terça-feira, 19 de abril de 2011

"A Indústria da Multa não existe" em: O importante é não ser pego

Na TV passou acho que era uma propaganda dum equipamento. A mulher tá no carro, pega o tal objeto eletrônico, cola ( foi o que eu vi ) no párabrisa pelo lado de dentro. O construto elimina a "necessidade" de se falar ao celular enquanto você dirige. É como se fosse uma espécie de viva-voz wireless ou sei-lá-o-quê. Mas o interessante é a locução. O narrador diz algo como "Use esse produto e EVITE PERDER PONTOS NA CARTEIRA OU SER MULTADO".
Corta prá outro cenário: na fachada de uma espécie de clone de loja da Rede Zacarias no bairro onde moro foi afixado o aviso preocupado. Algo assim como "SR.CLIENTES - EVITEM ESTACIONAR SOBRE A CALÇADA - SUJEITO À MULTA".
O que ambas as mensagens têm em comum? Nenhuma delas faz menção àos problemas causados pelos motoristas que falam ao celular enquanto dirigem, ou que estacionam nas calçadas. A placa, por exemplo, deveria dizer, no lugar de "sujeito à multa", "evite causar transtornos aos pedestres", que é o correto.
Assim, o que convenceria as pessoas a não agirem no trânsito como os lixos que são não é a vergonha de atrapalhar a vida do pedestre ou apresentar riscos ao próximo, mas sim, o risco de ser apanhado, multado e perder pontos na carteira. O que, em São Paulo - já provei isso neste blog - é quase impossível. No caso da loja de pneus, tenho certeza que o que os levou - já tem uns 3 anos - a "advertir" seus clientes com aquela placa, foi que a CET devia estar marcando em cima e muitos destes clientes devem mesmo ter sido multados. Agora, puxando pela memória, lembro que cansei de chamar a CET para fiscalizar aquele local, creio que com um índice de aproveitamento bastante alto. Legal.

Nenhum comentário :

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Golpe