalismo, com desemprego ) e contra os ditadores ( veja o filme “O Grande Ditador”, uma sátira à Hitler ) permanecerão como um alerta”. Uma explicação necessária: Tempos Modernos é nome de um filme de Chaplin, onde Carlitos é um operário. Notável!
Se a mídia esquecer, esta recordação faz Justiça a Charles Chaplin ( Carlitos ), neste Natal de 2013!

JASSON DE OLIVEIRA ANDRADE é jornalista em Mogi Guaçu
Dezembro de 2013


.

.
















Nenhum comentário :

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Golpe