terça-feira, 26 de abril de 2011

Assassino da al-Qaeda trabalhou para o MI6, serviço secreto britânico, revela "The Guardian"

Um alegado membro da al-Qaeda, suspeito de ter bombardeado um hotel de luxo e duas igrejas no Paquistão, em 2002, foi informador dos serviços secretos britânicos MI6, de acordo com ficheiros secretos a que o Wikileaks teve acesso.
Adil Hadi al Jazairi Bin Hamlili esteve detido na cadeia norte-americana de Guantanamo, entre 2003 e 2010, altura em que foi repatriado para a Argélia.
A informação é avançada pelo jornal britânico ‘The Guardian’, que afirma ter tido acesso aos ficheiros secretos do Wikileaks, nos quais Adil Hadi al Jazairi Bin Hamlili é referenciado como uma assassino ao serviço da al-Qaeda. Para além disto, os serviços de informação norte-americanos suspeitam ainda que a mesma pessoa também foi um informador dos serviços secretos britânicos.
Estas revelações surgem ao mesmo tempo que o jornal ‘The Daily Telegraph’ revelou outros documentos secretos que revelam que Londres seria o ponto central de uma rede de terrorismo de nível mundial. Os referidos documentos, alegadamente também com origem no Wikileaks, apontam ainda a mesquita de Finsbury Park, no norte de Londres, como um “paraíso” para os extremistas.
O ‘The Guardian’ refere ainda que Hamlili foi descrito nos relatórios de Guatanamo como informador, correio, raptor e assassino ao serviço da rede terrorista al-Qaeda. Mas apesar das acusações, Hamlili nunca foi levado a julgamento e, apesar de se saber de que foi repatriado para a Argélia, não há informação sobre se continua sob custódia ou não.
A Wikileaks divulgou, no fim-de-semana, 759 ficheiros com informações sobre prisioneiros de Guantanamo. Estas informações colocam o MI6 numa posição sensível, evidenciando que os serviços secretos britânicos subestimaram algumas das pessoas que recrutaram.

( CM )

Nenhum comentário :

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Golpe