domingo, 30 de junho de 2013

Não importa os que os outros pensam



Como naquela música, eram dois amigos inseparáveis, desde muito jovens, até a presente idade média, ou seja, os quarenta anos. Gerson e Carlão. Carlão era o piadista. Gerson, quase sempre, a vítima. Ou era vítima das piadas - quasi sempre sem-graça - noutras tantas vítima de piadas, de trotes e gozações. Mas estas eram, na maioria das vezes, leves e pouco ofensivas.
Mas Carlão foi pegando um hábito meio chato que foi, ao longo do tempo, começando a incomodar Gérson. Bastava se encontrarem em locais públicos ou onde houvesse mais que 5 ou 6 pessoas presentes - um elevador, por exemplo - e Carlão tascava em alto e bom som:
- FALA, VIADO!
- Er... oi!, respondia clara e evidentemente sem-graça o Gérson.
Na padaria:
- FAAALA, VIADO! BELÊ?
- Fala, Carlão...
No ponto de ônibus:
- FAAAALAA, VIADO! VAI PRA ONDE?
- Ahn, er, pro Itaim...
- FALOU, VIADO, ATÉ MAIS!

Um dia, os amigos se encontram num bar de balada, aquele lance de caçada às fêmeas da espécie. Gérson já estava lá, bebendo algo. Carlão chegou depois. Ninguém tinha marcado nada. Se encontraram meio que por acaso. E, como sempre:
- FALAÊ, VIADO!!
- Heim, hãn, o quê?! Ah, você taí é?
- Acabei de chegar! E o que rola aí?
- Por enquanto nada...mas...Vem cá, é o seguinte...
- Que que foi?
- Olha, faz anos que a gente se conhece, né?
- "Anos"? Décadas, meu!
- Então. A gente é amigo há um tempão...
- Podescrê, passamo um monte de barra!
- Então acho que posso falar um troço que tá me incomodando.
- "Incomodando"? O quê? Tem a ver comigo?
- Não "tem a ver com você"! É "sobre você"!
- Euuu? Mas que que eu fiz!??
- Bom...( putz, que chato falar isso ) é...
- "É" o quê? Desembucha logo, meu!
- É esse lance de "viado" aqui, "viado" ali. "Fala viado!", porra isso me incomoda!!
- Ahhhmasporquê, meu? É só uma brincadeira, meu!
- Ah, mas já tá chateando!
- Mas é só uma brincadeira!
- É porque não é com você!
- Porra, não aguenta uma brincadeira? Que amigo eu fui arrumar, viu!
- "Que amigo" digo eu! A gente pede pra parar de fazer uma brincadeira sem-graça e o "amigo" fica estrilando!
- Ora, mas não tem mal nenhum!
- "Não tem mal nenhum"? Olha, não é de hoje que eu percebo olhares enviezados para mim. A mulherada deve estar acreditando que eu sou viado, de tanto que você fala isso!
- Mas como? Eu sei que você não é viado, catzo. Tá certo que você não é de ficar galinhando, xavecando, coçando o saco e falando bobagem pra mulher quando elas passam, mas até aí normal. Não tem nada de viado.
- Eu sei. Você sabe. Mas nunca se sabe. Mas de tanto ficar falando, vai que cola. Não é legal. Aí o povo pode começar a pensar coisas. De repente até aquele meio embonecado que trabalha na firma vai achar de ficar arrastando asa pra cima de mim...
- Ah, então é esse o problema? Você tem preconceito? 
- Não é questão de "preconceito". Trata-se das coisas como elas são. Certo é certo. Sem entrar no mérito. Se "ser gay" é certo ou não, isso é outra conversa. Se um quadrado é quadrado e um círculo é um círculo. Isso é que está em questão. Ocorre que os outros...
- Ah, o problema é o pensamento dos outros? Que que importa o que os outros pensam ou achem? "Paus e pedras quebram meus ossos, mas palavras não me atingem"...
- Ai, caramba!! Cabeça dura da porra! Olha, faz o seguinte: tô indo nessa! Pensa melhor nisso tudo, no que eu pedi, e outra hora a gente conversa. 
- Não, Gérson. Você é o que é, meu amigo. E eu sou o que sou. Espontâneo. Casca grossa. 
- Eu sei, Carlão. Nós somos amigos, isso não vai mudar. Mas tem que acatar esse simples pedido, cara!
- Sei não!
- Olha, eu tô indo. Depois a gente conversa! Falô, cara!
- Falou, viado!
- Hmmmpfff!

Num dia seguinte qualquer, os amigos irão se trombar na rua, em calçadas opostas, cada um indo na direção contrária do outro. Dito e feito. Carlão vê o amigo e berra:
 - E AÍ, VIADO?
Gérson fica puto e responde:
- Porra, cê é foda heim?
- HAHAHAHAHA! Falei pra você, meu. Desencana. O que os outros pensam a nosso respeito não nos atinge!

E cada um toma seu rumo.
Gérson olha para trás e vê que cerca de 20 torcedores de futebol dobraram a esquina, na calçada oposta a Carlão, que se dirige diretamente naquela direção. 
Gérson pára, olha pra multidão de torcedores e analisa o uniforme deles. São os fanáticos do Preto-E-Branco FC. Lembra dos inimigos fidagais destes, os torcedores igualmente fanáticos do Periquitos EC.

E grita pro amigo Carlão, que não gosta de futebol:
- CARLÃO!!!
Carlão pára, olha para trás e devolve o berro:
- O QUE FOI?
- VOCÊ VAI NO JOGO DO PERIQUITOS?




Nenhum comentário :

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Golpe