segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Batalha de Médiuns fascina russos



Embora às vezes gostássemos de correr precipitadamente para a primeira cigana que encontrarmos com um baralho de tarô em suas mãos, uma voz interior diz-nos que  seremos certamente aldrabados. E o que diria se lhe propusessem ver na televisão do que são capazes pessoas com poderes sobrenaturais?
Foi exatamente para os céticos que foi criada a "Batalha de Médiuns" – um programa do canal de televisão russo TNT. Nele, pessoas que se dizem com capacidades paranormais, tentam convencer milhões de telespectadores de que realmente têm esse dom especial. A primeira edição do programa foi lançada em 25 de fevereiro de 2007, e no início de 2013 terminou já a 13a temporada da série, que tem feito imenso sucesso na Rússia.
Os participantes eram selecionados em castings especiais: os candidatos tiveram que passar por uma série de testes. Nos primeiros testes de verificação é necessário adivinhar o que está escondido numa caixa ou por trás de um biombo. Por trás do biombo, os produtores do programa podem colocar um manequim simulando uma pessoa e os “candidatos a médiuns” falam de sua “vida” cheia de privações e terríveis sofrimentos. Ou podem colocar uma pessoa verdadeira, dizendo que é um “manequim”. Assim são eliminados falsos “videntes”. Na segunda fase, os médiuns têm de encontrar, em 30 carros, uma pessoa escondida num único porta-malas. Como resultado, apenas 8-10 médiuns participam nas “batalhas” finais (na última, 13ª temporada eles eram 13).
Mas por quê batalha? Porque a capacidade dos médiuns de fazer “milagres” e o impossível deve ser verificada pelos participantes do programa, os telespectadores que buscam ajuda dos médiuns nas situações mais improváveis. Por exemplo, precisam de encontrar uma pessoa, um objeto ou identificar a profissão ou ocupação de alguém. Se propõe aos médiuns de dizerem quem tomou drogas, teve um acidente, esteve preso, que tatuagens tem no corpo. A tarefa mais difícil são as trágicas histórias de quem pediu ajuda ao programa. Os participantes têm de lhes contar os detalhes da morte ou do desaparecimento de seus entes queridos.
Por exemplo, os três melhores amigos de um telespectador, durante um ano, morreram em acidentes de carro um após outro. Ele temia que o mesmo destino o aguardasse. Inicialmente, aos médiuns só eram mostradas fotos. Todos os médiuns não só determinaram quem nas fotografias estava morto e quem estava vivo, mas também contaram detalhes que o espectador tinha preferido esconder. Pouco antes do início da inexplicável série de mortes, todos os quatro tinham cometido um ato de vandalismo num cemitério. Então o que foi? Uma vingança divina ou uma trágica coincidência?
Em cada semana é eliminado um médium. Os nomes do pior e do melhor participantes da semana são apresentados por um júri, após discussão, em envelopes preto e branco. No final, devem ficar os três melhores. Os telespectadores depois escolhem por voto direto o melhor “mestre de ciências ocultas, vencedor da Batalha de Médiuns".
Vitali Gibert, o vencedor da 11ª temporada, diz que o show é uma grande oportunidade para testar as suas capacidades e se testar a si mesmo:
“Depois de ter vencido no show, a minha vida mudou muito. Eu comecei a viajar muito pelo mundo, visitei o Tibete. Agora, eu já não recebo clientes pessoalmente. Pelo contrário, eu ensino as pessoas que tudo está em suas mãos e que, para lidar com os problemas, não é necessário pagar a adivinhos e médiuns. Eu os ensino a modelarem seu futuro, rejeitando os medos e estereótipos. Nós próprios construímos obstáculos em nossos caminhos. Atraimos as pessoas erradas, as situações de vida erradas. Eu acho que para alimentar um faminto é preciso dar-lhe uma vara de pesca e não um peixe. Recentemente, foi publicado o meu livro “Modelando o Futuro”. Eu acredito que ele pode mudar a vida de muitas pessoas para melhor. Afinal de contas, somos só nós que criamos a nossa própria realidade e modelamos o nosso futuro.”
Cada um decide por si do que realmente são capazes os médiuns que participam no programa. No entanto, pessoas com poderes sobrenaturais existem e o mundo é muito mais interessante e versátil do que pensamos. ( VOZ DA RUSSIA )

Nenhum comentário :

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Golpe