quarta-feira, 8 de junho de 2011

Comemorei antes do tempo: as notícias que apontavam o aumento de câncer no cérebro pelo uso de celulares aparentemente foram um pouco exageradas!

Celular está na mesma categoria de risco de câncer que café e TV
Se você ficou nervoso com a notícia do estudo da OMS que possivelmente ligava celulares ao câncer cerebral, pode se acalmar. O telefone móvel esta em uma classificação internacional na mesma categoria de outros elementos como o café e até mesmo a televisão - eles são suspeitos de causar problemas, mas nada que seja comprovado.
"A classificação provém dos níveis utilizados na análise de trabalhos científicos da 'Medicina Baseada em Evidências', cujas categorias são de I a V", explica o chefe do serviço de oncologia clínica do Hospital Santa Casa de Porto Alegre, Rodolfo Coutinho Radke.
O médico explica que estudo indica que o celular está na categoria II-B. O primeiro dígito, afirma Radke, tem relação com as evidências descobertas, sendo o nível I o de maior grau e o nível IV, de menor. O segundo dígito determina a recomendação para a conduta que os médicos devem seguir. Na categoria B, apesar de as evidências serem geralmente consistentes [ grifo nosso, aqui e acolá ], o poder resolutivo é baixo, ou seja, não é suficiente para fazer recomendação de conduta aos médicos. Nas categorias C e D as evidências são consideradas inconsistentes cientificamente.
Profissionais da saúde que questionam publicamente a validade do estudo, como o médico britânico Ben Goldacre, apontam alguns dos problemas. O fato de o tipo do câncer em questão ser muito raro - 10 casos em cada 100 mil - afeta o método de pesquisa. Quando se trata de um problema comum, como doenças cardíacas, reúne-se milhares de pessoas que terão analisados fatores tidos como relevantes, tais como fumo, dieta e resultados de testes sanguíneos.
Depois de alguns anos, verifica-se quais delas tiveram a doença. Este método não funciona para tumores deste tipo, pois não serão observados casos suficientes para associar as possíveis causas. Nos casos de tumores raros, é utilizado o estudo de caso-controle retrospectivo, onde pessoas com a doença são investigadas para saber se foram expostas a fatores de risco. "Esses estudos são vulneráveis à fragilidade da própria memoria. Se eu perguntar para alguém que tem um tumor do lado esquerdo da cabeça 'qual o lado que você mais utilizou o celular há dez anos atrás?', ela pode ser levada a responder 'esquerdo'", argumentou Goldacre em um artigo recente publicado no jornal britânico The Guardian.
A exposição é outro fator a ser considerado. Um dos estudos sobre o assunto traz 10 casos que teriam uso diário de mais de 12 horas, algo fora do comum. "A recomendação clássica 'use, mas não abuse' cabe bem como orientação às pessoas. Sabe-se que a radiação eletromagnética de explosões de centrais atômicas origina cânceres no futuro, porém esta radiação é infinitamente maior que a recebida de um aparelho celular. A propósito, a radiação de um wireless, amplamente utilizado no uso de computadores, é também do mesmo gênero, e o tempo de exposição das pessoas é maior que o celular, devendo ser classificado como de risco", diz Rodolfo Coutinho Radke.
Dando tempo ao tempo
Resultados mais concretos estarão disponíveis daqui a uma década, quando a popularização do celular completar 30 anos. Mas até o avanço das telecomunicações impõe dificuldades para o estudo dos efeitos do telefone móvel, já que os transmissores de 20 anos atrás eram bem mais potentes, e poderíamos estar avaliando os impactos de uma tecnologia já irrelevante.
A publicação da pesquisa da OMS, realizada por 31 cientistas de 14 países, deverá acontecer na revista médica inglesa Lancet no mês que vem. "Aí poderemos analisar o estudo na íntegra, porque estas informações publicadas até o momento são vazamentos para a imprensa leiga ( * )de um assunto de grande repercussão, sem conhecimento específico".
"Saliente-se que um estudo encomendado pela própria OMS, publicado no ano passado, não demonstrou elo entre uso de celulares e aumento de incidência de gliomas cerebrais. São necessárias mais pesquisas para termos nível I de evidência e podermos fazer uma recomendação A. Inclusive, acho que os estudos deveriam ser patrocinados pelos fabricantes de celulares ( ** ) , uma vez que a possibilidade de processos judiciais contra os mesmos será inevitável, em caso de comprovar-se elo causal", opina Radke.
Fonte: Jb Online /
Portal do Consumidor


( * ) Então fica assim: se você for "leigo", deverá apenas resignar-se em sua ignorância e seguir consumindo aquilo que os cientistas, experts e especialistas isentos determinarem, pois são os sacerdotes do saber supremo, representantes autorizados dos deuses na terra, haja vista seu linguajar hermético de compreensão apenas a alguns escolhidos. Como se sabe, todos os cientistas e pesquisadores seguem apenas sua curiosidade científica e a busca pelo saber, sem entrarem no mérito pecuniário e nem obedecem a princípios remuneratórios. São todos Teslas mal compreendidos.

( ** ) Eu não deveria pensar assim, mas tenho uma puta má vontade com tais pesquisas. Eu sempre acho que são apenas documentos que reiteram aquilo que a propaganda diz e as empresas mandam, uma chancela científica remunerada justamente pelos interessados no comércios das traquitanas.

Nenhum comentário :

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Golpe