segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Criando personagens ( 3 ): Xandão e Wanda em: "Amor brutal"

Wanda era linda como ela só. Gata total. Fazia gay pensar em trocar de time.
Certa noite, Wanda estava num barzinho badalado, sozinha, coitada. No local,o clima era de azaração, de pegação. 
Estranhamente, ninguém abordara Wanda, que estava particularmente espetacular. Talvez pensassem que, por ela ser um mulherão, com certeza estaria acompanhada, e seu acompanhante estava atrasado. Só isso. Uma mina daquelas, sozinha, só se fosse por opção. Mas num lugar daqueles, tão convidativo?
Na verdade, em vez de estar ali, toda solícita e aguardando pela corte de algum rapaz ( nossa, que monte de expressões antigas! ), ELA é que estava na caça!
Mas não apareceu ninguém interessante. A maioria ou já estava acompanhada, ou estava se arrumando.
De repente, Wanda localiza Julinho, que havia chegado há uma hora e estava, desde então, sentado, desacompanhado, numa mesa meio escondida. Ele não estava lá pra paquerar, só queria beber alguma coisa e ver pessoas. Não estava na caça. 
Mas Julinho, tão descompromissado, provocou o interesse de Wanda. Que pegou seu drink e se aproximou da mesa de Julinho:
- Oi, colega! Você se incomoda se eu sentar aqui?
Antes que ele respondesse, ela continuou, estendendo a mão para Julinho:
- Sou a Wanda!
- O-oi, Wanda. eu sou o Julinho!
- Tudo bem? [ beijinho ] Tá sozinho aí? [ beijinho ]
- Er... [ beijinho ] Tô sim! [ beijinho ] Tô só olhando o pessoal, matando o tempo.
- Eu também, Ju.
Chamou Julinho de "Ju". Tornou-o íntimo.
E começaram a conversar.
( *** )
Conversaram poucos minutos sobre amenidades, gostos, desilusões. 
E Wanda apoiou a mão no antebraço de Julinho.
( *** )
De repente, tem início um tumulto: lá de fora vem uma série de berros, impropérios:
- Cadê ela? Vai me pagar! WANDA! WANDAAAAA!
Xandão, o namorado gigante de Wanda, entra no bar como um touro insano.
Como se fosse dotado de um sexto sentido, um sistema de radar, ou qualquer coisa do tipo, Xandão, o gigante e fortão namorado de Wanda vai diretinho na direção da mesa onde estavam Julinho e Wanda.
- Ai, caralho! É o Xandão, meu ex-namorado!
Sim, eu sei que escrevi acima que Xandão era o "namorado" dela.
Julinho se assusta. Até eu. Estava em paz quinze minutos antes e de repente tem um buldozer vindo na sua direção. E esse buldozer não parece ser do tipo que aprecia uma argumentação racional e ponderada.
E o buldozer, digo, Xandão, se aproxima da mesa, encarando Julinho:
- Então é você, filhadaputa, que tá comendo a Wanda? Eu segui você, sua vaca e a tua casa caiu!!!!
- Caiu nada, seu broxa! Eu e o Julinho estamos aqui numa boa, sem você pra atrapalhar! Volta pra tua mamãe, cuzão. O Julinho é que é HOMEM, não você! Eu é que sei!
Julinho olha surpreso. Surpreso, não. Estupefato. Que estaria ela insinuando? Parece até que ela confirmou pro namorado que ambos, Wanda e Julinho, estavam tendo um caso. "Mas acabei de conhecer essa menina!", pensou, completamente apavorado. 
- Que que é isso, Wanda? Que que você tá dizendo? Escuta aí, Xandão... eu acabei de conhecer essa Wanda, nunca vi antes!
Xandão levanta uma das mãos, como se fosse golpear alguém.
Wanda sai correndo em disparada, na direção da porta: 
- NÃÃÃOOOOOOO!
E foge, rua afora.
Julinho não tem a mesma sorte. Encurralado por Xandão. O público do bar assistindo a tudo. A turma do deixa-disso se manifesta:
- Que isso cara! Briga não resolve nada!
- Ô grandão, deixa o cara aí. Ele tava sozinho de boa e foi abordado pela mina. Ela que veio trocar idéia.
- PeloamordeDeus, briga não!
O dono do bar liga pra polícia, mas até ela chegar...
Xandão, roxo de ódio, quer briga, quer reparação.
( *** )
Julinho avalia suas chances. Xandão, forte como um rinoceronte, iria dizimá-lo. Muita gente em volta, tumulto, não parecia haver como escapar dali.
Ele tenta argumentar, ganhar tempo:
- Olha, ô Xandão... eu não tenho nada a ver como essa mulher. Eu estava aqui na minha, tomando minha cerveja. ELA é que se chegou. e...
Não completou a frase. Um murro o fez engolir as palavras. Voou longe, caindo sobre uma mesa. Voaram copos, canecas, garrafas e batatas fritas.
AHHHHH!!!
OHHHH!
OLHA A BRIGA!
SAI! SAI!
Começa um tumulto de verdade. Gente correndo, atropelando garçons, derrubando mesas. Gritos. 
Xandão pega Julinho e começa a bater sem parar.
AJUDEM O RAPAZ!
ÔÔ GRANDÃO, A GENTE CHAMOU A POLÍCIA! MELHOR PARAR COM ISSO!
DEIXA O RAPAZ AÍ, BOMBADÃO IGNORANTE!
( *** )
A surra dura alguns minutos. 
Xandão foge atopelando todo mundo. Ninguém vai atrás. Vão ajudar a vítima, que sangra.
Xandão corre até a rua de trás do bar, onde deixara o carro. 
Entra no carro, dá a partida, e foge dali. 
( *** )
Horas depois, no motel, Xandão está fumando. A seu lado, na cama, Wanda diz:
- Não falei que ia ser ótimo? Você foi espetacular!! Meu macho!
Xandão se sente culpado. Foi no embalo de Wanda e agora se arrepende:
- Pô, Wanda, coitado do cara!
- Ahhh, vai dizer que você não gostou? 
- Gostei do que a gente fez agora, mas não acho legal o que fizemos no bar. O carinha tava sossegado e a gente foi estragar o dia dele. Acho que o cara perdeu até uns dois dentes.
- Uhhh, vai chorar, bichona?
- Não é isso! 
- Você não me ama?
- Amo!
- Você não ama isso tudinho?, pergunta, apontando pra si, pro seu corpo, pros seios.
- Amo!
- Então a gente tem que fazer umas loucuras, pra manter a chama acesa, apimentar a relação...
- Mas tem que envolver os outros nessas suas fantasias?!
- Eu gosto de realismo, Xã! Se você não quiser mais, eu posso arrumar outro e...
- Não, não, não! A gente vai fazer como você quer.
- Bom menino!
( *** )
- Xandão, tá dormindo?
- Mumfff. Não, não tô! Quié?
- Sabe aquele barzinho que inaugurou na Vila Madalena...?

Nenhum comentário :

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Golpe