sexta-feira, 20 de maio de 2011

And now, for something completely evidente: "A Indústria da Multa não existe". Novos casos. Drama. Violência. Terror!

Nada como uma consultada ao noticiário local - ou micro -, ou seja, aos jornais de bairro que testemunham e registram os eventos, para saber como anda o comportamento do meu povo paulistano que tanto estimo. As notícias não são nada animadoras, mas há surpresas.

POR CAUSA DE OBRA MALFEITA, MOTORISTA SE DÁ O DIREITO DE ANDAR NA CONTRAMÃO.
O texto a seguir foi publicado no glorioso jornal Folha de Vila Prudente, na edição de 13 de Maio último. Como não quero dar mais detalhes ou pistas sobre minha pessoa, farei alterações no texto que impedirão o reconhecimento do local onde os fatos foram constatados sem, no entanto, mudar o principal. Além disso, os textos poderão ser resumidos, por absoluta preguiça minha.

Motoristas usam a contramão em via refeita pela metade
Quem utiliza a rua Professor Jacu Monturo, na Vila Carolínia, deve redobrar a atenção. Após obra da Sabesp, no final do ano passado, a via recebeu o serviço de recapeamento em apenas um dos sentidos. Assim, para se livrar das ondulações no lado que não recebeu a melhoria, motoristas invadem constantemente a contramão, gerando situações de risco no trecho.
Moradores da via contam que já presenciaram colisões e atropelamento por conta da imprudência
( sic ).
( ... )
Quem também está indignado ( sic ) é o comerciante Mané Gargalo, que reside há doze anos na rua. "Se os motoristas andam na contramão, é por causa da irresponsabilidade no serviço de recapeamento ( sic ),
que foi realizado pela metade. Por que não aproveitaram e colocaram asfalto novo em toda a via?", questiona.
Nesta semana a reportagem esteve na rua Professor Jacu Monturo e em poucos minutos no local presenciou mais de dez carros trafegando em alta velocidade pela contramão.
( ... )
FIM

Depois da leitura acima, onde um cidadão de bem, gente comum, pagador de impostos, e blablabla canalhisticamente justifica a canalhice dos motoristas simplesmente culpando o serviço malfeito ( que também prejudica os pedestres que, no entanto, se andarem na contramão como protesto serão atropelados ) vamos a outro registro, desta vez publicado no glorioso
IPIRANGA NEWS, na edição desta semana, 20 de Maio:

Motoristas não respeitam leis de trânsito
Nem mesmo as campanhas de conscientização para que os motoristas parem antes da faixa para que o pedestre atravesse a via com tranquilidade foram suficientes para diminuir o número de acidentes de trânsito. O fato foi constatado em uma pesquisa realizada pela CET em diversos pontos da cidade. Na região do Ipiranga, a cena não é diferente. O descaso com a sinalização na pista é nítido por parte dos motoristas, o que acaba sendo uma ameaça a vida do pedestre. Basta observar os diversos cruzamentos do bairro e logo será constatado que 90% dos motoristas não respeitam as regras de prioridade do pedestre
.
Pedestre é desrespeitado no bairro


Apesar das inúmeras campanhas de conscientização para que os motoristas parem antes da faixa para que o pedestre atravesse a via com tranquilidade, poucos fazem isso. O fato foi constatado em uma pesquisa realizada pela CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) em diversos cruzamentos do centro expandido da cidade e apontou que 89,6% dos motoristas que passaram por um cruzamento no momento em que um pedestre tentava atravessar a via desrespeitaram a regra de prioridade ao pedestre.
Na região do Ipiranga, a cena não é diferente. A reportagem do Ipiranga News observou dois cruzamentos da rua Silva Bueno. A primeira parada escolhida foi a rua Labatut, esquina com a Silva Bueno. O descaso com a sinalização na pista é nítido por parte dos motoristas.
De 20 veículos, apenas dois pararam na faixa respeitando a sinalização. Ou seja, 90% dos motoristas não respeitaram as regras de prioridade do pedestre.
Já na segunda parada, na rua Lima e Silva a situação é ainda pior. Dos 20 carros que pararam no semáforo, apenas um respeitou a faixa. Para agravar o problema, um veículo estava estacionado em cima da faixa de pedestre, um pouco depois da placa que indicava “proibido estacionar”.
O comerciante Carlos Barros, de 32 anos, faz o trajeto de casa para o serviço de veículo, mas durante o dia caminha pelo bairro a pé. Ele afirmou que o respeito à faixa de pedestre por parte dos motoristas ainda é muito pequeno. “Tem situações que o veículo realmente ocupa a faixa toda, temos que passar por trás do carro. Os condutores não têm o hábito de pararem na faixa”, disse.
As justificativas dos condutores para não respeitarem a prioridade de travessia do pedestre são as mais variadas como veículos “colados” na traseira, situações de emergências (ambulâncias, viaturas policiais) e principalmente a violência no trânsito no período noturno. “Quando o lugar em que estou parado é perigoso, ocupo uma parte da faixa de pedestre”, afirmou o taxista José Valadares.
Os pedestres são as principais vítimas de acidentes de trânsito na cidade. Em 2010, 630 pessoas morreram atropeladas. O número de vítimas de acidentes que estavam em carros, motos ou caminhões é bem menor.
Enquanto os condutores esquecem que a preferência é de quem está a pé, pessoas como a vendedora Ana Alice afirmam se sentir desrespeitadas pelos motoristas, seja por terem a passagem interrompida por eles ou pelo uso de ameaças como a intensificação da aceleração dos carros e o uso de buzina durante a passagem do pedestre. “Temos que correr mesmo com o farol aberto para nós”, relatou.
A pesquisa da CET também tentou identificar quantos condutores indicam com antecedência a intenção de fazer a conversão, acionando a seta. Em uma amostra de 12.328 veículos, 68,3% dos motoristas sinalizaram o caminho.
FIM

SURPREENDENTE! INCRÍVEL! INACREDITÁVEL! SOBRENATURAL! População de bairro pede presença de amarelinhos da CET nas ruas!
Depois de anos, tratados pela população insuflada pela mídia como agentes usurários e mercenários desalmados, os amarelinhos são solicitados por parcela da população de uma bairro, cansada dos desmandos autoritários e fascistas dos motoristas.
Esse caso insólito foi registrado pelo glorioso
JABAQUARA NEWS, e será trasncrito aqui neste modesto blog.

Moradores reclamam do trânsito caótico
Revoltados com o descaso no trânsito e a falta de segurança dos pedestres, moradores compareceram ao Conselho de Segurança Comunitário ( Conseg ) Jabaquara para pedir socorro às autoridades. A população afirma que o bairro foi abandonado pela Companhia de Engenharia de Tráfego - CET o que passou a ser um problema diário para a região. A ausência de um agente da CET nos encontros do Conseg e nas ruas do bairro foram apontados como principais motivos para o desrespeito dos motoristas e o aumento das infrações de trânsito. ( ... )
Sinalização da CET é precária
Além das saidinhas de banco e assaltos a mão armada, que continuam acontecendo no Jabaquara e aterrorizando a população, agora o caos em que se transformou o trânsito da região, também passou a ser um problema para os moradores.
Cansados de recorrer a CET ( Companhia de Engenharia de Tráfego ) e nunca obterem respostas, um grupo de moradores do Jabaquara compareceu ao Conselho de Segurança Comunitário ( Conseg ), na noite de segunda-feira (16), para pedir ajuda as autoridades e encontrar uma solução para diminuir o caos que se encontra o trânsito do bairro e solicitar sinalização correta nas vias.
“Não aguentamos mais a bagunça que está o bairro. Não temos segurança nenhuma. Os motoristas não respeitam o pedestre e não existe uma sinalização para conter esse abuso. A alta velocidade também é um problema que está causando acidentes
[ NOTA DESTE BLOG: Como se sabe, as pessoas andam em alta velocidade se lixando para os outros por causa dos maus espíritos que se apoderam de seus corpos; estes demônios obrigam as boas e caridosas pessoas a tornarem-se assassinos potenciais; logo, nem alta velocidade e nem andar na contramão são culpa das pobres pessoas obsediadas ]
reclamou exaltada uma moradora referindo-se a avenida Alba, onde há pelo menos dois anos eles brigam para que seja implantada uma rotatória.
De acordo com os relatos de moradores, eles vêm reclamando insistentemente sobre a falta de fiscalização e solicitando um estudo sobre a possibilidade de proibir a circulação de alguns ônibus em vias estreitas do bairro, além da fiscalização de agentes da CET em praças da região, pois os locais estão sendo utilizados normalmente para estacionamento, causando grandes transtornos ao tráfego, bem como proibir que os veículos estacionem sobre a calçada.
[ N.do Blog: Ou seja, a solução, segundo a ótica dos moradores, é a PRESENÇA DE AMARELINHOS NAS RUAS. Vão esperando:
São Paulo tem 1/3 da quantidade de agentes de trânsito de Cidade do México, ou o equivalente a metade dos que atuam em Manhattan ]
“Quando nos atendem só escutamos que as nossas reclamações geraram números de processos que sempre estão em análise. É difícil de ver no bairro até viaturas da CET passando pelas vias”, relatou uma comerciante.
A população completa dizendo que a ausência de um agente da CET nos encontros do Conseg e nas ruas do Jabaquara contribuem para aumentar as infrações de trânsito e consequentemente elevam o número da violência causada pela inexistência da sinalização correta no bairro. “O pedestre arrisca sua vida todos os dias”, comentou um morador que foi reclamar da falta de fiscalização da companhia principalmente nas ruas que existem escolas. “As vans escolares param em fila dupla interditando o trânsito e prejudicando a visibilidade dos pedestres que precisam atravessar a rua”, reclamou um morador citando a rua das Rolinhas, onde está localizado a creche Casimiro de Abreu.
Durante a reunião, a chapa atual do Conseg composta pela presidente Miriam Eboli Bock foi reeleita por mais dois anos de mandato. Presente na reunião, o novo delegado do 97° Distrito Policial Marcos Antônio Manfrin foi apresentado a comunidade. O próximo encontro do Conseg será dia 20 de junho, às 19h30, na praça 2 de Setembro.
FIM







Nenhum comentário :

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Golpe