segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Ecce povo: "Segurança" uma porra! Brasileiro mete bala no outro só pra ter razão!!

BRASIL
Líder em crimes por armas de fogo
O Brasil tem hoje 16 milhões de armas de fogo, sendo que 80% estão nas mãos de civis, e ocupa o primeiro lugar no ranking de crimes por arma de fogo no mundo, com 34,3 mil homicídios anuais. Para especialistas da área de segurança pública, esses números são reflexo das brechas oferecidas pela legislação brasileira.
Esses números fazem parte do Mapa do Tráfico Ilícito de Armas no Brasil e o Ranking dos Estados no Controle de Armas, levantamento recente, divulgado pelo Ministério da Justiça em parceria com a ONG Viva Rio.
Desse total, 14 milhões de armas (87%) estão nas mãos de civis e 2 milhões com o Estado, ou seja, 13% do total apurado. O número reflete o crescimento da compra de armas de fogo por civis no Brasil.
Além disso, no Brasil, segundo o Ministério da Justiça, 80% dos crimes cometidos com armas de fogo dizem respeito a conflitos pessoais como briga de vizinhos e no trânsito, motivação passional, entre outros. Ou seja, as armas de fogo estão sendo usadas para resolver problemas pessoais, e não por questão de segurança [ DESTAQUE NOSSO ].
Depois da aprovação do comércio de armas no referendo nacional, em 2005, as vendas de armas no país cresceram 70%, segundo a Diretoria de Fiscalização de Produtos Controlados (DFPC) do Exército. Só em 2009, foram vendidas 116,9 mil armas, quase o dobro de 2005.
(
SUPER NOTÍCIA )

Lulão reinaugura o "Vila Euclides". Evento contou com a presença do SCCP!

Ex-presidente Lula reinaugura o Estádio 1º de Maio
O ato precedeu o jogo do time da casa contra o Corinthians

Antes da partida entre São Bernardo e Corinthians, na noite deste domingo (30/01), o ex-presidente da República e morador-símbolo da cidade, Luiz Inácio Lula da Silva, protagonizou o ato de reinauguração do Estádio 1º de Maio, reformado especialmente para o acesso do Tigre à primeira divisão do campeonato estadual.
Lula recebeu uma camisa do São Bernardo com o seu nome e o número 13, além da carteirinha de sócio nº 1 do clube. Na ocasião, o ex-presidente estava acompanhado do prefeito de São Bernardo, Luiz Marinho, do vice-prefeito Frank Aguiar, do presidente do Tigre Luiz Fernando Teixeira e do secretário de esportes do município, José Luiz Ferarrezi.
Visivelmente emocionado, Lula falou sobre a felicidade de participar deste momento de acesso do time e da reinauguração do estádio na cidade que o viu crescer. “É uma honra poder presenciar uma data tão significativa para esta cidade, espero que seja o começo de uma etapa vitoriosa”, falou.
Já o presidente do clube, Luiz Teixeira, falou sobre a identificação da cidade com o metalúrgico que chegou à presidência da República. “Queremos que a cidade tenha o sucesso que ele alcançou na sua vida política. É um exemplo de cidadão para todos os brasileiros e um orgulho para nossa cidade”.
(
ABCDMaior )

domingo, 30 de janeiro de 2011

Presidente provoca duas paradas cardíacas em criança!!!

Notícia publicada no portal O DIA: Menino alérgico a nozes tem duas paradas cardíacas por comer bombom com avelã mostra um clamoroso erro de revisão, que não passou batido por nossos audazes e atentos olhos de águia.

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Acharam o dono do piano encalhado em praia americana

Desvendado mistério do piano na baía de Miami
Foi abandonado por um estudante, depois de gravar um vídeo para entrar numa escola de artes
Está desvendado o mistério do
piano que apareceu num banco de areia na baía de Miami , nos Estados Unidos. Foi abandonado por um adolescente de 16 anos, depois da gravação de um vídeo para poder entrar numa escola de artes.
O misterioso piano que apareceu num banco de areia em plena baía de Biscayne, Miami, no meio do mar, chamou a atenção de todo o mundo.
O jovem de 16 anos colocou o piano no meio da baía de Biscayne, com a ajuda do pai, para gravar as últimas cenas de um documentário, que começou dois dias depois da passagem de ano com esta cena envolvendo o piano o jovem e fogo. Depois de gravada a últimas imagens do vídeo o jovem artista resolveu deixar a sua marca em Miami durante alguns dias.
Depois de alertados pelas autoridades costeiras, o jovem artista e o seu pai resolveram retirar o piano e leva-lo para casa, pondo um ponto final no mistério do piano de Miami. ( TVi24 )
É DISSO QUE FALÁVAMOS ACIMA:

Parece história de Edgar Allan Poe: pesadelos horrendos com suas vítimas levam assassino a se entregar à polícia

Assombrado pelos espíritos das vítimas, assassino se entrega
Fantasmas voltaram do além para infernizar a vida do marginal
As almas de três pessoas mortas a machadadas pelo mesmo homem voltaram do além para puxar o pé do assassino. Perturbado pelos pesadelos - nos quais era executado pelas vítimas com a mesma arma que usou no crime -, o bandido resolveu pedir proteção à polícia. Ele se entregou segunda-feira em uma delegacia de Gravataí (RS).
"Ele chegou perguntando o que acontecia com quem comete homicídios. Conversamos um tempo, até que ele relatou que cometeu triplo homicídio e vinha tendo pesadelos com as vítimas. Sonhava que elas o matavam a machadadas, como haviam sido assassinadas", disse ao site G1 o delegado Anderson Spier.
O assassino descreveu como havia cometido os homicídios, que ocorreram em dezembro do ano passado, em Palhoça (SC). Segundo o relato, ele e dois comparsas mataram, a machadadas, três turistas que estavam dormindo em uma barraca de acampamento. Os corpos foram enterrados nos fundos de uma casa, e o carro das vítimas foi roubado.
O homem, então, foi entregue à polícia de Santa Catarina e ajudou os agentes a localizar os corpos. "As ossadas foram encontradas exatamente no local apontado pelo suspeito e, depois da sua prisão, os outros dois suspeitos de participar dos crimes também foram localizados, em Palhoça", contou o delegado Spier.
(
MEIA HORA )

REMORSO, NA ESTÓRIA "O CORAÇÃO DELATOR":

Ratzinger assinou documento questionando o celibato

Papa assinou documento a questionar celibato
O Papa Bento XVI e outros teólogos garantiram que com esta carta nunca quiseram influenciar qualquer decisão da Igreja.
A carta é datada de 1970, quando Joseph Ratzinger tinha 42 anos. O jornal "El País" publicou a notícia citando um diário alemão.
O Papa Bento XVI assinou um texto, datado de Fevereiro de 1970 e juntamente com outros teólogos, onde questionava o celibato. A notícia é publicada hoje no jornal "El País" e cita o diário alemão "Süddeutsche Zeitung". Joseph Ratzinger tinha na altura 42 anos.
"As nossas consultas e estudos coincidem na necessidade de um tratamento distinto da lei que estabelece o celibato tanto pela igreja alemã como pela imprensa mundial", pode ler-se no documento que, além da assinatura do actual Papa, é também defendido por pensadores como Karl Rahner, Otto Semmelroth, Karl Lehmann e Walter Kasper.
Na carta, tanto Ratzinger como os restantes oito teólogos, fazem questão de garantir que a sua opinião não tinha a intenção de influenciar qualquer decisão. Mas expressava bem as dúvidas relativamente à questão do celibato
(
DIÁRIO DE NOTÍCIAS )

Matou "cão do Demônio" que mastigou Bíblia

Americana estrangula e queima cadela de um ano por esta ter mordido a Bíblia
Uma mulher residente no estado americano da Carolina do Sul está acusada do crime de crueldade contra animais, depois de ter estrangulado e queimado o cão do sobrinho por este ter mordido a sua Bíblia, segundo o
Daily News ( "South Carolina woman, Miriam Fowler Smith, kills nephew's 'devil dog' after pup eats her Bible" ).
O caso ter-se-á passado entre os dias 9 e 15 de Janeiro e tem como principais protagonistas Miriam Fowler Smith [ foto acima ], de 65 anos, e Diamond, uma cadela pitbull de um ano de idade, que pertencia ao sobrinho da suspeita, Andy Fowler.
Andy esteve ausente de casa entre 9 e 15 de Janeiro e, quando regressou, verificou que Diamond estava desaparecida. Confrontou a tia com a situação e esta ter-lhe-á contado o que se passou. De acordo com o jornal, Diamond terá dado uma dentada na Bíblia que Miriam tinha deixado no pátio. Quando foi detida e interrogada pela polícia, ontem, a mulher confessou que atou um fio eléctrico ao pescoço da cadela, a pendurou numa árvore e, em seguida, ateou-lhe fogo.

Como explicação do seu acto, Miriam adiantou que Deus lhe pediu que matasse este “animal malígno”, que poderia magoar as crianças da vizinhança.
A polícia encontrou o cadáver de Diamond debaixo de um monte de erva seca. Parte do fio eléctrico estava ainda à volta do pescoço da cadela e cheirava bastante a querosene. Miriam enfrenta agora uma pena que pode ir de 180 dias a cinco anos de prisão.

( Publicado no blog OS BICHOS )


quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Teve seis pares de gémeos e o marido diz que está amaldiçoada

A família inteira deixou de lhe falar. Tudo porque na etnia dela é considerado uma maldição ter filhos gémeos
A queniana Gladys Bulinya esteve grávida seis vezes e das seis vezes teve gémeos. Por causa disso, o marido abandonou-a e toda a família deixou de lhe falar. É que, no Quénia, a etnia a que Gladys pertence considera uma maldição ter gémeos.
A mulher, de 35 anos, vive agora sozinha com 10 dos 12 filhos, numa casa de apenas uma divisão, a poucos quilómetros do lago Victoria, avança a BBC Brasil.
Gladys ficou grávida pela primeira vez, em 1993, ainda adolescente. O namorado de então não assumiu a paternidade e a família aconselhou-a a deixar os bebés no hospital, para adopção. As crianças foram acolhidas pelo avô paterno, que é de uma etnia diferente e que cuida dos jovens desde então.
Cinco anos depois de ter dado à luz pela primeira vez, casou-se e deu à luz o segundo par de gémeos. Como ter gémeos é considerado um mau agouro, ela foi mandada para casa do pai.
Mas nem os pais a quiseram e voltaram a casá-la, com um homem 20 anos mais velho, que só aceitou casar com ela, porque já não esperava casar-se na sua idade.
Mais quatro pares de gémeos se seguiram, até que, em 2010, quando nasceram Purpose e Swin, o marido também a deixou.
(
TVi24 )

Cidade dos cowboys fake tupiniquins arranja atrito com argentinos ao encarregar experts em publicidade de cerveja (*) de criar campanha anti-dengue

VEJA A HISTÓRIA AQUI: Argentina critica campanha de Barretos contra a dengue e prepare-se pro dia em que os "hermanos" relacionarem o Brasil, ops, a "seleção brasileira" com a lepra ou AIDS. Vamos ver até onde vai o nosso espírito esportivo.

(*) Manja aquelas propagandas "espertas" de cervejas, com aquelas "sacadas" malandras contra os "hermanos" otários? Então.

Ladrão devolve relógio roubado e reclama que produto é falso

Suspeito foi preso minutos depois do assalto, em Salvador
Depois de roubar o relógio, a carteira, documentos e cartões de crédito de um cozinheiro, de 29 anos, em Salvador, o assaltante decidiu devolver o relógio à vítima alegando se tratar de um produto falsificado. De acordo com a Polícia Civil, o homem, de 30 anos, foi preso após denúncia da vítima.
O assalto ocorreu próximo ao Viaduto dos Motoristas. Segundo a polícia, depois de notar que o relógio era falso, o assaltante devolvou o produto e fugiu com os outros pertences da vítima. O suspeito foi preso minutos depois do assalto, em um campo de futebol perto do local onde havia abordado o cozinheiro.
Segundo a polícia, outro homem que também teria participado do assalto ainda está sendo procurado. A dupla é suspeita de vários roubos ocorridos na região.
( G1 )

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

MAMA GUMBO LANÇA CD NO CENTRO CULTURAL SÃO PAULO

NESTE PRÓXIMO SÁBADO, DIA 29/01, O GRUPO DE MÚSICA INSTRUMENTAL MAMA GUMBO FARÁ UM SHOW DE LANÇAMENTO DO SEU NOVO CD INTITULADO "NA GARAGEM DOS CÃES" NO CENTRO CULTURAL SÃO PAULO, SITUADO NA RUA VERGUEIRO, 1000. A ENTRADA É DE 12,00 E O SHOW COMEÇA ÀS 19:00HS. A VENDA DE INGRESSOS COMEÇA DUAS HORAS ANTES DO SHOW.
NA GARAGEM DOS CÃES - ÁLBUM GRAVADO AO VIVO COM APOIO DO COLETIVO SINFONIA DE CÃES. O DISCO MESCLA ANTIGAS COMPOSIÇÕES DO GRUPO COM MÚSICAS INÉDITAS E MOSTRA TODA A FORÇA DAS APRESENTAÇÕES AO VIVO DA BANDA. PRODUZIDO POR SERGIO BASSETI.
PRA OUVIR UMA AMOSTRA DO DISCO E TAMBÉM CONHECER AS ANTIGAS COMPOSIÇÕES -

Cantor pop Robbie Williams acredita que sua mansão é mal-assombrada

O jornal “The Sun” divulgou que Robbie Williams acredita que sua mansão é mal-assombrada. O cantor e sua esposa, Ayda Field, afirmam que a casa possui o seu próprio fantasma.
“Os cachorros podem vê-lo. O apelido dele é Bertie. Eles acreditam que é um homem do começo do século 20. Rob gosta de imaginá-lo de terno, segurando uma taça de martini”, revelou um amigo, sobre o fantasma.
Robbie Williams já afirmou anteriormente ter sentido a presença de um espírito em outra mansão sua, e também já viu Ovnis ( ver abaixo e clicar ).
(
POP )

( Site QUEM ACONTECE )

Berlim nega pedido do Egipto para devolver busto de Nefertiti

O Ministério da Cultura alemão desmentiu hoje que exista um pedido oficial das autoridades egípcias para que a Alemanha devolva o busto da rainha Nefertiti (1370-1330 a.C.) que está exposto no Neues Museum de Berlim.
Um porta-voz do ministério informou que existe uma carta do secretário geral do Conselho Supremo de Antiguidades do Egipto, Zahi Hawass, pedindo a devolução, mas datada de 02 de janeiro deste ano, dirigida ao presidente da Fundação do Património Cultural Prussiano em Berlim, Hermann Parzinger.
O Ministério da Cultura alemão insistiu hoje que essa missiva de Hawass não está assinada por nenhum membro do Governo egípcio.
"Não há nenhuma novidade neste assunto", indicou o porta-voz, recordando que no ano passado, Hawass exigiu em várias ocasiões a devolução do busto.
O ministério alemão lembrou que a situação da peça é legal e, por isso, "não existe nenhum direito do Egipto para reclamá-la".
O Ministério da Cultura Egípcio anunciou hoje ter enviado um pedido formal à Alemanha para que devolva o busto da rainha Nefertiti.
Segundo um comunicado, o pedido foi formalizado numa carta enviada ao presidente da Fundação do Património Cultural Prussiano em Berlim, Hermann Parzinger, e ao Ministério dos Negócios Estrangeiros egípcio para que o envie à embaixada do Egipto na Alemanha e esta à congénere no Cairo.
A 06 de dezembro de 1912, Ludwing Borchardt, professor do Instituto Imperial Alemão de Ciências Egípcias da Antiguidade, descobriu o busto de Nefertiti durante umas escavações em Tel el Amarna, no sul do Egipto.
Em dezembro de 2009, o Museu Egípcio de Berlim rejeitou negociar com as autoridades egípcias o possível retorno do busto de Nefertiti ao país do Nilo, e assegurou que nunca tinha sido efetuado um pedido oficial de devolução por parte do Cairo.
(
DIÁRIO DIGITAL )

SINISTRO!: Embarcação localizada à deriva sem tripulantes a bordo

Uma embarcação sem registo foi encontrada esta terça-feira à deriva a duas milhas da praia de Porto Novo, Torres Vedras, sem tripulantes a bordo, disse à agência Lusa o comandante da Capitania de Peniche.
«A embarcação foi localizada à deriva sem ninguém a bordo a duas milhas da costa, entre as praias de Porto Novo (Torres Vedras) e Porto Dinheiro (Lourinhã), sem ninguém a bordo», referiu o comandante da Capitania de Peniche, Luís Patrocínio Tomás.
O facto de não terem sido encontrados náufragos nem se saber como a embarcação terá ido parar ao mar levou as autoridades a cancelarem buscas, por não haver qualquer informação de desaparecidos.
O comandante Patrocínio Tomás acrescentou que, além de meios aéreos e marítimos, foi mobilizada uma equipa em terra, que apurou junto de populares que ninguém terá saído para o mar na embarcação de 3,5 metros.
( TVi24 )

"Em 2012 haverá dois sóis", diz cientista.

Haverá dois sóis em 2012
A teoria percence a um cientista australiano



Com os dois sóis virão os suicidas temendo o Apocalipse e os charlatães oportunistas

Uma segunda estrela pode aparecer no céu já em 2012, revelou Brad Carter, professor de Física da Universidade Southern Queensland, na Austrália.
Segundo o investigador, uma explosão dez milhões de vezes mais brilhante que o sol formar-se-á e aparecerá Betelgeuse - uma estrela em fim de ciclo devido ao fim do combustível no seu centro. Brad Carter frisa que, com a explosão na nebulosa de Orion, «a terra receberá de imediato um intenso brilho durante um breve período de tempo, cerca de duas semanas, vindo a desvanecer-se posteriormente e podendo não ser visível em todos os pontos da terra». Outros investigadores, contudo, são adversos a esta teoria, defendendo que a explosão pode provocar um buraco negro a uma distância de 1.300 anos luz do nosso planeta.
A detonação da velha estrela do céu nocturno - Betelgeuse - fará com que se possa observar uma chuva de neutrinos, iluminando o céu de noite. Esta explosão não afectará a vida na terra, já que a Betelgeuse é formada por elementos existentes na terra como alcatrão, ouro, prata e urânio.
Brad Carter afirma que a presença desta nova estrela só irá beneficiar a Terra já que «fornecerá elementos necessários para a sobrevivência e continuidade da espécie animal». Após a explosão, a mistura dos componentes da nova estrela farão com que a noite na terra seja 99 por cento iluminada, tornando-se também em dia.
Esta notícia, segundo o news.com.au, está a ser encarada como um presságio do apocalipse. Associado ao «Star Wars», a provável explosão da Betelgeuse já está a despertar o pânico entre algumas pessoas, provocando a procura a produtos enlatados e locais onde se possam abrigar.

( TVi24 )

E APROVEITANDO O MOMENTO PROPÍCIO:



Piano de cauda de 300kg encalha em praia nos EUA

Piano 'aparece' em banco de areia nos EUA


Um piano de cauda apareceu na terça-feira em um banco de areia na baía de Biscayne, perto de Miami, na Flórida.
Ninguém sabe como o instrumento, que em média pesa cerca de 300 kg, foi parar no local, distante da costa.
"É um mistério. Quem o deixou lá?", perguntou uma moradora.
Como o piano não vai ficar totalmente submerso, ou seja, não deve representar perigo para navegação, as autoridades americanas não planejam retirá-lo do local.
Enquanto não surgem planos para o instrumento, gaivotas aproveitam o inusitado poleiro musical.


terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Cientista propõe que humanos comam insetos como fonte alternativa de proteína

Um insectólogo holandês vem fazendo uma campanha para convencer o mundo ocidental a adotar um costume que, segundo ele, é bastante comum nos trópicos: comer insetos (prática conhecida como entomofagia) como fonte alternativa e sustentável de proteína.
A proposta de Arnold van Huis, detalhada em artigo publicado na revista The Scientist, não é nova.
Em 1885, o insectólogo britânico Vincent M. Holt escreveu um pequeno livro intitulado Why not eat insects? ( em tradução livre, por que não comer insetos? ).
Os argumentos dos dois especialistas, no entanto, ganham força num momento em que o mundo procura soluções para a crise dos alimentos.
Na Grã-Bretanha, um estudo sobre alimentos e o futuro da agricultura encomendado pelo governo e divulgado nesta semana pede ação urgente para evitar a fome global.
Segundo o relatório, dentro de 20 anos, serão necessários 40% mais alimentos, 30% mais água e 50% mais energia para suprir as necessidades da população do planeta.
O sistema atual de produção, além de não ser sustentável, não será capaz de suprir a demanda, argumentam os autores do estudo, realizado pelo centro de estudos Foresight.
Relatórios como esse tendem a ser usados como base para argumentos a favor do uso de técnicas de engenharia genética para produzir alimentos.
A saída oferecida por van Huis, da Wageningen University, na Holanda, é mais direta e evita a questão polêmica dos transgênicos.
Nutritivos
Em entrevista por e-mail à BBC Brasil, o insectólogo não quis recomendar um inseto em especial, dizendo que tudo depende da forma como são preparados.
Ele disse que algumas espécies têm sabor semelhante ao das oleaginosas (como o gergelim, por exemplo) e ressaltou que nem todas as espécies são comestíveis, já que algumas são venenosas.
"Insetos venenosos são consumidos nos trópicos, mas a população local sabe como lidar com isso, removendo o veneno", explicou.
Quanto ao seu valor nutritivo, a carne do inseto é comparável às tradicionais, como a de porco, vaca, carneiro e peixe.
Segundo van Huis, o conteúdo proteico de um inseto varia entre 30 e 70%, dependendo da espécie.
Eles também são ricos em ácidos graxos essenciais e vitaminas, especialmente as do complexo B.
Em seu artigo, o insectólogo diz que mais de mil espécies de insetos são comidas nos países tropicais, entre elas, larvas de borboleta, gafanhotos, besouros, formigas, abelhas, cupins e vespas.
E as baratas? Elas também são comestíveis?
Van Huis disse à BBC Brasil que, em suas viagens, nunca viu ou ouviu relatos de pessoas comendo baratas. Mas acrescentou:
"Um colega, que está fazendo um inventário de insetos comestíveis, encontrou baratas comestíveis".
Em seu artigo na revista The Scientist, Van Huis escreve, no entanto, que os ocidentais se enganam quando pensam que os povos dos trópicos comem insetos porque estão passando fome. "Pelo contrário", ele diz. "Um petisco de inseto é com frequência considerado uma iguaria".
Este seria o caso, no Brasil, da formiga tanajura. Segundo especialistas brasileiros, essa formiga, fêmea ovada das saúvas, é considerada uma verdadeira guloseima no Brasil.
Crise da Carne
Segundo o insectólogo, o consumo mundial de carne quase triplicou desde 1970 e deve dobrar até 2050.
Ele diz que 70% da terra cultivada já é usada para alimentar rebanhos. Van Huis diz que uma intensificação ainda maior na pecuária em escala industrial poderia aumentar os custos para o meio ambiente e para a saúde.
Criações de rebanhos de grande densidade favorecem o surgimento de doenças.
Rebanhos consomem grandes quantidades de água e emitem grandes quantidades de gases responsáveis pelo efeito estufa - como o gás metano, por exemplo.
Segundo a Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO), as criações de rebanhos respondem por 18% das emissões desses gases.
Cupins, baratas e certas espécies de besouro também produzem metano, mas a maioria dos insetos comestíveis, não.
E a carne de insetos ainda apresenta uma outra vantagem em relação à carne tradicional, explica van Huis.
"Eles convertem o alimento em massa corporal de maneira mais eficiente", diz o especialista. "Para produzir 1 kg de carne, grilos precisam de 1,7 kg de alimento. Muito menos do que o frango (2,2 kg), o porco (3,6 kg), o carneiro (6,3 kg) e a vaca (7,7 kg).
Portanto, por que não comer insetos? - ele pergunta.
E conclui seu artigo sugerindo que governos e empresas deveriam explorar o incrível potencial dos insetos como fonte de carne, promovendo essa indústria. "No sul da África", ele diz, "este já é um negócio de US$ 85 milhões".
Brasil
Em declaração à BBC Brasil, o biólogo Eraldo Medeiros Costa Neto, da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), na Bahia, disse concordar positivamente com a proposta de van Huis.
"No entanto, muitas espécies de insetos apresentam compostos farmacologicamente ativos e, assim, os efeitos tóxicos potenciais dos insetos comestíveis precisam ser investigados com mais atenção", acrescentou.
Costa Neto explica que a FAO está realizando um inventário das atividades relacionadas ao consumo de insetos pelo homem.
"A FAO acredita que o papel específico dos insetos comestíveis e seu potencial na segurança alimentar, qualidade dietética e alívio da pobreza está severamente subestimado", diz o biólogo.
"Com esse inventário, será formulada uma estratégia para promover o consumo de insetos em nível mundial".
Pesquisas feitas por Costa Neto no Brasil revelaram que insetos fazem parte da dieta de vários grupos indígenas, comunidades urbanas, populações ribeirinhas do Amazonas, grupos de pastores e de pescadores e comunidades afro-brasileiras.
O cardápio desses grupos inclui pelo menos 135 tipos de insetos.
(
BBC Brasil )
Nossas breves reflexões sobre o assunto, postadas em 2008:
A solução é comer grilo, Brasil!! ( ENCALHE, 05/09/2008 )

Mulher argentina sobrevive a queda de 23 andares

Caiu sobre um táxi que estava estacionado à porta do hotel de onde terá saltado
Uma mulher argentina sobreviveu esta segunda-feira a uma queda desde um 23º andar de um hotel no centro de Buenos Aires.
A edição electrónica do jornal «La Nación» dá conta que o impacto foi amortecido por um táxi, que se encontrava estacionado à porta da unidade hoteleira, o Hotel Panamericano.
Apesar de ter sobrevivido, a mulher, que terá 30 anos, sofreu vários traumatismos e está internada num hospital da cidade, onde foi operada.
A jornal explica que a mulher não estava hospedada no hotel, nem trabalhava lá, e que tudo indica que se terá tratado de uma tentativa de suicídio.
Em declarações à agência Associated Press, um taxista disse ter visto a mulher saltar.
Já o dono do táxi atingido pelo corpo da vítima contou que saiu do carro quando viu um polícia a olhar para cima, instantes antes do corpo da mulher ter embatido no veículo, precisamente no lugar do condutor.
(
DIÁRIO IOL )



Falta do que fazer merece registro aqui: ligou quatro vezes à polícia a queixar-se da manicura

Uma norte-americana foi presa e enfrenta agora um processo judicial por alegado abuso, ao ligar quatro vezes para a polícia a queixar-se de um mau serviço da manicura. Tudo aconteceu no final do ano passado, um dia depois do Natal Cynthia Colston foi arranjar as mãos, mas diz que a esteticista que a atendeu apresentava um comportamento algo agressivo. Por isso mesmo, ligou para a polícia.
Ligou uma, duas, três, quatro vezes. Até que a polícia perdeu a paciência com ela. É que das duas últimas vezes que ela ligou para o 911, o número de emergência nos Estados Unidos, já estava um agente policial no local. Ora, assim sendo, já não haveria razão para emergência e a mulher foi acusada de abusar do serviço.
Agora, diz que a detenção abalou a sua reputação e que as pessoas falam dela como se fosse a «maluquinha» que ligou para o 911 sem razão.
(
IOL Diário )

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Detesto frases-feitas

Isso vem desde moleque, naquelas discussõezinhas bestas que os moleques fazem. Do nada alguém fala alguma coisa, outro retruca, ninguém fica quieto e a coisa aumenta: "Calaboca já morreu...". Pior: "Filha da puta é rapadura, etc..."
Mas, às vezes, e dependendo do que se está discutindo, a coisa não é tão ofensiva assim, e os moleques tentam "argumentar", na medida de suas possibilidades. Geralmente dizem aquilo que ouvem dos adultos. Isso garante que não sairá nada que se aproveite. E proferem-se sentenças como "Se todos gostassem do branco, o que seria do roxo?", ou "Deus deu a vida para cada um cuidar da sua!" ( mais moderna esta última ). Algumas são frases-feitas e outras, ditados e adágios que não provam nada.
Claro que quando se é criança isso importa mas nem tanto. Se você passa o dia jogando bola ou tendo principalmente atividades físicas, as ciências retóricas não são tão importantes assim.
Mas não importa que eu diga isso, já que não me convenci até hoje. Ainda martela na cuca aqueles "Quem tudo quer nada tem!" e "Quem desdenha quer comprar!", que recebiam o status de verdades científicas, irrefutáveis e indiscutíveis. Me irritavam porque EU não as usava. Pra mim, lançar mão delas era jogo sujo.
Hoje em dia, já adulto, essas besteiras continuam me assombrando. Não que eu tenha me tornado um gênio, um Sócrates ou coisa que o valha. Acontece que muitas das frases que ouvia podem ser retrucadas, sim, mas eu fui descobrir tarde demais isso. Por exemplo, quando ouço a famigerada "se conselho fosse bom não seria grátis", simplesmente posso responder: a luz do Sol, que tantos brasileiros celebram por "ajudar na beleza" ( aqui se preocupam muito com estética, como se pode depreender ouvindo um funk carioca ), é gratuita. Simples. A resposta simples e mortal. Mas não se tornará popular.
Outra: "De boas intenções o Inferno está cheio." Da forma como é dita, fica parecendo que o Inferno é o lugar mais injusto que existe, já que guarda um espaço especial não para os maus, mas para aqueles que até desejaram fazer o bem, mas fizeram algo que não estava no roteiro. Ou as "boas intenções" são ditas como escárnio? Não me parece que aqueles que a proferem se preocupem em tentar distinguir. No dia-a-dia, "boas intenções" significam isso mesmo: intenções boas. Talvez por isso seja o Inferno, o domínio do Rei da Mentira e da Enganação: você acha que sofrerá horrores por ser mau? Não imagina o que está reservado para os que tiverem boas intenções. Moral da estória: bom mesmo é ser mau.
E esta então: "A voz do povo é a voz de Deus"? Só vale para aquele que acredita na existência de deuses. A resposta, surrealistica, seria: "Eu não acredito na existência de Deus, portanto não acredito na existência do povo, pois a voz de um é a voz do outro!" Ha ha ha!
Finalmente ( mas não acabo aqui não ) a igualmente horrenda e bastante paternalista "O cliente tem sempre razão." Se existe um comerciante que ache isso uma verdade científica indiscutível ( e não a simples declaração de princípios que alguém achou por bem adotar para seus negócios ), este negociante merece ser obrigado a atender todos os piores seres humanos que, de posse de seus parcos vencimentos, se vêem no papel de tiranos infantilóides incapazes de portar algum dinheiro. Tem gente que realmente não pode ter dinheiro, pois é um perigo para a coletividade. Essa frase lembrou-me de outra, a qual sou obrigado a reconhecer correta, se desconsiderarmos a participação forçada de Deus na história: "Deus não deu asa à cobra". Trazendo para esta realidade, poderíamos transcrevê-la de outra maneira, bastante enigmática: "Deus não deu dinheiro para todos", mostrando que cobras voadoras e gente maldita com dinheiro para satisfazer seus caprichos são um perigo.
Um dia volto ao assunto.

Abelhas africanas atacam em partida de futebol entre seleções da América Central

Jogo entre Panamá e El Salvador é atrapalhado por ataque de abelhas africanas

"O técnico mandou a gente entrar o botar correria no jogo..."

Um fato inusitado - e perigoso - atrapalhou o andamento de uma partida da Copa Centro-americana de seleções, ocorrida no Panamá. O jogo entre as equipes da casa e de El Salvador definiria o terceiro colocado da competição, mas precisou ser paralisado por alguns instantes por um grave problema de segurança: um enxame de abelhas africanas atacou o estádio que abrigava o jogo.
O ataque das abelhas fez com que a partida precisasse ser interrompida por duas ocasiões, por conta da agressividade dos insetos. O primeiro a perceber foi o goleiro Dagoberto Portillo, de El Salvador, que alegou ter ouvido zumbidos em seu ouvido e rapidamente informou o árbitro do jogo, o hondurenho Beningo Piñeda, que pediu a ajuda dos empregados do Estádio Rommel Fernández.
Os encarregados da arena panamenha decidiram utilizar um extintor de incêndio de espuma para tentar espantar as abelhas. A medida, no entanto, não deu certo e elas ficaram ainda mais agressivas, o que obrigou os jogadores a se atirarem no chão para que não fossem picados. Com o estádio a portas fechadas, os bombeiros não conseguiram chegar a tempo, e os insetos se retiraram do local após algum tempo.
De acordo com a imprensa local, o motivo da aparição do enxame é a forte seca que assola o Panamá, e fez com que as mesmas viajassem por longas distâncias. Após algum tempo e duas pausas, a partida foi reiniciada e seguiu sem mais sustos, terminando em 0 a 0 no tempo normal. Nos pênaltis, o time da casa fez 5 a 4 e conquistou o terceiro lugar da competição.
(
ESPN )


Egipto pede à Alemanha que devolva busto de Nefertiti

As autoridades egípcias enviaram um pedido formal à Alemanha para que devolva o busto da rainha Neferiti, exposto no Neues Museum de Berlim, segundo informou o Ministério da Cultura egípcio.
O busto foi descoberto por Ludwig Borchardt, professor do Instituto Imperial Alemão de Ciências Egípcias da Antiguidade, e 1912, durante umas escavações em Tel el Amarna, no sul do Egipto.
O Museu Egípcio de Berlim já tinha, em Dezembro de 2009, rejeitado negociar um possível retorno da peça encontrada, assegurando nunca ter recebido nenhum pedido oficial por parte das autoridades do Cairo.
No comunicado enviado, o secretário-geral do Conselho Supremo de Antiguidades Egípcias, Zahi Hawas, afirmou que o pedido oficial para recuperar o busto de Nefertiti é um marco nos esforços das autoridades do país para o regresso das antiguidades que saíram do país de forma ilegal.
(
A BOLA )

O paulistano, um sobrevivente. Ou: o paulistano é, antes de tudo, um forte...

... candidato a "Cidadão Atlante". Ou a "forte idiota da Nação". A estupidez é sua força.
Lembro-me - mal, por sinal - do período em que trabalhava numa banca de jornais próximo à Avenida Rebouças, Zona Oeste de Sampa.
Por trabalhar num ramo que lidava diretamente com "opinião", é óbvio meus mal-remunerados ouvidos eram alugados por desocupados de todos os tipos, que desciam os olhos numa manchete e já iam vomitando suas abalizadas considerações. Que eu era obrigado a escutar.
À época, a Prefeitura paulistana era comandada por Marta Suplicy, do PT. Ficou conhecida na boca do povo por "Martaxa".
Este é o ponto que desejo pular, pois demandaria tempo, memória, pesquisa e paciência. Mas, para fins de entendimento, admitamos que depois que um apelido pega é difícil se livrar dele. Se você for magro, te chamarão de "Magrão" ( note a maiúscula, a denunciar que o apelido tornou-se nome próprio ). Se, depois de um tempo, você ganhar um certo peso corporal, muitos ainda se lembrarão de você como o "Magrão", não importando que você já tenha o IMC ligeiramente acima do conveniente. Provavelmente continuará sendo chamado dessa forma para sempre.
No caso de "Martaxa", apelido que não foi cunhado por um moleque impertinente, esse pegou mesmo. A origem é incerta, mas a divulgação não: o imprensalão golpista aderiu e ofereceu suas páginas à disseminação do apelido.
Evidentemente que, se você não for magro, ficará difícil explicar um apelido como "Magrão". Assim, a alcunha "Martaxa" alude de alguma forma a "impostos e taxas" implantados ou majorados durante a passagem de Marta Suplicy na Prefeitura de São Paulo.
As pessoas, naturalmente fartas, de tanta fúria arrecadatória promovida pelo governo Fernando Henrique Cardoso (
que ajudou Maluf a eleger o sucessor, Celso Pitta ), não agüentaram que aquela "perua petista" chegasse e impusesse mais cobranças, como as taxas "do lixo" e "do poste".
Essas duas cobranças, a despeito de qualquer outra burrice ou incompetência que tivesse promovido como prefeita, seriam o maior calcanhar de Aquiles de sua administração. À semelhança de seu apelido, estes impostos são fáceis de compreender, decorar e passar adiante. Algo a ser estudado pelos etimologistas, lingüistas e cursos de Comunicação. Digamos que, para o cidadão comum ( comum mesmo ), não é possível acompanhar e entender todas as ações do poder público. Apesar de eu detestar admitir isso, algum tipo de conhecimento é necessário. Como funciona a cidade? Como um prefeito torna concreta uma idéia? O que fazer?
Pegou o espírito? Os críticos e oposicionistas de todas as colorações, sabendo das limitações compreensíveis da população ( estou nessa também ) sobre tais assuntos não se preocuparão em apresentar as coisas ao eleitor na sua forma técnica-hermética. Logo, é bem mais fácil reduzir um conceito a seu elemento mais básico. Até aí, nada de mais. Problema é quando a simplificação serve à escamoteação e à manipulação. Quando, às vezes a parte deixada de lado é que se deveria ter à mão.
TAXAS. VOCÊ ENTENDE DE TAXAS?
Se puder servir de exemplo, as pessoas são fustigadas pela mídia para serem contra "os impostos". Na vida dos comuns, isso quer dizer "IPTU, CPMF, ICMS". Alguns, pelo desconhecimento e um pouco de conveniência chegam a achar que multas de trânsito também fazem parte disso. Quando os jornais dizem que pagamos impostos "pro governo", de certo modo nosso cérebro parece nos obrigar a não desejar considerar que existem três níveis de governo, o federal, o municipal e o estadual. O imposto mais "pesado", até onde sei, é o ICMS, de âmbito estadual, e o "Lulla" não tem nada a ver com isso.
Assim, inimigos "dos impostos" desde sempre, os brasileiros não parecem ser simpáticos à idéia da taxação sobre grandes fortunas, pois a propriedade aqui tem valor de vida humana. Acima dela, aliás.
Enquanto não são convidadas a participar da discussão sobre adoção ou desta taxação sobre fortunas, nossa gente de um modo geral desconhece a simples existência do tema. Quando a discussão sair do foro em que se encontra e chegar às ruas, haverá duas abordagens ( ambas contrárias à cobrança) prevalecentes: a acadêmica ( tipo PUC-RJ ) com aquela terminologia inacessível embasada em teses inextrincáveis e a jornalística, que dirá à população que "o governo insiste em novo imposto, mas especialistas ( tipo PUC-RJ ou oráculos do "mercado" ) são contra". Dirão que aumentará a inflação, o custo de vida e o desemprego. Um ou outro lider setorial dirá que isso afastará os investimentos, onerará a produção e afugentará os investidores, diante das incertezas jurídicas.
FORA, "MARTAXA"!
Esse espírito anti-impostos foi a pedra no sapato de Marta, que impôs à população a cobrança clara e aberta de taxas -
cujos valores eram ridículos - e foi isso que a tornou impopular ( apesar de, em 2004, pesquisas lhe darem bons números de aprovação ), não importando se eram justas, necessárias, imprescindíveis ou não.
A ADOÇÃO DO OBSCURO MECANISMO DE MAJORAÇÃO DE ALÍQUOTAS SETORIAIS
Quando eu digo "clara e aberta", me refiro especificamente a taxação com "identidade", ou seja, "Taxa do lixo" tem nome e função claras e perceptíveis, correto? Um, digamos assim, "mecanismo de majoração de alíquotas setoriais" ( isso não existe, eu que inventei ) não cria a mesma impressão, apesar do objetivo ser praticamente o mesmo se for concebido para isso.
Se tal palavreado estiver escondido dentro de um caderno de Economia do jornal, em vez de ser apresentado de uma forma popular, e sob manchetes em letras garrafais, você atingirá seu objetivo, que é o de taxar a população e ainda conseguir seu aplauso. Se você conseguir convencer a opinião pública de que seu adversário ( partido, pessoa ) cria impostos e
você não, apesar de isso não ser verdade, você provará que tem um relações públicas infinitamente melhor.
Assim, bastará você não apresentar proposta visando a implantação de uma nova e impopular taxa mas, apenas,
MUDAR AS REGRAS de cobrança dos tributos JÁ EXISTENTES.
Dessa forma, você meterá as garras no bolso da população, e esta não dará um pio. Limpo e eficiente, é o crime perfeito. Inteligentemente, você trará a questão para os domínios da Contabilidade, os jornais não terão como inventar apelidos para isso ( nem vontade também, já que são partidários a você ) e nem como botar uma manchete na capa sobre isso.
Por tratar-se de questão complexa ( envolvendo às vezes o Poder Jurídico, com sua própria e peculiar forma de organização, trâmites, caminhos, idiossincrasias e vocabulário ), essa situação será expressamente confinada e noticiada ( e às vezes até examinada e discutida ) no caderno de Economia, como mencionei acima. Cidadãos de destaque, líderes empresariais,
setoriais e patronais afetados pela decisão unilateral do governo também serão ouvidos e suas queixas mostradas pelos jornais, na página E3, ao lado da cotação futura do painço no mercado de Togo. Por se situarem na "Diretoria", ou seja, no patamar olímpico dos que lidam diretamente com o PIB do país, as queixas destes personagens não chegarão aos olhos e ouvidos do cidadão comum que está mais preocupado com a visível e palpável "Taxa do Lixo". Antes de aceitar as condições do governo, os "diretores" alertam: vão repassar tudo pro bolso do consumidor.
EM PARIS, PREFEITA?
Não houve nada como a cobertura jornalística do governo Marta. Não vou me estender, e não mudarei de idéia. Ela é capaz de se defender e deve ter uma equipe para isso. Eu só tenho um computador emprestado e uma tonelada de jornais ( de 1999 para cá ) que não estão arrumados, então não tenho condições de - pelo menos neste momento - pinçar casos que ilustrem esta afirmação. Acho que seus detratores, de modo geral, se agarram basicamente na questão das taxas, e é por isso que falei mais delas aqui. Não tenho como opinar sobre transportes ( acho que estava melhor ), Saúde ou Educação ( idem ), pois alguém pode me apresentar aqui um recorte do Jornal da Vila Cabrobó mostrando que um posto de saúde não foi terminado por Marta e eu vou ter que ficar quieto. Minha memória registra simpatia por sua administração, mas não vou me prestar a tentar provar.
Tem coisas que até hoje não consegui entender ainda, como o teatro que o Serra fez para provar ( com a ajuda da imprensa ) que São Paulo foi "quebrada" por Marta e, por isso, ele deu calote em milhares de empresas e prestadores de serviços. Estava quebrada ou não? A ex-prefeita não explicou ( ou não teve como ) a contento. As fotos em primeira página com as filas de cobradores ainda me soam "armação", mas como não houve a resposta apropriada...
Ainda assim, defendo que o governo da Marta foi melhor que todos os três que vieram depois.
Vão ter que confiar em minhas impressões, ou não. Foda-se.
Lembro que houve a famigerada obra na Rebouças. Quebraram todas as calçadas. A gente respirava pó de concreto e cimento. Perdi 100% da voz. Vira-e-mexe a Justiça, instada pelos moradores mandava parar a obra. As "Senhoras da Rebouças" tinham as páginas dos jornais para se manifestarem contra a obra e o corredor de ônibus. A líder do movimento gritalhão descolou uma vaga na EMURB de Serra, quando ele se elegeu. O túnel construído alagou, e isso provou a "incompetência" de Marta. Quando a administração Serra ( depois Kassab fez o mesmo ) se via sem muito o que mostrar, decretava que havia "iregularidades" na obra do túnel, que não pagaria enquanto não estivesse tudo esclarecido, que havia "suspeitas" e coisas assim. Conto nos dedos as vezes em que o "túnel da Marta" inundou depois que ela saiu. Da primeira vez, parece que a construtora havia deixado os materiais de construção abandonados ao longo de toda a avenida, choveu, estes materiais foram sendo depositados no túnel e isso teria causado o maior alagamento. Que eu saiba, foi o único e o mais grave.
Teve aquele caso da dentista que foi bater boca com Marta, por ocasião duma enchente. Marta costumava sujar os pés no barro, ao contrário de Alckmin, Kassab e, principalmente, José Serra. A imprensa adorou, e isso custou pontos à Marta. Hoje em dia o paradeiro da dentista é desconhecido. Justo agora, que precisamos de alguém combativo, destemido, e que fala o que tem que falar, ela desaparece. Será que ainda mora em São Paulo?
Pessoalmente falando, lembro dum caso: jovem morador da região com quem não tinha contatos maiores do que "Bom dia, boa noite", apareceu com cara de choro. Passavam ele e seus pais, pareciam inconformados e inconsoláveis. Não lembro de eu ter perguntado, talvez tenha apenas escutado a conversa, pois passava muita gente ali.
Sua avó, ao caminhar por uma calçada quebrada da Rebouças em obras, caiu e morreu. Não recordo se bateu a cabeça numa pedra ou tropeçou e caiu na rua e um carro pegou. Não lembro de ter lido sobre isso nos jornais e não soube de mais nada.
Mas lembro do cara se debulhando em lágrimas, culpando a obra e a filha da puta que mandou fazer aquela obra, contrariando a vontade da população ( da Rebouças ):
- Assassina! - desabafou o rapaz.
Sumidas da mídia, as "Senhoras da Rebouças", fração representativa, isenta, apolítica ( sic ) e apartidária ( sic, sic ) e influente da sociedade paulistana deixaram seu recado, sua marca e sua contribuição para a nossa cidade, e tiraram muitos votinhos de Marta Suplicy.
Há outros casos, mas deixa prá depois.

Ingleses trabalham em cauflagem que tornará "invisíveis" veículos militares

BAE Systems trabalha em camuflagem "invisível"
A companhia britânica BAE Systems, maior conglomerado europeu de defesa, está trabalhando num sistema de camuflagem que seria capaz de tornar veículos "invisíveis" em campos de batalha nos próximos cinco anos, de acordo com reportagem publicada no jornal "The Daily Telegraph", em 19 de janeiro.
O sistema, denominado "E-camouflage", envolveria uma série de sensores montados na estrutura do veículo que filmam e projetam imagens do ambiente em que o veículo está localizando, tornando-o "invisível". A reportagem diz que as imagens mudariam de acordo com o movimento do veículo. As primeiras notícias sobre o projeto, desenvolvido com o Ministério da Defesa inglês, datam de outubro de 2007. "Esta tecnologia é inacreditável", afirmou um soldado não identificado que acompanhou alguns testes. "Se eu não estivesse presente eu não teria acreditado. Eu olhei pelos campos e vi apenas grama e árvores, mas, na realidade, eu estava olhando para o canhão de um tanque."
( TECNOLOGIA & DEFESA )

Esta mulher deve enxergar apenas uma mala de crocodilo com um celular dentro

Aquário da Ucrânia
Crocodilo confinado em aquário engole celular de visitante e não consegue mais comer
Veterinários ucranianos estão tentando ajudar um crocodilo que não come nada desde que engoliu um telefone celular em um aquário de Dnipropetrovsk ( centro-leste da Ucrânia ).

"Devolve meu celular, seu bicho feio! Tirem meu celular dali! Me dá meu celular! Celulaaaarrr..."

O incidente ocorreu no fim de dezembro. Ao tirar uma foto do réptil, uma visitante do aquário deixou cair seu telefone na água e o animal, um crocodilo do Nilo de 15 anos, o engoliu imediatamente. Durante dois dias o aparelho continuou tocando e vibrando na barriga do crocodilo, chamado Guena.
“Desde então, o animal se movimenta e entra na água, mas não come nada”, disse um representante do aquário, Edvard Manukian, contatado pela AFP.
A dona do telefone, por sua vez, exigiu da administração do aquário que lhe devolva o aparelho ou pelo menos o chip com seus contatos ( !!!! ). No entanto, a direção do estabelecimento hesita em recorrer a uma cirurgia e confia em que o celular finalmente sairá por via natural.
“Por enquanto não queremos operá-lo. Guardamos esta opção como último recurso”, disse Manukian.
“Injetamos purgante e vitaminas em uma perdiz esperando que a comesse, mas não o fez”, lamentou. “Agora, vamos aquecer a água e o ar para acelerar sua digestão” na esperança de que o crocodilo volte a comer, explicou Manukian.
Fonte: AFP




Nota da Redação [ do site ANDA ]: Como se já não bastasse o sofrimento de viver confinado em um aquário, exposto a curiosidade mórbida de alguns humanos, o crocodilo corre o risco de morrer por conta da negligência de uma visitante. É um absurdo ver até onde as pessoas conseguem chegar. Prejudicar a vida de um animal e preocupar-se com seu bem material, é de um egoísmo além do normal. Esperamos que o pobre crocodilo fique bem e sua saúde seja restabelecida. Fim aos aquários e aos zoos!

( PUBLICADO NO SITE
ANDA )

"Repousando no espírito": mulher acusa Renovação Carismática de ter causado a perda de seu olfato e paladar!

Repousando… no hospital!
Uma mulher diz ter sofrido um traumatismo craniano e perdido seu olfato e paladar após ter caido para trás ao “repousar no espírito”, em um encontro de cura da Renovação Carismática Católica. Ela processou a diocese de Hartford (EUA) na Corte Suprema.
Dorothy Kubala diz que o acidente ocorreu enquanto o Pe. Robert Rousseau estava “realizando uma oração de cura para o público em geral” da Igreja de Santo Agostinho, em North Branford, em janeiro de 2009.
Kubala diz que “se aproximou do altar, recebeu a oração e ‘repousou no Espírito’, fazendo-a cair para trás e bater no chão com a parte de trás de sua cabeça”.
Ela afirma que seus ferimentos foram causados pelo fato do padre “não seguir os protocolos, normas e procedimentos definidos pelos réus, a Arquidiocese de Hartfort e a Igreja de Santo Agostinho”.
(
Fratres in Unum.com )
TEXTO ORIGINAL AQUI:

Woman Injured While 'Resting in the Spirit'
NEW HAVEN, Conn. (CN) - A woman says she suffered traumatic brain injuries and lost her sense of smell and taste after falling over backwards while "resting in the spirit" at a Catholic Charismatic Revival healing service. She sued the Hartford Diocese in Superior Court.
Dorothy Kubala says the accident happened while Fr. Robert Rousseau was "performing a healing service for members of the general public" at the St. Augustine Church in North Branford in January 2009.
Kubala says she "approached the altar, was prayed over, and 'Rested in the Spirit,' causing her to fall backwards and hit the floor with the back of her head."
She claims her injuries were caused by the priest's "failing to follow protocols, rules and procedures as outlined by defendants, the Hartford Archdiocese and St. Augustine Church."
Kubala says the priest should have had parishioners sit or kneel while he prayed over them, that that he "failed to provide a safe, soft surface for attendees, including the plaintiff, to fall to, if and when they fell or 'rested in the spirit.'"
She adds that the priest also failed to warn her "about the possibility of falling or 'resting in the sprit'," and says he "failed to choose 'Catchers' who were physically and mentally fit to exercise their duty.
Kubala says she fell over backwards and bonked her head, suffered injuries that include "traumatic brain injury that resulted in a permanent and total loss of smell ... and partial loss of taste," plus a hemorrhagic contusion, a concussion, injuries to her spine, pain in her jaw, and acute anxiety.
She seeks monetary damages. She is represented by John Cirello.

domingo, 23 de janeiro de 2011

Zero-Zero-Zé do Caixão. Profissão: Espião

Zé do Caixão dá aula de espionagem para futuros detetives em SP
Quem anda na rua 24 de Maio, centro de São Paulo, encontra galerias antigas e salas que abrigam comércios incomuns. Mas nada se compara à FBI ( Federação Brasileira de Investigação ), uma agência de espionagem que tem o cineasta José Mojica Marins, o Zé do Caixão, como um de seus professores.
Logo na entrada, chama a atenção um DVD com uma aula para detetives dada por Mojica. No vídeo, o personagem de filmes de terror ensina técnicas de interpretação, espionagem e investigação a futuros detetives.
Além disso, faz os alunos espirrarem, se coçarem e se encararem por alguns minutos sem uma única palavra.
"O que diferencia um bom detetive de outro é a arte de interpretar. O investigador nunca deve se expor e revelar sua identidade", diz Mojica.
Suas aulas presenciais podem ser conferidas na filial da FBI, na rua Sete de Abril, também no centro. O cineasta fez o curso há 20 anos e, por hobby, dá aulas a novos detetives a cada dois meses.
A FBI diz formar, em média, 60 alunos por mês em 25 cursos. O responsável pelo local é o paulistano Evódio Eloísio de Souza, 68, que se apresenta como professor em perícia criminal e diz ter dedicado mais de 30 anos de sua vida à espionagem.
Com outros quatro detetives fixos, Souza presta serviços de espionagem em geral. Sua especialidade é a contraespionagem industrial, que não sai por menos de R$ 500 a diária. A localização de pessoas desaparecidas pode chegar a R$ 10 mil.
O exercício da profissão de detetive não tem uma regulamentação específica, mas é garantida, de forma indireta, pela Constituição Federal e consta na CBO ( Classificação Brasileira de Ocupações ) do Ministério do Trabalho. ( FOLHA )

"É pior violar a fé que uma filha", brada padre argentino, de microfone em punho

Padre argentino causa polémica
"É pior violar a fé que uma filha"
Um padre argentino poderá vir a ser alvo de sanções por parte da própria Igreja depois de ter afirmado publicamente que "é mil vezes pior violar a Fé do que violar uma filha".
Tudo se passou durante uma representação da peça de teatro 'Educação Sexual Moderna' na cidade de Malargue, província de Mendonza. A meio da peça, o padre Jorge Gómez subiu ao palco, arrebatou o microfone a um dos actores e insurgiu-se contra o teor da peça, que fala sobre um jovem sacerdote que começa a duvidar da sua vocação religiosa e do celibato.
"Não vou permitir que critiquem a minha castidade. Violar a Fé é mil vezes pior do que violar uma filha", gritou, perante o espanto da assistência.
Um porta-voz da Igreja Católica argentina considerou já as declarações do padre Gómez como "graves, ofensivas e desafortunadas", e admitiu que o sacerdote poderá vir a ser castigado.
(
CMJORNAL )

Puta invenção da Humanidade: Bateria elétrica de papel

Como é fabricada uma bateria de papel
Um grupo de investigadores da Universidade Nova de Lisboa inventou as primeiras baterias de papel do mundo. As baterias são carregadas pelo vapor de água existente no ar.
Um grupo de investigadores da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa inventou as primeiras baterias de papel do mundo, que podem alimentar telemóveis e outros dispositivos eletrónicos. O grupo é liderado por Elvira Fortunato e Rodrigo Martins e as baterias são carregadas pelo vapor de água existente no ar, desde que a humidade relativa seja superior a 40%.Os cientistas inventaram também as primeiras biobaterias, que são carregadas pelos fluidos do corpo humano, como suor e plasma sanguíneo, e que se destinam a dispositivos como pacemakers.
Nas baterias de papel tudo começa com um vulgar papel de escrita, mas nas biobaterias é necessário um papel sintético que não se degrade no interior do corpo humano. Esse papel é feito a partir de um derivado de celulose, que é projetado num alvo usando campos elétricos, e que forma uma membrana de nanofibras. Depois, as etapas seguintes são comuns: deposição dos elétrodos e demonstração ( caracterização morfológica e elétrica ). ( VER VÍDEO AQUI:
http://tinyurl.com/46pfts5 )

Mulher-zumbi que caiu em fonte enquanto digitava qualquer merda no celular quer faturar em cima de algum bode expiatório. Processa a Uniban, fofa!

Mulher que caiu no lago do centro comercial quer a desforra
Cathy Cruz Marrero deve ser das poucas pessoas, senão a única, que não deu uma boa gargalhada com o vídeo, que mostra uma mulher a cair num lago dentro de um centro comercial porque estava distraída a enviar uma mensagem pelo telemóvel. A explicação é simples: É ela a protagonista e não quer deixar a risada geral ficar sem resposta.
A agora famosa mulher que caiu no lago artificial foi ao programa Good Morning America, na quinta-feira, contar a sua versão do episódio da véspera, que acabou no YouTube, para divertimento de milhares de internautas.
Cathy Cruz Marrero, de 49 anos, trabalha no centro comercial e estava a enviar uma sms a uma amiga quando tropeçou e caiu dentro de água. Quando conseguiu levantar-se, apenas uma pessoa de uma loja a ajudou.
Frustrada por ninguém ter ido em seu socorro, esta estrela forçada está agora a analisar as suas opções legais. Para o programa, já levou um advogado, que anunciou a intenção de processar a segurança do centro comercial.

RELEMBRE O CASO:
Mulher-zumbi cai em fonte quando, hipnotizada, digita alguma merda no celular. Burra estava entretida com tecnofalo e esqueceu do mundo lá fora!

O vídeo foi removido do You Tube. Segundo o portal, "foi removido porque seu conteúdo violou os Termos de Serviço do YouTube".

"If You Can't Walk While Texting Then I'm Glad They Have A Law Preventing Texting While Driving :P " ( Comentário de internauta no You Tube )

sábado, 22 de janeiro de 2011

Jaz São Paulo: 25 de Janeiro, Aniversário de Atlântida


LEIA POSTS SOBRE ENCHENTES:
https://humbertocapellari.wordpress.com/category/enchentes/

À espera que um ET nos telefone

A fórmula consagrada nos desenhos animados e nos filmes de ficção científica de série B norte-americanos é "Take us to your leader!" É isto que dizem os extraterrestres quando a sua nave espacial chega à Terra (a Washington ou Nova Iorque, onde havia de ser?). E os terrestres, estupefactos e aterrados, tratam de levar o ET ao mayor, à ONU ou a outro sítio qualquer.
Por estranho que possa parecer, saber exactamente que diálogo deve ser encetado com os ET é matéria de estudo científico. A prova disso é que a revista Philosophical Transactions A da conceituada Royal Society britânica acaba de publicar uma edição inteiramente dedicada à "detecção de vida extraterrestre e as suas consequências para a ciência e a sociedade".
No site daquela sociedade científica ( rsta.royalsocietypublishing.org/content/369/1936.toc etoc ), é possível ter acesso às conferências proferidas por uma constelação de especialistas de "astrobiologia" - vulgo, vida extraterrestre -, num encontro que decorreu em Londres há um ano. Nesse encontro, vários participantes apelaram a uma colaboração das Nações Unidas na definição dos protocolos a adoptar em caso de eventual contacto com uma espécie alienígena inteligente.
Dois meses depois daquele encontro, o célebre físico britânico Stephen Hawking ( que não era um dos oradores ) lançava, por seu lado, um surpreendente alerta num documentário realizado para o canal de televisão Discovery. Hawking, que acha muito razoável pensar que existe vida inteligente lá fora, dizia que, se algum extraterrestre inteligente quisesse comunicar connosco, o melhor seria ficarmos calados e não respondermos. Porque, se fossem alertadas para a nossa presença, forças alienígenas à procura de mundos habitáveis ou com recursos exploráveis poderiam desembarcar na Terra - com consequências tão nefastas para nós como foi para os índios a chegada à América dos conquistadores espanhóis em finais do século XV.
Mas será que as coisas são assim tão dramáticas? De facto, quando lemos os textos que foram agora postos online, este cenário de contacto físico fica relegado para um plano secundário, como algo de muito improvável - e talvez até impossível.
Uma coisa é certa, contudo: a existência de vida extraterrestre ( não necessariamente inteligente ) ganhou adeptos na comunidade científica na última década, em especial com a descoberta de planetas extra-solares - e, mais recentemente, com a constatação de que planetas rochosos parecidos com o nosso, em órbita em redor de estrelas parecidas com o nosso Sol, não são a excepção e, pelo contrário, serão mesmo bastante vulgares. A questão já não parece ser a de saber se estamos sozinhos ou não. É apenas uma questão de tempo, dizem muitos especialistas, até encontrarmos vida num desses planetas.
Há vida lá fora
Há uns 50 anos, Frank Drake, fundador do SETI, calculou graças a uma fórmula matemática que leva o seu nome que deveriam existir umas 10 mil civilizações inteligentes no Universo. O SETI ( Search for Extraterrestrial Intelligence ) é o famoso projecto de procura de vida extraterrestre inteligente, que chegou a ser um programa da agência espacial norte-americana NASA nos anos 1990, mas que é hoje gerido pelo SETI Institute, uma entidade privada com sede na Califórnia.
O número obtido por Drake poderá ser exagerado ( de facto, ninguém sabe calculá-lo ao certo ). Mesmo assim, como o Universo contém, segundo as estimativas, centenas de milhares de milhões de galáxias ( e a nossa Via Láctea, por exemplo, até 400 mil milhões de estrelas ), não há razão para o nosso sistema solar e o nosso planeta serem únicos.
Mas, para além dos argumentos puramente numéricos em favor da existência de outros cantinhos habitáveis, porque é que deveria necessariamente haver vida nos planetas parecidos com a Terra que sem dúvida orbitam em torno de algumas estrelas? E se, mesmo nesses, nada tivesse acontecido?
O belga Christian de Duve, Prémio Nobel da Medicina em 1974, tem enquanto bioquímico razões para pensar que a vida é "um imperativo cósmico" ( expressão inventada por ele ) e surge obrigatoriamente, dadas as condições certas. De Duve pensa que o mais provável é que surja em planetas parecidos com o nosso - e vai ainda mais longe, argumentando que também é um imperativo que a vida, quando surge em condições semelhantes à da Terra, seja ela própria parecida com a vida na Terra. Por diversas razões ligadas à química e à selecção natural, acredita que, "se a evolução acontecesse duas vezes, daria novamente o mesmo resultado".
Paul Davies, físico da Universidade do Arizona e um dos grandes nomes actuais da astrobiologia, pensa, por seu lado, que não é preciso encontrar vida num exoplaneta para pôr à prova a noção de imperativo cósmico. Bastaria descobrir aqui mesmo, no nosso planeta, uma "segunda génese", "uma biosfera-sombra a coexistir lado a lado e talvez a interpenetrar-se com a biosfera que conhecemos", explica no seu texto. A descoberta de formas de vida "estranhas" na Terra confirmaria a inevitabilidade da vida. Davies foi, aliás, um dos elementos da equipa que, em Dezembro passado, anunciou justamente ter descoberto a primeira forma de vida "estranha" - uma bactéria que se alimenta de arsénio. Mas, por enquanto, o resultado permanece controverso.
Davies também pensa que há vida lá fora - e que há mesmo vida inteligente: não é por acaso que ele é, desde 2008, o presidente do Grupo de Trabalho Pós-Detecção ( Post-Detection Taskgroup ) do SETI, uma espécie de "comité de recepção" formado por várias dezenas de especialistas de diversas áreas e cuja função é assumidamente preparar-se para o primeiro contacto com ET inteligentes.
Dos ET aos ETI
Os restantes autores dos diversos textos agora publicados pela Royal Society também parecem concordar ( ou, pelo menos, não discordar frontalmente ) com a ideia da inevitabilidade da emergência de vida inteligente - de ETI, para abreviar -, ao longo da evolução das espécies extraterrestres. Mas nem todos são optimistas quanto ao desenlace de um nosso encontro com eles. Num registo algo semelhante ao de Hawking, Simon Conway Morris, paleontólogo da Universidade de Cambridge, dá ao seu artigo um título dramático: "Prever como serão os extraterrestres - e prepararmo-nos para o pior." É que, argumenta este especialista com bastante sentido de humor, não só a vida bacteriana será inevitavelmente parecida com a da Terra, mas a psicologia dos ETI será, ela também, do mesmo género que a dos seres humanos. Assim, o mais provável é que sejam tão conflituosos e gananciosos como nós. "Se existirem alienígenas inteligentes", escreve, "vão ser exactamente como nós e, dada a nossa história muito pouco gloriosa, isto deveria fazer-nos reflectir." E acaba assim: "O que é que preferem: vizinhos com uma cultura tipo astecas ou um silêncio gritante?"
Menos dramático é, por exemplo, Ted Peters, teólogo do Pacific Lutheran Theological Seminary, na Califórnia, que acha que "não é razoável prever que as principais tradições religiosas da Terra irão entrar em crise, e ainda menos entrar em colapso, se confirmarmos um encontro com uma inteligência extraterrestre". "Os teólogos tradicionais terão de se tornar astroteólogos. (...) Prevejo o seguinte: que o contacto com extraterrestres inteligentes irá expandir a visão religiosa actual", prossegue. Já Albert Harrison, psicólogo da Universidade da Califórnia, considera no seu artigo sobre as possíveis reacções dos seres humanos aos ET e aos ETI que, "embora seja fácil imaginar cenários assustadores, a detecção de vida microbiana no nosso sistema solar ou a recepção de transmissões microondas vindas de anos-luz de distância são mais susceptíveis de gerar equanimidade e deleite do que reacções adversas como o medo ou o pandemónio".
Harrison põe, de resto, o dedo no cerne da questão: o primeiro contacto com um ETI, a acontecer, terá provavelmente a forma de uma mensagem vinda de tão longe - e que terá portanto demorado tanto tempo a chegar até nós - que não apresentará perigo nenhum. Mas essa insondável distância também tem um inconveniente: no fundo, torna a nossa comunicação com eventuais ETI muito difícil, por não dizer impossível. Imaginando que a civilização mais próxima se encontra a uns mil anos-luz da Terra, se eles tivessem a capacidade tecnológica suficiente para visualizar o que se passa à superfície do nosso planeta, as cenas que veriam teriam dez séculos de atraso. Seriam tão afastadas da nossa realidade actual, como se espreitássemos hoje para o nosso ano 1011. Da mesma forma, se nós recebêssemos um sinal de um ETI, a nossa resposta demoraria, à velocidade da luz, mil anos a chegar ao destinatário - cuja civilização poderia mesmo ter, entretanto, deixado de existir.
50 anos de silêncio
Há 50 anos que o SETI começou a procurar ETI. Têm sido 50 anos de silêncio. Mas Paul Davies e o seu grupo não desistem de ser os porta-vozes interestelares da humanidade. Numa entrevista concedida há uns meses ao diário britânico Guardian, Davies interrogava-se sobre aquilo que iria dizer na mensagem de apresentação da nossa espécie, explicando que a tarefa era demasiado delicada para ser confiada aos políticos, aos religiosos ou aos militares. Nem as Nações Unidas escapavam ao seu sarcasmo: "Imagine irmos ter com a ONU e dizermos: "Há uma comunidade alienígena lá fora e temos de pensar no que lhes vamos dizer, por isso viemos ter convosco, que têm tanto jeito para encontrar soluções harmoniosas para os problemas do mundo." Seria a confusão absoluta", respondia Davies ao jornalista Jon Ronson.
Mas a situação poderá alterar-se em breve, se, tal como sugere no seu artigo Mazlan Othman, do Gabinete de Assuntos do Espaço ( Outer Space Affairs ) da ONU em Viena, forem desenvolvidos procedimentos para os Estados-membros poderem lidar com uma tal eventualidade. O grupo presidido por Davies no SETI, por seu lado, já encetou este caminho na sua Declaração de Princípios para a Procura de Inteligência Extraterrestre ( Declaration of Principles Concerning the Conduct of the Search for Extraterrestrial Intelligence em
www.setileague.org/iaaseti/protocols_rev2010.pdf ). Na última versão do documento, que data de Setembro de 2010, lê-se que, em caso de detecção confirmada de ETI, "os signatários desta declaração não responderão sem antes procurar a orientação e o consentimento de uma entidade internacional largamente representativa, tal como as Nações Unidas".
(
PUBLICO.PT )

LEIA TAMBÉM:
Sociedade científica reabre debate sobre vida fora da Terra
São Paulo - A comunidade científica foi surpreendida este mês pela reivindicação da inglesa Royal Society de que a Organização das Nações Unidas (ONU) elabore um plano de defesa contra extraterrestres.
Publicado na revista Philosophical Transactions, o artigo da sociedade científica britânica afirma que a humanidade deveria se precaver contra um encontro que poderia ser violento, e dividiu opiniões na comunidade científica brasileira.
Para os ufólogos - os pesquisadores de discos voadores - foi uma vitória. "Foi uma coisa sem precedentes. (A Royal Society) é uma das instituições cientificas mais sérias do planeta terra. Eles estão se abrindo, lentamente", diz Ademar Gevaerd, pesquisador e editor da revista UFO. O professor e pesquisador em Astronomia e Astrofísica Kepler de Souza Oliveira Filho pondera que a possibilidade de que uma vida externa seja agressiva sempre existe, mas o astrônomo não acredita em contatos agressivos entre civilizações, "simplesmente porque as distâncias entre as estrelas são tão grandes que não há possibilidade de viagens entre elas".
Crenças e evidências à parte, o diretor do Observatório Astronômico da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Basílio Santiago, vê utilidade na reflexão sobre a natureza dos ETs. "É útil na medida em que nos faz refletir sobre a civilização na Terra. Ao avaliarmos os riscos de civilizações extraterrestres, reforçamos em nós todos a noção de uma civilização humana. Isso é fundamental para os desafios de governabilidade mundial", explica.
"A comunidade científica, que por muito tempo ficou completamente fora dessa discussão por puro preconceito e ignorância, hoje começa a se abrir", comemora Gevaerd. No entanto, o ufólogo acredita que o estágio da discussão pública ainda é "primitivo". "Estão falando em micróbios e processos biológicos que podem levar uma vida. Mas reservadamente, a informação de que nós estamos sendo visitados por outras espécies cósmicas já é seriamente considerada pelas diretorias de muitas instituições", aposta.
Basílio Santiago não acredita que a reivindicação da Royal Society indique uma total mudança de posição da instituição. "Não há ainda evidência de contatos com extraterrestres. O que há são relatos isolados que carecem de confirmação e validação", observa.
Conceito de vida extraterrestre não é consenso
Oliveira Filho lembra que a procura de vida fora da Terra é muito difícil. "Primeiro, porque é preciso definir o que é vida, e não há consenso sobre a definição. Segundo, porque quando fazemos uma procura na Lua ou em Marte, ou em outros planetas e satélites aonde conseguimos enviar sondas, precisamos ter certeza de que não estamos contaminando o meio pesquisado. Terceiro, sabemos que, nestes planetas e satélites perto de nós, não há condições físicas de haver vida desenvolvida, só microorganismos, por falta de água e calor. E os planetas fora do Sistema Solar estão tão distantes, que não temos condição de enviar sondas". Resta, segundo o professor, estudar os sinais de rádio emitidos em outros sistemas e procurar por vida inteligente através de um sinal com informação.
São grandes radiotelescópios, como o de Arecibo, em Porto Rico, que buscam estes sinais de inteligência extraterrestre. "Mas há também a busca por planetas nas zonas de habitabilidade em torno de estrelas. Futuramente, será possível identificar as chamadas bioassinaturas nesses planetas, ou seja, substâncias associadas à vida", projeta Basílio Santiago.
"Conseqüências devastadoras"
Em abril de 2010, o astrofísico Stephen Hawking declarou em entrevista ao Discovery Channel que os humanos deveriam "evitar qualquer contato com ETs", porque as conseqüências poderiam ser "devastadoras".
Em setembro do mesmo ano, uma reunião de militares da reserva americana aconteceu em Washington e contou com a presença de representantes da força aérea, exército e marinha. A conferência, transmitida ao vivo pela rede CNN, teve a presença de Robert Salas, oficial de lançamentos de mísseis entre 1964 a 1971, que relatou diversos incidentes onde radares teriam detectado objetos voadores não identificados. Segundo seus relatos, os discos voadores teriam sobrevoado as ogivas em baixas altitudes, fazendo os mísseis pararem de funcionar, encerrando a comunicação deles com os instrumentos de lançamento. Também foi declarado que, durante testes militares de lançamento de foguetes com ogivas desarmadas, mísseis foram destruídos em pleno ar por discos voadores.
Pesquisa no Brasil
O Brasil teve as primeiras comissões de pesquisa sobre o tema no mundo, contando inclusive com centros de pesquisas ufológicas dentro da força aérea brasileira. Fundado em 1969 e hoje extinto, o Sistema de Investigação de Objetos Aéreos não Identificados (Sioani) era um órgão oficial da aeronáutica dentro do 4º Comando Aéreo Regional, em São Paulo.
Desde 2007, o governo brasileiro já liberou cerca de 5 mil páginas de documentos classificados como "confidenciais" envolvendo incidentes com discos voadores em todo o território nacional, inclusive relatando perseguições de jatos da força aérea. Os documentos estão disponíveis para pesquisa pública no Arquivo Nacional, em Brasília.
Uma portaria assinada pelo comandante da Aeronáutica, Juniti Saito, também determina que todas as ocorrências com possíveis ovnis no País, especialmente as relatadas por pilotos, devem não somente ser transferidas para o Arquivo Nacional, mas também relatadas à autoridade competente, no caso ao Comando de Operações Aéreas (Comgar), o braço armado da Força Aérea Brasileira.
( O DIA )

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Alergia ao próprio sêmem causa dor nos olhos

Alergia ao sémen provoca febre e... dor nos olhos
Chama-se Doença Pós-Orgástica e é coisa séria, garantem cientistas holandeses
Há homens que ficam com febre, cansados, nariz vermelhor e dores nos olhos depois de um orgasmo. Isso acontece porque são alérgicos ao próprio esperma e os sintomas podem durar até uma semana após a releção sexual, dizem cientistas holandeses.
Os sintomas estão associados a um problema chamado de Doença Pós-Orgástica e já há casos documentados desde 2002. Ainda assim, o problema é desconhecido de muitos médicos.
Marcel Waldinger, investigador da Universidade de Utrecht, na Holanda, e autor de um estudo dsobre a doença, alerta que o desconhecimento dos especialistas agrava o sofrimento dos doentes. «Estes resultados são uma importante descoberta na pesquisa da síndrome e contradizem a teoria das causas psicológicas para o problema», sublinha, citado pelo portal «Terra Brasil».
«Os homens que participaram no estudo não sentiam os sintomas quando se masturbavam sem ejaculação, mas assim que o sêmen aparecia sentiam-se doentes em apenas alguns minutos», acrescenta o professor de Psicofarmacologia Sexual.
(
TVi24 )

Sêmen nutre e hidrata os pêlos das mãos, mas dá uma dor na vista...

Síndrome rara fez americana ser atacada pela própria mão

Imagine ser atacado por uma de suas próprias mãos, que tenta repetidamente estapear e socar você. Ou então entrar em uma loja e tentar virar à direita e perceber que uma de suas pernas decide que quer ir para a esquerda, fazendo-o andar em círculos.
Essa realidade é bem conhecida da americana Karen Byrne, de 55 anos, que sofre de uma condição rara chamada Síndrome da Mão Alheia.
A síndrome de Byrne é fascinante, não somente por ser tão estranha, mas também por ajudar a explicar algo surpreendente sobre como nossos cérebros funcionam.
O problema começou após ela passar por uma cirurgia, aos 27 anos, para controlar sua epilepsia, que havia dominado sua vida desde seus 10 anos de idade.
A cirurgia para curar a epilepsia normalmente envolve identificar e depois cortar um pequeno pedaço do cérebro no qual os sinais elétricos anormais se originam.
Quando isso não funciona, ou quando a área danificada não pode ser identificada, os pacientes precisam passar por uma solução mais radical.
No caso de Byrne, seu cirurgião cortou seu corpo caloso, um feixe de fibras nervosas que mantém os dois hemisférios do cérebro em permanente contato.
Novo problema
O corte do corpo caloso curou a epilepsia de Byrne, mas a deixou com um problema totalmente diferente.
Ela conta que inicialmente tudo parecia bem, mas que então os médicos começaram a notar um comportamento extremamente estranho.
‘O médico me disse: ‘Karen, o que você está fazendo? Sua mão está te despindo’. Até ele dizer isso eu não tinha percebido que minha mão esquerda estava abrindo os botões da minha camisa”, diz.
“Então eu comecei a abotoar a camisa novamente com a mão direita, mas assim que eu terminei, a mão esquerda começou a desabotoar de novo. Então o médico fez uma chamada de emergência para um outro médico e disse: ‘Mike, você precisa vir aqui imediatamente, temos um problema’.”
Karen Byrne havia saído da operação com uma mão esquerda que estava fora de controle.
“Eu acendia um cigarro, colocava-o no cinzeiro e então minha mão esquerda jogava-o fora. Ela tirava coisas da minha bolsa sem que eu percebesse. Perdi muitas coisas até que eu percebesse o que estava acontecendo”, diz.
Em alguns casos, a mão esquerda dela chegava a estapeá-la, sem controle. Ela conta que seu rosto chegava a ficar inchado com tantos golpes.
Luta de poder
O problema de Byrne foi provocado por uma luta por poder dentro de sua cabeça.
Um cérebro normal é formado por dois hemisférios que se comunicam entre si por meio do corpo caloso.
O hemisfério esquerdo, que controla o braço e a perna direitos, tende a ser onde residem as habilidades linguísticas.
O hemisfério direito, que controla o braço e a perna esquerdos, é mais responsável
pela localização espacial e pelo reconhecimento de padrões.
Normalmente o hemisfério esquerdo, mais analítico, domina e tem a palavra final nas ações que desempenhamos.
A descoberta do domínio hemisférico tem sua raiz nos anos 1940, quando os cirurgiões decidiram começar a tratar a epilepsia com o corte do corpo caloso.
Após a recuperação, os pacientes pareciam normais. Mas nos círculos psicológicos eles se tornaram lendas.
Isso porque esses pacientes revelariam, com o tempo, algo que parece incrível – que as duas metades do nosso cérebro têm cada um uma espécie de consciência separada. Cada hemisfério é capaz de ter sua própria vontade independente.
Experiências
O homem que fez muitas das experiências que primeiro provaram essa tese foi o neurobiólogo Roger Sperry.
Em um estudo particularmente notável, que ele filmou, é possível ver um dos pacientes com o cérebro dividido tentando resolver um quebra-cabeças.
O quebra-cabeças exigia o rearranjo de blocos para que eles correspondessem a padrões em uma imagem.
Primeiro o homem tentou resolver o quebra-cabeças com sua mão esquerda (controlada pelo hemisfério direito), com bastante sucesso.
Então Sperry pediu ao paciente que usasse sua mão direita (controlada pelo hemisfério esquerdo). Essa mão claramente não tinha nenhuma ideia de como fazê-lo.
A mão esquerda então tentou ajudar, mas a mão direita parecia não querer ajuda, então elas terminaram brigando como se fossem duas crianças.
Experiências como essa levaram Sperry a concluir que “cada hemisfério é um sistema de consciência isolado, percebendo, pensando, lembrando, raciocinando, querendo e se emocionando”.
Em 1981 Sperry recebeu um prêmio Nobel por seu trabalho. Mas em uma ironia cruel do destino, ele então já sofria com uma doença degenerativa do cérebro, chamada kuru, provavelmente contraída em seus primeiros anos de pesquisas com cérebros.
Medicação
A maioria das pessoas que tiveram seus corpos calosos cortados parecem normais posteriormente. Você poderia cruzar com eles na rua e não saberia que algo havia acontecido.
Karen Byrne teve azar. Após a operação, o lado direito de seu cérebro se recusava a ser dominado pelo lado esquerdo.
Ela sofreu com a Síndrome da Mão Alheia por 18 anos, mas felizmente para ela seus médicos encontraram uma medicação que parece ter trazido o lado direito de seu cérebro de volta ao controle.
A história de Byrne foi contada no último programa da série da BBC The Brain (O Cérebro), que foi ao ar na Grã-Bretanha na quinta-feira.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Golpe