sexta-feira, 5 de julho de 2013

Vaticano discute religiosidade e crenças de personagens de gibis como Super-Homem e Hulk


Vaticano questiona: "Hulk é verdadeiramente católico?"

O diário do Vaticano, L´Osservatore Romano, questiona a religiosidade dos super-heróis e, num artigo intitulado "Hulk é verdadeiramente católico?”, analisa as crenças religiosas de personagens como o Super-Homem, entre outros.

O vespertino da Santa Sé, recorrendo a um portal de internet norte-americano sobre banda desenhada e que indica a religião de todos os super-heróis, pergunta se “basta ter um rosário nas mãos para definir uma pessoa como católica?”, destacando que Bruce Banner, o incrível Hulk, o homem verde, é casado pela igreja.
O diário precisa que Hulk “está casado com Betty Rossi e o enlace foi oficiado por um padre católico”, acrescentando que “outros sinais”, espalhados pelas centenas de tiras de banda desenhada, “revelariam inequivocamente a sua fé”, entre eles um em que o homem verde aparece com um rosário nas mãos.
Hulk não é um caso isolado, salienta o jornal do Vaticano, assegurando que, as personagens com poderes especiais que declaram explicitamente a sua fé não são uma minoria e que o número de livros de banda desenhada cujas personagens se declaram cristãs cresceu rapidamente nos últimos anos, dando o exemplo do filme do "Super-Homem", no qual se confirma a fé cristã metodista do jornalista Clark Kent.
O vespertino destaca que os super-heróis têm uma dupla natureza, humana e divina, com poderes que parecem versões atuais dos personagens da antiguidade, mas com caraterísticas diferentes, e que, “enquanto os primeiros eram corruptos, mentirosos e dedicados a satisfazer as suas próprias paixões, os de agora combatem as injustiças do mundo, a prepotência dos gananciosos e intervêm para restabelecer uma ordem momentaneamente perdida”.
O jornal do Vaticano reconhece que a maior parte dos super-heróis são, no entanto, cristãos protestantes e recorda que o protestantismo é a confissão mais difundida nos Estados Unidos da América, destacando o Homem Aranha, “um protestante convicto”, e o Capitão América, que “encarna os ideais dos Estados Unidos da América e que, numa tira recente de banda desenhada, admite que vai à missa todos os domingos”.
Entre os católicos destaca-se Selina Kyle, a Catwoman, que afirma não ser muito devota, apesar de ter uma irmã freira.
Do catolicismo do Vigilante Noturno dos X-Men não há dúvidas, assegura o diário, destacando que é o mais devoto de todas as personagens.
O vespertino enfatiza o cristianismo da maioria das personagens e refere que “uma das editoras, a Marvel, foi fundada em 1939 pelo judeu Martin Goodman e que a maioria dos autores de banda desenhada é judeu”.
O L´Osservatore Romano afirma que há alguns, como a Shadowcat, que usa um colar com a estrela de David e salienta que A Coisa, do Quarteto Fantástico, reza uma oração judaica tradicional, numa tira de banda desenhada de 2002.
O diário diz que, após esta viagem pelo mundo da banda desenhada, há que perguntar se tudo isto tem valor e afirma que o mundo de hoje precisa de “heróis positivos, impávidos e justos, que na eterna luta entre o bem e o mal sabem sempre de que lado devem estar”.
 “E se, por trás disso, existem motivações religiosas, ainda melhor”, conclui.


MAIS AQUI 

.

Nenhum comentário :

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Golpe