sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Eleições nos EUA: Golpe para empossar McCain não deixa de ser aguardado, dizem analistas.

Essa matéria saiu no JB de sexta-feira ( hoje ) e eu descolei no site dos brasileiros residentes na Florida. Menos mal.
Bom, esse é o título que eu preferi colocar. Essa tal "surpresa", se viesse, não seria considerada "surpresa", já que "historicamente" ( isso quer dizer, nas últimas duas disputas ), a bruxa do Halloween apareceu na última semana trazendo, em seu saco de maldades, uma travessura republicana. O McCain, que não deve assistir ao canal Fox, diz que a mídia é pró-Obama ( uai, que seja ); o Olavo diz a mesma coisa e adverte sobre os amigos terroristas do Obama (o tal Bill Ayers, cidadão que pertencia ao grupo Weather Underground na década de 60 ). O Dom Betrand, trineto ou coisa parecida do Dom Pedro escreveu um artigo que saiu hoje publicado na Folha de São Paulo, sobre o antiamericanismo e aproveitou para culpar os pacifistas e ativistas hippies pela derrota ( aliás, nem considerou como derrota ) americana no Vietnã ( é engraçado imaginar uma "esquerda" americana. O Partido Comunista de lá jamais chegou perto sequer do poder. O Partido Democrata é que é considerado a "esquerda". Pensemos no PT, a esquerda daqui: leia a vEJA, o Estadão, a Folha. O Reinaldo e o Mainardi. Eles parecem brincar de assustar a classe-média. Esta deve, todo dia antes de dormir, olhar debaixo da cama para ver se o Zé Dirceu não está lá, tramando a subversão.
Leia um jornal do PCO ou o carioca a Nova Democracia. O que estes pensam a respeito do PT? eles acham, no mínimo, que o Zé Dirceu não está debaixo da cama, mas sim, dorme em uma bem confortável, com lençóis de cetim burgueses; eu sei que houve uma extrema balbúrdia na convenção Democrata de 68 em Chicago. Até onde sei, os "esquerdistas" foram lá para bagunçar o coreto. O MC5 tocou lá. O que pensavam os radicais de 68 sobre os líderes nacionais do Partido Democrata? Alguém acha, realmente, que a vitória de Obama seria a vitória do bolchevismo internacional no centro capitalista? Só a classe-média para se assustar com essa possibilidade... ).
Melhor seria ao Obama que David Duke o apoiasse, não é?
Bom, voltando: a mídia, de um modo geral, mais as pesquisas garantindo que o triunfo de Barack é questão de horas; o McCain se queixando da mídia democrata-liberal; tudo parece dirigir o espírito do americano para aceitar o inevitável. Tudo muito "favas contadas".
A "surpresa histórica" vem aí.

Analistas não descartam histórica surpresa dos últimos dias
Pode já ser tarde demais para a tão discutida “surpresa de outubro”, mas Obama e McCain estão atentos para o fatídico “último fim de semana”. Nas duas últimas eleições presidenciais, a reta final teve fatos inesperados, que influenciaram o resultado em disputas apertadas. A cinco dias da eleição presidencial americana, o democrata Barack Obama abriu sete pontos de vantagem sobre o republicano John McCain, segundo pesquisa Reuters/C-Span/Zogby, divulgada ontem. Obama tem 50% da preferência dos prováveis eleitores, contra 43% de McCain, aumentando a vantagem de 5 pontos que tinha na véspera. Ainda assim, a história recente aponta que pode ser cedo demais para cantar vitória.– O último fim de semana tende a ser um período muito esquisito – disse Steven Schier, analista político da Faculdade Carleton, em Minnesota. – É quando os últimos eleitores que não estavam prestando atenção se ligam, e os últimos indecisos se decidem. Coisas estranhas podem acontecer. Em 2004, Osama bin Laden, líder da Al Qaeda, fez um pronunciamento na sexta-feira prévia à eleição, deslocando a discussão para a ameaça terrorista, possivelmente ajudando na reeleição de George Bush – como seu adversário John Kerry admitiria posteriormente. Em 2000, a última polêmica da campanha surgiu na quinta-feira prévia ao pleito. Bush, então governador do Texas, havia sido preso em 1976 por dirigir embriagado, e nunca revelara publicamente o fato, até que ele vazou à mídia. Pesquisas de boca-de-urna indicaram que a revelação do fato afetara a votação de Bush na reta final. Em momento de desconsideração à cautela, Obama disse ontem que se ganhar a eleição na próxima terça-feira, poderá convidar republicanos para participar de seu governo O democrata também afirmou ter “algumas idéias bastante boas” sobre ocupantes do primeiro escalão do governo.ConclusãoEnquanto McCain passa os últimos dias da campanha em regiões do Sul e Oeste, onde os republicanos são mais fortes, Obama convidou o ex-presidente Bill Clinton para aparecer com ele em comícios na Flórida para uma passagem simbólica da tocha do último presidente democrata para o homem que espera ser o próximo.O ex-vice-presidente dos EUA Al Gore também faz campanha pelo candidato democrata no Estado da Flórida, onde foi derrotado na corrida à Casa Branca oito anos atrás, pelo presidente Bush.Gore e sua esposa participam hoje de eventos em Fort Lauderdale e West Palm Beach, dois condados que entraram na história do país por causa da polêmica sobre a recontagem dos votos, que deu a vitória a Bush por uma margem de apenas 537 votos.É a primeira vez desde 2000 que Gore retorna à Flórida para fazer campanha por um candidato à Casa Branca. O discurso final de Obama tem sido cauteloso, a fim de cimentar as estradas que construiu com os eleitores cujo nível de aceitação em relação a ele cresceu. Obama tenta acabar com qualquer incerteza no que diz respeito a eleger um senador em seu primeiro mandato e dissipar as críticas de que é um líder inexperiente, que aumentaria os impostos, redistribuiria a renda e pegaria leve com os terroristas.

Secretários de Serra não comparecem à audiência pública com policiais

30.10.08
“A ausência de representantes do governo na audiência é mais um desrespeito do governador com os policiais, com a Assembléia Legislativa e com o povo paulista”, definiu o líder da Bancada do PT, Roberto Felício, ao comentar sobre a ausência dos secretários de Estado da Segurança, da Gestão Pública e da Fazenda na audiência pública que debateu os projetos de lei para as polícias, nesta quinta-feira (30/10).
No entanto, Roberto Felício esclareceu que “a Bancada do PT solidária e compromissada com a luta dos policiais do Estado de São Paulo está apresentando 18 emendas” aos cinco projetos de lei complementares (57, 58, 59, 60 e 61/2008), enviados à Assembléia Legislativa pelo Executivo e que tratam das carreiras das polícias civil, militar e técnico-científica. Entre eles, o que prevê o reajuste salarial de apenas 6,5% para janeiro de 2009 e 6,5% para 2010.
Entre as emendas petistas está a que determina o cumprimento da data-base de 1º de março e a que estipula o reajuste salarial dos policiais civis em 15% para 2008; 12% para 2009 e 12% para 2010. (leia no final da página “em anexo” as emendas do PT)
Entidades exigem respeito
Com a presença de cerca de 300 policiais, 16 representantes de entidades apontaram os problemas encontrados nos projetos de lei complementares do governo. O diretor da Associação dos Praças da PM, Sargento Neto, enfatizou que os policiais “exigem do governo do Estado e dos deputados a valorização da nossa carreira, o cumprimento da nossa data-base, a incorporação das gratificações aos salários, a democratização das instituições e condições dignas de trabalho”.
Neste mesmo sentido, Hilkias de Oliveira (Associação da Polícia Civil), João Rebouças Neto (Sindicato dos Investigadores) e Valter Onorato (Associação dos Escrivães) pediram a valorização dos policiais e apelaram aos deputados da base aliada do governo para que aprovem as emendas propostas pelas entidades, que foram encaminhadas pela Bancada do PT.
"O PSDB faz uma política de arrocho para os servidores e pedimos que aos parlamentares dessa Casa que não deixem que os policiais de São Paulo sejam humilhados com o menor salário entre todos os Estados”, salientou Hilkias de Oliveira.
O representante da Associação dos Bombeiros, Antonio Carlos, fez um apelo ao presidente da Assembléia, o tucano Vaz de Lima, para que abra um canal de diálogo com o governador José Serra. “Leve-nos ao governador José Serra para que essa guerra termine hoje”, afirmou o bombeiro.
Neste mesmo sentido, Marcos Flores da Federação das Associações de Policiais Militares, também pediu ao deputado tucano uma audiência para discutir com o governador ou seus secretários a reestruturação das carreiras policiais.
“Mais uma vez o governador esconde a cara”
“Ou o governo Serra abre mão de seu autoritarismo e aceita as emendas que o PT está propondo ou a greve vai continuar”, disse o deputado Adriano Diogo. Segundo o petista, é praxe da base governista na Assembléia aprovar os projetos sem as emendas e “com isso nós não vamos concordar”. “Não ter nenhum secretário presente aqui hoje, é uma afronta que o governador José Serra nos faz. Mais uma vez o governador esconde a cara”, afirmou Adriano Diogo.
O deputado Enio Tatto, líder da Minoria, explicou que é muito fácil entender a revolta dos policiais ao se verificar os números do orçamento dos tucanos: “O orçamento do Estado de São Paulo em 1998 era de R$ 38,9 bilhões e, com uma média de crescimento de 7% a 8% por ano, chega a 2009 com um orçamento previsto de R$ 116 bilhões. Enquanto isso, nestes dez anos (1998 a 2008), os policiais não tiveram reajuste em cinco anos e nos outros cinco anos os reajustes foram abaixo do IPC, que teve média em torno de 3% ao ano”. “É essa a política do PSDB de valorização dos servidores”, finalizou Tatto.
Para o deputado Carlinhos Almeida, o movimento dos policiais é um alerta para toda a população e para os deputados do descaso com que o governo Serra tem com a polícia. “É preciso colocar o dedo nesta ferida. É um ferida que está aberta no Estado de São Paulo há muito tempo”, salientou Almeida.
“Essa greve já produziu um fato histórico: outros Estados, entre eles Paraná, Minas Gerais e Brasília, já estão mobilizando um greve nacional em solidariedade à policia civil de São Paulo”, enfatizou o deputado Hamilton Pereira que lembrou também que “mais do que por salários, os policiais brigam por dignidade”.
O deputado Zico Prado propôs ao líder do PSDB, Samuel Moreira, para formar uma comissão de parlamentares para ir até o governador José Serra na busca do diálogo e da negociação. “É preciso que se saía desta audiência com uma proposta e ação definida para não ser apenas mais uma audiência pública que o governo fica de ouvidos tampados”, esclareceu o parlamentar petista.
Porém, até o final da audiência não houve nenhuma manifestação do deputado tucano sobre a proposta de Zico Prado.
Também os petistas Cido Sério, Marcos Martins, Rui Falcão, Ana Perugini e Simão Pedro fizeram uso da palavra e expuseram a necessidade da recuperação dos salários dos policiais e uma condizente valorização de suas carreiras. Eles disseram estar solidários com as reivindicações da categoria e demonstraram indignação com a falta disposição do governo do Estado para uma negociação.
Nas suas considerações, Cido Sério lembrou que São Paulo tem a melhor polícia da Brasil, no entanto, recebe o menor salário. Já Marcos Martins comentou que, mesmo em greve, a polícia civil prendeu quadrilha que fraudava licitações na área da saúde.
Rui Falcão, por sua vez, trouxe à discussão a informação de que tem ocorrido um decréscimo no custeio dos serviços públicos na gestão tucana no Estado de São Paulo.
A deputada Ana Perugini descreveu as condições precárias das delegacias e lembrou que em muitas cidades do interior o aluguel onde ficam sediadas é bancado pela prefeitura e que é comum o cenário de amontoados de papéis e inquéritos em poltronas, por falta de espaço e condições adequadas de trabalho.
Por último pronunciou o deputado Simão Pedro que fez apelos ao líder do governo na Assembléia para o diálogo e ponderou que o governo erra ao apostar no desgaste do movimento. “O setor está muito determinado e aguerrido, o governo não deve apostar que vencerá o movimento pela pressão e cansaço", salientou Simão Pedro.
Manifestação - 29/10/2008
Oito mil policiais civis fazem manifesto na Praça da Sé, em São Paulo
Ass. Imprensa - Dep. Ana Perugini
Em apoio ao movimento grevista da Polícia Civil do Estado de São Paulo, a deputada estadual Ana Perugini (PT), juntamente com deputados da bancada do partido, participou da mobilização que reuniu cerca de oito mil pessoas na Praça da Sé, em São Paulo, na segunda-feira (27). Ana Perugini ressaltou a importância do trabalho da Polícia Civil. “Essa é a polícia que investiga os crimes e que desvenda os casos de seqüestros”.
Agora, a bancada do PT se prepara para apresentar emendas aos projetos de lei do Governo que prevêem a reformulação da categoria e devem ser votados nesta semana. Entre as propostas, o Estado sugere reajuste de 6,5% em janeiro e outros 6,5% em janeiro de 2010. A categoria defende 15% para este ano ainda, 12% para 2009 e o mesmo índice para 2010.
Nesta quinta-feira (30), representantes dos policiais civis se reúnem em audiência pública na Assembléia Legislativa para discutir as propostas para a reforma da polícia.
A mobilização na Praça da Sé, seguiu em passeata até a Secretaria de Segurança Pública. Com faixas, camisetas, buzinas e placas, policiais vindos de todas as regiões do Estado pediam, em coro, a troca do secretário Ronaldo Marzagão. O movimento terminou em frente à Delegacia Geral de Polícia, pacificamente. A categoria está em greve há 45 dias.
Paralisação nacional
Em solidariedade aos policiais civis de São Paulo, três federações da categoria prometem que, caso o Governo não recepcione as reivindicações da categoria policial, haverá paralisação nacional das atividades de polícia judiciária no dia 17 de novembro, no período de 8 horas às 12 horas.
A decisão foi deliberada durante encontro nacional dos presidentes e diretores das federações, ocorrida no dia 25 de outubro, em Belo Horizonte (MG).




STF arquivou habeas corpus de Dantas para cancelar audiência

Banqueiro responde na Justiça por crime de corrupção ativa
O ministro Eros Grau, do Supremo Tribunal Federal (STF), arquivou nessa quinta-feira (30) o habeas corpus apresentado pelo banqueiro Daniel Dantas para suspender a audiência marcada para o último dia 22. O interrogatório fazia parte da ação penal a que Dantas responde na Justiça Federal de São Paulo por crime de corrupção ativa. Como o habeas corpus não havia sido julgado no dia 22, o depoimento ocorreu normalmente. Na ocasião, o banqueiro disse ser perseguido pelo governo. No recurso, os advogados ressaltavam que Dantas e dois outros acusados estariam em vias de ser injustiçados, uma vez que o juiz Fausto de Sanctis, da 6ª Vara Criminal Federal, "pretenderia julgá-los mesmo sendo incompetente para tanto". Segundo a defesa do banqueiro, o juiz atua em uma vara especializada em crimes contra o Sistema Financeiro Nacional e não em crimes contra a administração pública. Em sua decisão, o ministro deixou registrado que o habeas corpus chegou ao seu gabinete no final do dia 22, mesmo dia da audiência. "A decisão que indefere liminar, pela impossibilidade da análise superficial de teses complexas, expostas em extensa inicial de aproximadamente duzentas laudas, além do substancial volume dos autos, não consubstancia flagrante constrangimento ilegal", afirmou Grau na decisão. O ministro ressaltou ainda que a defesa de Dantas acionou o STF sem que o TRF-3 (Tribunal Regional Federal) da 3ª Região e o STJ (Superior Tribunal de Justiça) tenham examinado o mérito dos recursos já apresentados aos tribunais.
NOVOJORNAL, 31.10.08

Hoje, 31: Assembléia dos professores da rede estadual de SP. Serra e imprensalão vão dizer que é "eleitoral" mais essa?

Já sugerimos, no bom e velho Cata-Milho/Encalhe, que o melhor local para essas manifestações legítimas devia ser Higienópolis( VER http://humbertocapellari.wordpress.com/2007/05/02/um-novo-local-para-manifestacoes-populares-na-capital-higienopolis/ ) . Mas dessa vez, será na praça da Sé.
Permanecendo no tema "greves", os jornais estão falando que as polícias civis de outros estados também parariam. Primeiro se falou em solidariedade aos colegas paulistas e, posteriormente, em questões trabalhistas ( VER http://jc.uol.com.br/2008/10/30/not_183661.php ).
As notícias incluíam nessas paralisações os paranaenses. Não é a informação que consta no site da Agência de Notícias do Paraná: Policiais civis garantem que não vão paralisar atividades .
Minha opinião: divulga-se a insatisfação dos policiais civis de outros estados buscando convencer a população paulista de que não é um problema exclusivo de nosso estado e, logo, não há muita diferença entre o tratamento dado pelos demais governos estaduais à sua polícia e aquele que governo do PSDB paulista dá aos nossos policiais. Dessa forma, haveria um exagero nas reclamações dos grevistas locais, entre elas a de que temos o Pior Salário Do Brasil.

Legendário folksinger PETE SEEGER no David Letterman!! Aiôu!!



Brilhante!!

Se não surgir o vídeo, clique:

http://popdose.com/pete-seeger-on-late-night-with-david-letterman/

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Mauro Carrara responde a Soninha Francine

TUDO EM CIMA - André Lux
Quinta-feira, 30 de Outubro de 2008
A tal de Soninha Francine, aquela que se elegeu vereadora em SP graças à militância do PT e logo depois fugiu do partido e se filiou ao PPS do quinta-coluna Roberto Freire, está aprendendo mesmo como seus novos amigos fascistóides do PFL e PSDB: "Quando não gostar de uma crítica ameace de processo!"
Desta vez ela ameaçou o veterano jornalista Mauro Carrara, por ter escrito o óbvio ululante. Confira neste link, no blog do Azenha.
Que figura grotesca essa moça virou, perdeu totalmente o senso do ridículo! Lamentável. Só quero ver o que vai acontecer quando ela perder a utilidade para o Darth Serra e for cuspida para longe. Vai dar dó...Confira abaixo a resposta humilhante que Carrara escreveu para a dondoquinha que se acha socialista só porque frequenta os barzinhos da Vila Madalena. É de lavar a alma!
A Carta Resposta de Mauro Carrara a Soninha Francine
"Prezada moça,
Passada e eleição em minha cidade, decidi espairecer. Por isso, aceitei convite da graciosa Manu Cienfuegos para vir a Buenos Aires. Aqui, minhas pernas antigas podem exercitar um tango tranqüilo e passear devagar pela Boca.
Hoje, no entanto, armei antenas para fuçar a informosfera brasileira. E lá piscava seu destemperado comentário na excelente estação virtual do Azenha.
Como sou bem mais velho e viajado que você, não iniciarei aqui um duro prélio. Tentarei, como São Paulo apóstolo, ser humildemente didático. E como prega o budismo tibetano, procurarei exercitar a compaixão.
Por interesse pedagógico, permito-me inverter a pirâmide de sua diatribe rancorosa.
4 e 3) Primeiramente, arrisco-me a lhe passar uma lição. Quando se cansar de suas aventuras de motoquinha, procure ler algo da obras de Norberto Bobbio, esse nobre pensador político e filósofo, filho do Piemonte, colega que infelizmente deixou este mundo em momento muito dramático da política italiana.
Há cerca de 20 anos, numa entrevista ao JB, disse o seguinte sobre a diferença entre direita e esquerda ( tradução livre que faço do italiano ):
- Ainda considero como direita aquelas forças que se colocam a serviço do interesse das pessoas satisfeitas. Os outros, os que sentem e agem do ponto de vista dos pobres, do excluídos da terra, são e serão sempre a esquerda. Sempre que me pedem uma diferenciação entre direita e esquerda, respondo que essa é a fundamental. Em nosso tempo, todos os que defendem os povos oprimidos, os movimentos de libertação do Terceiro Mundo, são a esquerda. Aqueles que, manifestando-se do alto do próprio interesse, dizem que não há motivo para distribuir o dinheiro que suaram para ganhar, são e serão a direita. Essa é a divisão que existe em toda parte, aqui como no Brasil.
Segundo ele, de direita são os que julgam as desigualdades como inevitáveis. A esquerda, argumenta o pensador, está viva naqueles que consideram iguais todos os homens, nos que se atrasam um pouquinho para esperar os mais lentos, nos que estendem as mãos sadias para socorrer as mãos enfermas, nos que se importam de verdade com aqueles que sofrem para subir a ladeira.
Não sou e nunca fui filiado ao PT. Minhas convicções se fundam numa utopia anarquista quase malatestiana, muitas vezes incompatível com as hierarquias e burocracias partidárias. Ainda assim, como não sou tonto nem canalha, procurei desde sempre contribuir com as iniciativas de cunho humanista desse partido.
Obviamente, afio a crítica quando o partido de Lula acomoda-se ou desvia-se de seus ideais, e tem sido assim há décadas. No entanto, se a agremiação da estrela algo move em favor dos mais pobres, tem em mim um ferrenho defensor.
Há quem escolha partidos por vaidade ou por simpatia. Gente que renuncia a tudo em que supostamente acredita porque lhe fez cara feia a Dona Cotinha ou porque João não lhe deu estima na festinha de aniversário.
Fosse essa a regra, e o grupo de Jesus de Nazaré teria somente defecções. Afinal, havia ali um traidor, um medroso, um estabanado... Enfim, Soninha, gente como a gente.
Com todos os seus equívocos, o PT ainda representa, na teoria e na prática, a esperança de redenção de milhões de brasileiros. Quando se cansar dos barzinhos da Vila Madalena, procure visitar o sertão nordestino. Ali, você certamente vai aprender um pouquinho da política real, daquela que alimenta, ensina e promove o ser humano, permitindo que se erga da indigência e caminhe de cabeça erguida.
Compreender essa escala de valores é o que deveria balizar as atitudes de um político de verdade, nunca as fofocas de bastidores de uma câmara municipal.
Aliás, quem colocou Soninha da dita casa parlamentar não demonstrava apoio somente à personagem, mas platonicamente à idéia que ela dizia representar.
Ao se bandear para o outro lado, o político eleito escarra na cara de seu eleitor e contribui para instaurar o ceticismo, especialmente nos jovens.
O tal PPS
A história se repete como tragédia ou como farsa. É o caso do partido que a moça abraçou. Primeiramente, cabe uma indagação: qual fez e faz mais pelos brasileiros, o partido de Lula ou o partido de Roberto Freire?
O PPS simplesmente assassinou toda a tradição de luta do antigo Partido Comunista. Deturpou conceitos, virou casaca e passou a fazer o jogo sórdido da direita, lambendo os escrotos purulentos daqueles que colaboraram para torturar e matar os rebeldes vermelhos das décadas de 60 e 70.
Mas vale uma visita ao tempo pretérito. Nos anos de chumbo, Freire passou incólume como procurador autárquico do IBRA, numa época em que muitos de nós servíamos de cobaias para testes de reação a eletrochoque ou afogamento. No governo FHC, virou um inseto "fisiológico", líder da chamada "bancada da madrugada", oposição de fachada durante o dia, aliada estratégica nos horários de recesso.
Freire foi o golpista que apareceu em todas as emissoras de TV, em 2.005, repetindo o bordão: "o governo acabou". Como um papagaio lesado, alçava a voz numa declaração que mais expunha seu desejo do que a realidade.
A história mostrou que Freire estava errado. Como humildade é virtude que não conhece, o político pernambucano jamais fez seu necessário ato de contrição. Segue por aí, de gabinete em gabinete, mascateando vergonhosamente suas migalhas de apoio oposicionista.
As pessoas de bem não têm dúvida: Freire constitui-se em expressão máxima de um jeito conveniente de fazer política, em que a renúncia moral é recompensada pelos mimos da direita e dos barões da mídia.
Portanto, Soninha, antes de se filiar ao próximo partido, procure pesquisar sua história e avaliar o comportamento de seus líderes. Fará bem para você.
2) Seu encontro com José Serra, o mestre de todos os vampiros, foi amplamente noticiado. O Palestra Itália é pequeno e, lá, tudo se sabe.
1) Agora, o que mais me espanta é que a moça me alcunhe de "criminoso" e peça até processo contra mim... Isso porque disse o que tudo mundo sabe: o PPS é um partido de aluguel da direita brasileira.
Engraçado é que a tal "liberdade de expressão", tão defendida por seus patrões midiocratas, serve somente para esculhambar com o PT e o resto da esquerda. Nesse caso, cinicamente, tudo pode. É possível caluniar, difamar e injuriar até mesmo o presidente da República.
Quando a crítica tem sentido contrário, isto é, quando mostra as incoerências da oposição, já se recorre à lei, à solução fácil e truculenta. Pois é, moça, quem te viu e quem te vê vai dar razão a Thoreau: "a política não é a moral, mas aquilo que se ocupa apenas do que é oportuno".
- Mauro Carrara, jornalista"
OBS: Puta que pariu, se vergonha matasse...
Eu, Humberto ( ato de contrição ) votei na moça. Mas jamais considerei que ela pudesse ser vítima dos poderes vampirescos e hipnóticos de Conde Josef.
Ontem, por acaso, - vejam como são as coisas - eu encontrei, em meio a meus jornais velhos, uma entrevista dela à IstoÉ Gente. Ela disse que se ligou ao Serra quando se encontraram nos camarotes carnavalescos do Anhembi e ele perguntou-lhe pela filha ( como se sabe, a filhinha de Soninha teve uma leucemia - com isso eu não brinco - e o prefeito, simpático, indagou sobre o estado da criança ). Certa altura da entrevista, ela disse que convenceu-o a não desistir de construir 5 CEUS ( acho que já estavam no cronograma ou no orçamento deixado por Marta ).
Hoje, pela manhã, nem sei em que pensava, me veio a idéia de que talvez ela até ganhasse um cargo na administração do Kassab. Acho que pensei no Wladmir administrando o Pacaembú, sei lá. Não faço idéia do porquê eu teria pensado isso.
Depois, à tarde, vi num jornal que, se convidada fosse, ela assumiria algum cargo na Prefeitura.
Premonições...

"Voltando às origens", por Paulo Nogueira Batista Jr.

A aceleração da crise financeira desde setembro criou oportunidades para introduzir mudanças aqui no FMI. Foi o que conseguimos ontem, depois de intenso processo de discussão. A Diretoria Executiva do Fundo aprovou, por larga maioria, a criação de um instrumento de financiamento, denominado "Short-Term Liquidity Facility-SLF" (Linha de Liquidez de Curto Prazo).
A linha é bastante parecida com a proposta lançada originalmente pelo Ministro da Fazenda, Guido Mantega, em abril último, na reunião de primavera do FMI. O grande arquiteto catalão Antoni Gaudí observou, certa vez, que "ser original é voltar às origens". De certa maneira, é o que estamos fazendo aqui no Fundo. A nova linha permite que o FMI volte a operar dentro de um modelo mais próximo daquele imaginado por John Maynard Keynes, efetuando desembolsos rápidos, automáticos, ou quase automáticos, em volumes significativos.
Como se sabe, o modelo de FMI defendido por Keynes acabou sendo suplantado por outra concepção que privilegia empréstimos desembolsados em parcelas, vinculadas ao cumprimento de metas quantitativas e critérios de desempenho - as chamada "condicionalidades". A SLF foge desse padrão. A linha poderá ser acessada apenas por países integrados aos mercados internacionais e que tenham histórico de políticas econômicas sólidas, comprovado pelas consultas anuais do Artigo IV a que são obrigados todos os membros do FMI. Esses países seriam aqueles que apresentam políticas fiscais disciplinadas, inflação baixa e relativamente estável, políticas monetárias adequadas, boa supervisão financeira, posições sustentáveis no balanço de pagamentos em conta corrente e controle sobre o endividamento público e externo.
A experiência mostra que mesmo países com essas características podem sofrer choques financeiros externos, isto é, algum tipo de contágio na conta de capitais. Com a SLF, esses países poderão ter acesso muito rápido a um volume expressivo de recursos do FMI e aqui vem um ponto essencial sem as "condicionalidades" tradicionais do Fundo, isto é, sem carta de intenções, critérios de desempenho e monitoramento de metas quantitativas.
É uma inovação considerável e que se aproxima bastante do desenho que vinha sendo defendido pela cadeira brasileira nas discussões internas. Apenas em dois pontos importantes a SLF diverge da proposta do Brasil: no volume de recursos e no prazo. Nossa proposta não previa limite para o montante a ser desembolsado. Isso seria fixado caso a caso, com base nas necessidades do país atingido pelo contágio financeiro externo.
A proposta brasileira também previa que a nova linha teria prazo de um ano a um ano e meio, prazo que nos parecia suficiente para superar crises de liquidez externa. A SLF, tal como aprovada ontem, tem limite de 500% da cota do país no Fundo. No nosso entender, esse valor pode se revelar insuficiente para certas situações, uma vez que as cotas são pequenas em comparação com os fluxos de capital. A SLF tem também um prazo curto. O país considerado apto pode sacar até 500% da sua cota em parcela única, mas tem de repagar em três meses. Pode repetir a operação por mais dois períodos de três meses, totalizando nove meses de cobertura para cada período de 12 meses. Não é exatamente o que queríamos, mas foi dado um passo importante para modificar os procedimentos do Fundo. A instituição fica mais próxima do modelo idealizado por seu fundador mais ilustre.
PAULO NOGUEIRA BATISTA JR.

José Genoíno detona arrogância tucana de FHC

Reproduzo - ao final - a notícia. Antes, acrescento mais algumas informações, com a intenção de refrescar a memória de quem, na falta de outros motivos menos infantis, não votou em Marta por esta ser, supostamente, "arrogante".
Antes de tudo, a traição e a soberba. Grifos meus.:
TALES FARIA, 08.07.08
No dia 21, o PSDB colocou no ar o seu programa na TV e no rádio do horário partidário gratuito. Centrou-se na crítica ao governo Lula e na defesa enfática das privatizações da administração Fernando Henrique Cardoso, vangloriando-se por ter criado uma “gestão moderna e responsável”, com a Lei de Responsabilidade Fiscal. O ator Jackson Antunes, estrela do programa, empolgou-se: “A inflação acabou quando Fernando Henrique e o PSDB criaram o Plano Real”. Pano rápido! O ex-presidente Itamar Franco – em cujo governo foi criado o Plano Real, tendo FHC como ministro da Fazenda – não assistiu ao programa de imediato. Foi avisado por amigos e acabou vendo uma reprodução. Itamar – cujas animosidades com o PSDB o governador tucano de Minas Gerais, Aécio Neves, vinha driblando – perdeu a paciência: – Mandei um telegrama para o presidente nacional do PSDB, o senador Tasso Jereissati (CE). Normalmente eu deixo passar. Mas desta vez eu fiquei muito chateado. Eles não podem sair por aí dizendo que o PSDB lançou o Plano Real, quando a verdade é que ele foi criado no meu governo!
– E o que o senhor disse no telegrama?
– Disse: 'Só os de má fé distorcem a história. Lamento a inverdade sobre o Plano Real lançada no programa do PSDB. Assinado, ex-presidente Itamar Franco'. Em geral assino apenas Itamar Franco, mas desta vez coloquei o 'ex-presidente' para refrescar um pouco a memória deles.
– Fora isso, o que o senhor achou do programa do PSDB?
– Muito ruim. Muito medíocre. Na verdade, eles não têm o que falar da época em que dirigiram o país. Veja o que fizeram com as privatizações. Eu até brinquei com o meu amigo, o governador Aécio Neves. Disse-lhe: 'Desse jeito vocês não chegam a lugar nenhum'.
– E o senhor? Para onde vai? Vai mesmo filiar-se ao PPS?
– Tudo isso é muito incipiente. Nada está definido. De fato, o PPS tem me procurado e devemos ter uma conversa na quarta-feira. Mas sem definições por enquanto. Não ando com muito apetite...
Com apetite ou sem apetite, o ex-presidente Itamar Franco não é peça que se deixe solta no xadrez da política. Tem eleitorado cativo em Minas – um dos maiores Estados da Federação – e no resto do país.
O trecho a seguir foi copiado de um extenso artigo de Sérgio Augusto ( "Os gringos que o Lula arrumou" ) , publicado no Pasquim21, em 13.08.2002 ( infelizmente agora não vou poder reproduzir outros trechos deste artigo, que trazem os números da gestão FH na economia, mas fica para a próxima ):
"(...) E agora, a palavra serena de Márcio Moreira Alves: 'Talvez, no futuro, tenhamos saudades de muitos aspectos do governo FH. Mas, no presente, o caos que sua política econômica criou, gerando as menores taxas de crescimento dos últimos cem anos e criando uma vulnerabilidade externa gigantesca para o país, fala mais alto. Os eleitores querem acertar uma pedrada na arrogância tucana e na empáfia presidencial (...)".
Empáfia é uma palavra que se aplica à pefeição aos tucanos. Caso você, leitor de classe-média paulistana, não saiba ( e não deve saber mesmo, afinal, classe-média só se insere pelo consumo ) quem é Márcio Moreira Alves, saiba apenas que...Vai procurar saber, oras!
Genoino chama FHC de arrogante e rebate críticas ao governo Lula
O deputado federal José Genoino (PT-SP) rebateu nesta quarta-feira (29) as críticas do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso às medidas do governo Lula para enfrentamento da crise financeira internacional, bem como suas declarações a respeito do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em entrevista a uma revista semanal.
Para Genoino, FHC quis mostrar uma “roupa limpa” do governo dele, “lavada e enxaguada agora, na crista da onda da atual crise financeira e, por outro lado, novamente traça um auto-retrato de bom-mocinho, de administrador exemplar (que não foi) e de dono da verdade. Coisa típica de político vaidoso e arrogante”.
Chamou a atenção sobretudo a observação do ex-presidente tucano de que “Lula tenta enganar, mas a crise está aí”. Para Genoino, desta maneira “FHC está embarcando, com novo vocabulário, na canoa dos críticos mais descorteses dos últimos dias, quando se lê, em colunistas que conhecem bem seu próprio público (e)leitor. Agora, passaram a xingar o presidente Lula”.
Trabalhadores
Segundo Genoino, “nessas horas de vitórias menores em certas eleições municipais”, mais uma vez “as oposições tentam se unir e desgastar o discurso oficial, pretendendo desestabilizar o Presidente Lula”. E completou: “Não será FHC, do alto de seu retrato na galeria de ex-presidentes da República, que vai desestabilizar Lula. O governo toma medidas para garantir o valor do real, a política de crescimento, sem sacrificar os trabalhadores e o povo mais pobre com os efeitos da crise internacional. “
“Lula demonstra ter todo o domínio da situação e atua exatamente como um estadista. E o faz desde o início de seu governo.”,disse..
O parlamentar observou que a crise financeira internacional em curso “desmorona as bases do modelo neoliberal”, a marca principal do governo FHC, que defendeu a desregulamentação do mercado, o enfraquecimento do papel do Estado, as privatizações e uma inserção subalterna na globalização, entre outras ações contrárias ao interesse nacional.
Ao comparar as medidas que o governo Lula com as adotadas por FHC em momentos de turbulência internacional -com as crises do México (1994),Ásia (1997) e Rússia (1998) -- Genoino assinalou que o presidente Lula tem agido com “muita paciência, determinação e vontade para enfrentar a turbulência criada pelos mesmos agentes e pelos valores que orientaram a hegemonia neoliberal no mundo e no Brasil durante mais de uma década”.
Guerra
A corrente crise, ponderou Genoino, tem uma extensão infinitamente maior que as três crises localizadas da década de 90, quando o Brasil foi a nocaute. Pela entrevista , FHC dá a entender que venceu a guerra contra as três crises , mas o que se viu foram problemas e problemas, observou Genoino. Ele frisou que as crises por que passou o governo FHC, além menor extensão que a atual, não foram facilmente digeridas e debeladas pelo governo do PSDB e do ex-PFL (atual Dem).
Segundo recordou o petista, no primeiro mandato de FHC o Brasil não teve desenvolvimento econômico, convivendo com estagnação, agravada por uma taxa de câmbio artificialmente fixada, mas já crescentemente desvalorizada no plano da economia real. O que significou, por exemplo em 1997, um déficit da balança comercial da ordem de US$8,4 bilhões e, em 1988, de US$ 6,5 bilhões. A taxa de crescimento das exportações, no período de 1995 a 1998 foi de minguados 4,2%, enquanto, de 1991 a 1994 a taxa média anual de nossas exportações atingiu 11,3%. A moeda (artificialmente) forte prejudicou a indústria e gerou forte desemprego.
“ O final dessa história todo o mundo sabe: elevada taxa de desemprego; crescente valorização do dólar norte-americano frente ao Real, atingindo um valor de mais de R$4,00 essa relação desfavorável a nós, no final de 2002; performance ridícula de nossas exportações durante todo o período FHC; reservas cambiais que somaram, ao cabo dos oito anos FHC, US$ 17 bilhões; esgotamento do patrimônio público nacional por meio de um processo de privatização danoso aos interesses brasileiros.”, disse Genoino.
Crise Pronta
Genoino criticou FHC por atribuir ao presidente Lula o motivo da crise do País em 2002. “ Lula recebeu uma crise pronta e acabada do governo FHC, como toda a nossa política de controle inflacionário em deterioração, sem divisas, sem perspectivas para setores que, no atual governo, se agigantaram no processo de desenvolvimento”, disse o deputado. Ele citou o crescimento da indústria nacional, parte voltada para um mercado interno renascido, parte deslanchada para as exportações, como também o caso do agronegócio, da indústria de construção civil, do retorno da indústria da construção naval, da expansão de nossa fronteira pretrolífera etc.
Genoino também rebateU a empáfia de FHC, que disse à revista que não daria conselhos a Lula, para ele um presidente “inaconselhável”. Para Genoino, pelo contrário, Lula é “ um político aberto às idéias e sensível ao bom senso de experiência alheia”. A diferença é que, o atual presidente não se julga onisciente, mas sabe que tem o feeling suficientemente agudo para agir na hora certa, sem perda de objetividade.
Para Genoino, FHC mostrou “desorientação opinativa, não está dizendo coisa com coisa”, pois se mostrou confuso ao fazer observações sobre o governo Lula e ao próprio presidente da República.
Proer
Genoino também retrucou a informação de FHC de que o governo Lula já injetou no sistema financeiro, em razão da crise atual, muitos mais recursos do que os do Proer (Programa de Estímulo à Reestruturação e ao Fortalecimento do Sistema Financeiro Nacional), durante o governo tucano. “ Ora, o que se deve perguntar a FHC é sobre qual a natureza dos recursos utilizados no Proer? A resposta é, certamente, do Tesouro Nacional, portanto recursos orçamentários”, disse Genoino, ao explicar que o governo Lula nãoestá injetando recursos públicos no sistema bancário.
Agência Informes
FHC, cujo triste e desesperador mandato é, a cada dia, candidato a ser soterrado mais e mais na lata de lixo da História, tem às vezes a coceirinha que o impele a tentar sair do ostracismo e, à falta de luz própria, tem sempre que buscar os holofotes alheios.

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Ralph Nader é Candidato!! Jello Biafra seu Ministro da Defesa!! YEE-HAA!

@@@@@@@@@@ Secretary of Defense Jello Biafra @@@@@@@@@@
On Friday, October 24, Jello Biafra will be speaking at a Nader for President event featuring Ralph Nader's running mate, Matt Gonzalez. When introducing Jello's new band at the Biafra Five-O show, Matt Gonzalez said Jello will be the Attorney General for the Nader administration, to which Jello responded, "I want Secretary of Defense!!"
So, we hope that this won't be yet another empty election-year promise....
People Fighting Back! with Matt Gonzalez and Jello Biafra
8pm Friday, October
242060 Valley Life Sciences Building on the UC Berkeley Campus, Berkeley, CAFREE!
Nader for President: http://www.votenader.org




Repulsa ao nexo: Kassab conseguiu a proeza de, com 49% dos votos de certa zona eleitoral, vencer Marta que teve 51%!!

Não subestimem o alcance dos pequenos jornais. Há um aqui em São Paulo, chamado Agora, que é o "Mini-Me" do Grupo Folha. Ele foi criado a partir do cancelamento dos antigos Notícias Populares e Folha da Tarde. Diz meu amigo, o jornaleiro onde vou filar as notícias sem pagar, que quem costuma comprar este jornal são, em sua esmagadora maioria, aposentados e taxistas. E que esse é o jornal que ele mais vende em sua banca. Esse jornal suplantou o Diário de São Paulo ( antigo Diário Popular, o então "Rei das Bancas" ) na preferência popular ( bom, provavelmente ele não considerou o Lance! e aqueles jornais que são distibuídos de graça no Metrô ).
Logo, ao nível do populacho, essa é a leitura e fonte de notícias/ informações mais consultada, que não seja televisão e rádio.
Em matéria publicada no dia seguinte ao 2º. turno municipal, o Agora veio triunfante: "Em 21 dias, Kassab toma 8 redutos de Marta".
Quais são esses "redutos"? Minha opinião é a seguinte: a apresentação dos números é que é o importante, a forma como eles são mostrados ao público, e os efeitos gerados no estado de espírito da população para, aí sim, abrir o jogo. Os redutos seriam:
Capela do Socorro, Cidade Ademar, Pirituba, Vila Jacuí, Itaquera, Conjunto José Bonifácio São Miguel Itaim Paulista. Essa é a lista apresentada pelo Agora. E os números:
Não quero me estender. Começa assim:
"A fama de rainha dos extremos da candidata Marta Suplicy ( PT ) encolheu ontem. Desde 2004*, quando perdeu para José Serra ( PSDB ), e no primeiro turno contra Gilberto Kassab ( DEM ), ela registrava vitórias nas periferias das zonas sul, leste e norte. No segundo turno foi diferente. Em 21 dias - intervalo entre o primeiro e segundo turnos - Kassab conseguiu engolir oito zonas eleitorais que pertenciam a Marta."
"O cinturão vermelho recuou com a perda de tradicionais redutos petistas, como Itaquera, na zona este, e Capela do Socorro, na zona sul (...)".
De acordo com O Globo, o primeiro turno ficou assim:
"Com 100% das urnas apuradas, o prefeito Gilberto Kassab (DEM) obteve 33,61% dos votos e vai disputar o segundo turno com Marta Suplicy (PT), que somou 32,79%. Geraldo Alckmin (PSDB) ficou em terceiro lugar com 22,48%."
Capela do Socorro - 1º. Turno - 2º. Turno
Kassab 32,30% 50,57%
Marta 42,43% 49,43%
Somando os dois candidatos Anti-Marta ou Anti-PT, o segundo turno deu quase um empate técnico. Mas, como no primeiro turno, Marta obteve 10% a mais que o prefeito, e não aparece o percentual conseguido por Alckmin, fica parecendo uma lavada martista e uma reviravolta colossal de Kassab no segundo. Beleza, deu Kassab. Vamos aos outros:
Cidade Ademar
Kassab 32,16% 56,17%
Marta 36,93% 43,83%
Aqui também um primeiro turno equilibrado. Dá mesmo para considerar a Cidade Ademar um "reduto" petista?

Pirituba
Kassab 30,91% 60,3%
Marta 31,86% 39,7%
Outro primeiro turno equilibrado. Que redutos irredutíveis. O segundo, o Kassab levou de lavada.
Vila Jacuí
Kassab 30,16% 57,41%
Marta 37,07% 42,59%
Aqui a Marta teve uma vantagem sobre Kassab um pouco maior no primeiro turno. No segundo, ele se recuperou bem.
Itaquera
Kassab 31,95% 58,25%
Marta 35,38% 41,75%
Primeiro turno disputado, uma leve vantagem para Marta. No segundo turno, vitória fácil do Kassab.
Conjunto José Bonifácio
Kassab 31,32% 55,23%
Marta 36,75% 44,77%
A tônica dos "redutos" petistas: dão cerca de "astronômicos 1/3 de seus votos à petista no primeiro turno, quase a mesma coisa para os outros dois mais fortes pleiteantes ( talvez uma votação nostálgica, mas não forte, a Maluf ou Erundina ) e depois, no segundo turno, os 2/3 se fundem em um candidato só, e não é do PT.
São Miguel
Kassab 32,64% 58,36%
Marta 35,47% 41,64%
Primeiro turno também parelho ( não como foi no Rio, é evidente ), e "unidos venceremos" Marta, no segundo. Finalmente:
Itaim Paulista
Kassab 27,59% 49%
Marta 46,53% 51%
Exato, ao contrário do que apregoou o jornal, com manchete e tudo, no Itaim Paulista a Marta ganhou nos dois turnos, apesar de, ao contrário dos demais exemplos, o segundo turno ter sido pau-a-pau. O afã em criar os tais "redutos" petistas - que estariam "cristalizados", e devem ser conquistados - fez com que o jornal tirasse um desses "redutos" de Marta na marra.
E aí é que chega onde eu quero: da mesma maneira que a tucanalha do Demo e seus jornais e revistas conseguiram fazer colar diversas pechas em Marta ( como, por exemplo, a de quem cria - pior, a única pessoa que faz isso - impostos a seu bel prazer, o que está astronômicamente distante da verdade ) que acabaram pegando mesmo, não há dúvida, trabalhar a imagem do oponente é o que mais lhes dá esperança de conseguir alguma chance.
Pois antipático Serra também é. Arrogantes o PSDB tem para encher uma sacola. Impostos, aliás, é com eles mesmos. Obras ruins? Alguém falou em Fura-Fila que cai, ou Metrô que vira cratera? E por quê silenciaram quando naquela chuva que inundou São Paulo ( não lembro se foi em novembro do ano passado ou em março deste; só sei que inundou o Ipiranga, Vila Prudente, São Caetano, a água invadiu o Shopping Central Plaza, e eu cheguei em casa às 3 da manha estando às 22:40 no terminal Ana Rosa ) o túnel Rebouças não alagou?
Frases desastrosas? Oras, se a Marta tivesse dito que em São Paulo não tinha jeito de evitar enchente, só remediar, e isso desde José de Anchieta, ela não ia mais poder sair na rua, coisa que não ocorreria - e de fato não ocorreu - com o autor dessa frase ( da qual eu, sinceramente, não discordo ), o prefeito Kassab, em Novembro de 2007.
O problema é que, sendo verdade ou não, conseguiram pegar essas qualidades isoladas dos tucanos e vincularm-nos, todos juntos, numa única pessoa, Marta Suplicy. Mas é fundamentar entender que, sem o imprensalão golpista isso jamais teria sido possível.
É a explicação que eu tenho. Pois me dá o gancho para a outra teoria: sim, os preparativos PSICOLÓGICOS para 2010 já começaram.
Por isso, a exploração de supostas derrotas acachapantes tem que vir na forma de um blitzkrieg. É o que eu acho que mostrei aqui. Pois no dia seguinte, as Relações Públicas tucanodemos jornalísticas já vieram rapidamente com o papo de que a "nova" Administração vai governar voltada à periferia, ou seja, os "redutos" petistas. Não se deve aceitar essa visão. Aceitá-la significa aceitar uma idéia falsa: a de que, um dia, o PT obteve os corações e mentes paulisatnos de fato, e isso jamis ocorreu. Marta só foi eleita em 2000 porque o Covas deu-lhe seu apoio. Com isso, a classe-média que pretendia esquecer seu passado malufista e posar de moderninha ( ou seja, "tucana" ) se viu obrigada a votar contra seus próprios princípios, contra o velho ídolo Maluf.:
Kassab prepara governo voltado à periferia para tirar redutos do PT
Prefeito interpreta baixa votação que recebeu nos extremos da cidade como sinal de reprovação à sua gestão
Estado, 28.10
O prefeito Gilberto Kassab (DEM) vai atacar a força do PT em seus derradeiros redutos no município de São Paulo. Ele interpretou que a baixa votação que recebeu nos extremos das zonas sul, leste e noroeste deve ser encarada como uma reprovação daquelas populações a sua primeira gestão, aprovada no resto do município. E essa reprovação terá uma resposta no segundo mandato: a nova administração Kassab vai investir pesado nessas três regiões, as mais pobres do município.
"Nunca mais perderemos lá", profetizou Kassab a três dezenas de aliados, parentes e amigos no domingo, na sala de seu apartamento, nos Jardins, logo após o anúncio da pesquisa de boca-de-urna que lhe dava ampla vitória sobre a rival Marta Suplicy (PT). Enquanto os amigos festejavam, o prefeito revelou sua preocupação com a sombra que a ampla vitória, por mais de 21 pontos porcentuais de diferença, projeta na extrema periferia da cidade.
Ali o PT voltou a ganhar em alguns bairros com grande vantagem, embora com menos força do que em 2004. Kassab decidiu que, em sua segunda gestão, vai ampliar investimentos nessas regiões de baixo sucesso para PSDB e DEM - ainda que a aliança tenha, em 2008, "empurrado" Marta e o PT mais para a periferia. Kassab quer amplificar esse efeito, de forma que, em 2012, a coligação consiga virar o jogo contra o tradicional adversário também nos extremos onde o PT ainda reina.
ELEIÇÃO DIFERENTE
Lugares como Sapopemba ou São Miguel Paulista, em que o então candidato José Serra perdeu feio para Marta em 2004, agora deram a vitória a Kassab. Nas regiões mais extremas, no entanto, houve uma eleição com características inversas às da média da cidade, como se fosse outro pleito, embora com os mesmos candidatos.
Em Parelheiros, no extremo sul, por exemplo, Marta venceu o segundo turno com 75,77% dos votos válidos, contra apenas 23,23%; no Grajaú, também na região sul, a vitória da petista deu-se por 74,94% a 25,06%. Na zona leste, a Cidade Tiradentes, que impôs uma derrota ao candidato José Serra, em 2004, agora voltou a derrotar Kassab por 68,82% a 31,18% - e lá o prefeito tinha esperanças de obter um resultado melhor.
Kassab quer acabar com a tese de que o PT é "o partido que combate a miséria", que Marta tanto apregoou na campanha, apresentando-se como "candidata dos pobres". Para o prefeito, essas regiões votam no PT nem tanto pelo que a gestão do partido na prefeitura fez por elas, mas porque são iludidas pelo discurso populista que emoldura a pobreza. "Eu tenho compreensão do papel do governante moderno", disse Kassab. "E esse papel me incentiva a investir cada vez mais em saúde, educação e segurança. E a investir tanto mais quanto mais pobre seja a região", finalizou.
O cara admite, na caradura, que vai investir na periferia apenas para derrubar o PT. Já que, também admite, não fez isso até agora. E a classe-média cabotina e ignara paulistana, vai permitir que Kassab gaste o dinheiro dos impostos com essa "pobraiada que só sabe fazer filhos" ou esse discurso mesquinho é só quando a Marta, Erundina ou Lula estão no governo? Isso não é populismo? Claro que não: é a habitual hipocrisia paulistana. E vejam como são as coisas: a periferia, para essa gente, é "LÁ". Ali se disputam "outras eleições", diferentes da "nossa", que é democrática, racional, cidadã, iluminista e com dentes bonitos.
A Marta conseguiu, no primeiro turno, vitórias apertadas em locais que o imprensalão já denominou "redutos". Ora, seria terrível para o PT se ela perdesse no Grajaú no primeiro turno. Alí, sim, temos um reduto petista. Da mesma forma, na Rebouças o PT não entra. Pois é um reduto da classe-média paulistana, eleitora de Jânio, Maluf, Pitta, Serra, FHC, Collor, e ninguém tasca.
Ou locais como os que deram a vitória para gente do naipe de Wadih Mutran, o rei da Vila Maria: isso são redutos. E Kassab herdou para si esses redutos malufistas.
O resto pode ser discutido caso a caso, e considerando-se um bocado de coisas, como o uso da máquina da prefeitura e do Estado, a simpatia jornalística, o crescimento econômico do país.
E devemos agradecer aos demais estados do país ( EM ESPECIAL OS DO NORDESTE, MUITO OBRIGADO! ) que mantiveram e mantém as votações excepcionais ao Lula, e que garantiram que o Brasil não caísse nas garras de pessoas muito bem estimadas aqui em "Sampa", sempre muito elogiadas pelo imprensalão, pois vocês já sabem do que a classe-média paulistana é capaz e como ela vota. O Nordeste não permitiu, em 2002 e 2004, que os "cidadãos de bem competentes" de São Paulo continuassem governando ( entregando ) o país. Saibam vocês que o preconceito contra sua região ainda prossegue aqui: paulistanos - não todos, claro - não escondem a opinião de que vocês são ignorantes e que nós, sim, sabemos votar.

Paraná: Requião afirma que Copel não reajustará tarifa de energia elétrica. Já em São Paulo...


Governador afirma que não haverá aumento no preço da tarifa da Copel
28/10/2008
Diante de rumores de aumento na tarifa da Copel, o governador Roberto Requião, que está em viagem oficial aos Emirados Árabes Unidos, reafirmou que não haverá aumento de energia. “Não existe nenhum estudo, nem intenção do governo de aumentar o preço da energia no Paraná”, disse o governador.

ENQUANTO ISSO, A CONCORRÊNCIA:
Da Agência Brasil
21.10.08
Brasília - As tarifas da distribuidora CPFL Piratininga, que atende 1,3 milhão de residências em 27 municípios de São Paulo, devem subir em média 15,3% a partir da próxima quinta-feira (23). A decisão foi tomada hoje (21) pela diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).
O aumento para as residências será de 14,01% e, para as indústrias, de 16,36%. Segundo a Aneel, o percentual foi influenciado pela alta do Índice Geral de Preços de Mercado (IGP-M), que variou 12,31% no último ano. A variação da cotação do dólar ( ? ) e o uso de termelétricas para garantir a segurança energética também contribuíram para o aumento das tarifas. Confira as cidades.
A concessionária Bandeirantes, que atende 1,4 milhão de unidades consumidoras em 28 municípios do Vale do Paraíba e Alto Tietê, em São Paulo, também teve um reajuste médio de 15,14%, que valerá a partir da próxima quinta-feira. Para as residências, o reajuste será de 15,45%, e para as indústrias, 14,82%.
Confira as cidades.
A Aneel também aprovou o aumento médio de 3,89% das tarifas da Companhia Estadual de Distribuição de Energia Elétrica (CEEE-D), do Rio Grande do Sul. As residências terão aumento de 1,9% e o reajuste para as indústrias será de 5,4% a 7,5%. As novas tarifas entrarão em vigor no próximo sábado (25) para 1,368 milhão de consumidores em 71 municípios gaúchos.
Confira as cidades.
A revisão tarifária dos índices da Companhia Sul Sergipana de Eletricidade (Sulgipe) será submetida a consulta pública de amanhã (22) até o dia 21 de novembro. O índice médio preliminar aprovado pela Aneel é de redução de 1,61% nas tarifas.
Da Agência Brasil
01.07.08
Brasília - A conta de luz vai ficar mais cara no estado de São Paulo. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou hoje (1º) o reajuste tarifário anual da distribuidora Eletropaulo Metropolitana Eletricidade de São Paulo S/A. A tarifa residencial terá um aumento de 8,63%, e a industrial (alta tensão), de 7,12%. Os novos índices entram em vigor a partir desta sexta-feira (4).
Os percentuais de reajuste da distribuidora refletem o repasse às tarifas do aumento dos custos com o Encargo de Serviços do Sistema (ESS), que tem como atribuição garantir a segurança energética.
A variação de 13,44% do Índice Geral de Preços de Mercado (IGP-M), da Fundação Getulio Vargas, usado na correção de parte dos itens de custos que compõem as tarifas, também contribuiu para os índices aprovados. O resultado tarifário final a ser aplicado às diferentes classes de consumidores da distribuidora paulista foi inferior ao índice inflacionário.
O reajuste tarifário anual está previsto nos contratos de concessão das distribuidoras de energia elétrica [ grifo do blog ]. O cálculo das tarifas considera todas as despesas de operação da empresa (parcela gerenciável), assim como as despesas com compra de energia, tarifas de transporte (distribuição e transmissão) e recolhimento de encargos do setor elétrico.

MEMÓRIA: 

Eficiência estatal: Copel tem lucro recorde de 502 milhões sem aumento de tarifas

Empresa reestatizada volta a dar lucro para o povo paranaense:

Eficiência estatal: Copel tem lucro recorde de 502 milhões sem aumento de tarifas

De volta para as mãos do Estado do Paraná, que saneou as dívidas, suspendeu contratos lesivos, segurou aumentos nas tarifas e promoveu a redução nas contas da população mais carente, a Copel divulgou no começo da semana o maior lucro líquido de sua história.

Segundo o presidente da estatal, Rubens Ghilardi, a Copel registrou R$ 502,4 milhões de lucro líquido no ano de 2005, com investimentos de R$ 437,3 milhões. “Uma demonstração muito clara de que a estatal vem se recuperando dos equívocos praticados durante a tentativa de privatização, além de haver superado os problemas originados pelos contratos lesivos de compra de energia firmados na gestão anterior”, ressaltou Ghilardi.

O balanço da empresa revelou que o governo, principal acionista da Copel, deu continuidade em 2005 à sua política de investir na melhoria, modernização e ampliação dos setores que interferem mais diretamente na qualidade do serviço prestado aos consumidores. Do total de investimentos quase 90% (ou R$ 390 milhões) foi destinado às áreas de distribuição (R$ 241,1 milhões) e transmissão de energia (R$ 148,9 milhões).

De acordo com Ghilardi, o resultado prático foi uma queda tanto na duração média dos desligamentos por consumidor (13h28 no ano, redução de 4%) quanto na freqüência média dos desligamentos (13,51 vezes, queda de 5%). “Para uma empresa que estava sucateada, esvaziada e fadada a falir ainda em 2003, os resultados da Copel são extraordinários”, comemorou. “Tudo isso transferindo outro tanto para a sociedade, sob a forma de descontos na conta de luz para pagadores pontuais, e praticando as menores tarifas entre as concessionárias de seu porte no Brasil”, destaca o presidente.

De acordo com a Copel, os serviços da companhia chegam a mais de 3,2 milhões de pontos de consumo, atendendo quase 100% da população que vivem nas cidades e 90% dos que moram nas regiões rurais. São 2,5 milhões de lares atendidos, 51 mil indústrias, 270 mil estabelecimentos comerciais e 330 mil propriedades rurais.

HORA DO POVO, 31.03.2006

.

Kinder-ovo pós-eleitoral: Folha publica elo entre Dantas, Quércia, Bornhausen e outros, descoberto pela PF. Bom demais...Até demais...

Só pra constar: depois de saber dessa notícia, fui fuçar, e vi os blogs favoráveis a Lula e o PT reclamarem ( só consultei uns 3, na verdade ) que a Folha só foi dizer isso depois de fechadas as urnas. Eu poderia concordar, mas não foi essa a sensação - a de que estaria engavetada a denúncia para não prejudicar alguém ( subentenda-se, aqui, alguém como José Serra, PSDB, etc. ) no segundo turno - que tive.
Dei uma olhada nos nomes apresentados pela reportagem: o Quércia ( ?! ), o Bornhausen ( ?! ), Heráclito Fortes ( DEMO-PI, da bancada de Dantas, já não é novidade, a Carta Capital fala isso direto ), alguns petistas, outros DEMOs ruralistas. Todos relacionados estreitamente a Carlos Rodenburg, o Carlinhos, amigo e escudeiro de Daniel Dantas
Sei lá. Em épocas passadas, o Dantas poderia ter estabelecido algum vínculo com Quércia, por intermédio de Naji Nahas. Mas, se não me engano, o ex-governador e atual aliado de Kassab e Serra não mantém mais amizade com o financista Nahas, preso com Pitta e Dantas durante a Satiagraha.
O tal do Lupion ( Abelardo Lupion - DEM/PR ), da tal bancada ruralista, é ( ou foi ) um dos diretores da ABCZ ( Associação Brasileira de Criadores de Zebu ). Da mesma forma, também foi ( ou é ) diretor dessa associação o famoso pecuarista Jovelino Carvalho Mineiro Filho, um dos fundadores e membro do Conselho Deliberativo do Instituto Fernando Henrique Cardoso.
E o que isso quer dizer? Óbvio que nada, ainda. Apenas que o Quércia, como grande investidor que é, fatalmente acabaria tendo algum tipo de relação comercial com outros que transitam pela esfera do chamado agronegócio. Dantas também já atacou de investidor no agronegócio. O mundo é pequeno, e o mundo dos ricos e famosos, por mais propriedades que possuam aqui e acolá, é menor ainda ( cerca de 2% da população brasileira ). Então, natural que se trombém o tempo todo por aí.

Em animadérrimo regabofe de bacanas, organizado pela IstoÉ, para a entrega de uma comenda qualquer, podemos observar na foto 1 ( não consegui extraír as outras... ) o Naji Nahas com o luxuoso - porém facilmente fatigável - empresário João Dória Jr ( Esse notável mecenas que, generosa e desinteressadamente, doou uma belíssima e carérrima escultura criada por sua esposa, a fim de que fosse instalada na praça Cláudio Abramo, após correta ação de funcionários da Prefeitura que demoliram o chamado Monumento ao Jornalista Desconhecido ).

Essa associação do zebú ( ABCZ ) promove anualmente uma Feira ExpoZebú. Se nós, proletas, tivéssemos uma grana para investir além da fezinha diária no bicho, o bicho escolhido poderia ser o famoso zebú. E que melhor lugar para conhecer o mercado, avaliar as opportunydades, fazer amigos e negócios, que a ExpoZebú? Assim relatou em seu site, o influente Ucho Haddad, do Ucho.info, em 09 de Julho ( em Julho, há 3 meses, portanto ) deste ano:
Preso pela Polícia Federal juntamente com o ex-cunhado e presidente do “Banco das Opportunidades” (a Justiça também nos impede de citar o nome da instituição), Carlos Rodenburg vinha se apresentando nas rodas sociais e de negócios como pecuarista dono de mais de 500 mil cabeças de gado. No sul do Pará, onde o banqueiro adquiriu, a peso de outro, verdadeiros latifúndios, o comando dos negócios está nas mãos de Rodenburg. Neófito no cotidiano da agropecuária, Carlos Rodenburg tem sido visto com certa constância na companhia do empresário Jonas Barcelos (ex-proprietário dos free shops nos aeroportos brasileiros) e do deputado federal Abelardo Lupion (DEM-PR), um conhecido integrante da bancada ruralista. Em maio último, durante a ExpoZebu, no Triângulo Mineiro, Barcelos recebeu em sua nababesca casa, como hóspedes, ninguém menos que Nelson Jobim (ministro da Defesa), Orestes Quércia e Carlos Rodenburg, além de Abelardo Lupion que lá batia cartão diariamente. Barcelos, Lupion e Rodenburg, depois de seguidos encontros em uma mansão da QL14 – Lago Sul, em Brasília, decidiram investir pesado em um laboratório de embriões bovinos na Índia.
Ora, o Ucho mostrou, três meses antes - e sem acesso a grampos - quase tudo aquilo que a Folha só veio dizer anteontem, e sem as espetaculosidades do jornal.
Eu estranho, na verdade, a menção ao nome de Bornhausen e Quércia; sendo que este último, apesar de ter tido participação decisiva na eleição de Gilberto Kassab - após ter levado o PMDB a apoiar o DEMOtucano ( quando se esperava que fecharia com Marta ) - foi de uma discrição ímpar. Ele é de uma discrição ímpar. Quase não se fala nele. Acho que, tirando as conversas que teve com Marta, ainda neste ano, para acertar o então previsto apoio à petista, a última coisa que eu havia sabido a seu respeito foi quando o DCI ganhou a licitação ( se lembro direito, só o DCI participou ) pela conta do governo do Paraná para a publicação desses "avisos legais", balanços, essas coisas. O Bornhausen, então, eu nem sabia se ele estava vivo ou não. Só quando alguém aí falou que foi o catarina quem convidou o Kassab a ingressar no então PFL.
O que, afinal, eu estou querendo dizer com isso tudo?
Que a Folha - jornal a que alguns jornalistas costumam atribuir, a ela e ao governador Serra, algo maior que a simples amizade chapa-branca jornalística - mandou um aviso para estes dois caciques, para não virem com muita sede ao pote pois, não importa o apoio e o apadrinhamento que deram ao prefeito reeleito de São Paulo, essa cidade já é pequena demais para o Serra, sozinho, o que dizer se tivesse que repartir com outros?
Abaixo, para quem quiser ler, está a reportagem em questão, da Folha de São Paulo:


Escutas apontam elo entre grupo de Dantas e políticos
27/10/2008
Grampos da PF captaram diálogos com congressistas e caciques de diferentes partidos
Operação Satiagraha fez interceptações de conversas de sócios do Opportunity e intermediários com petistas e lideranças de DEM e PMDB
LEONARDO SOUZA
ANDRÉA MICHAEL
DA SUCURSAL DE BRASÍLIA
Nas diversas gravações telefônicas realizadas pela Polícia Federal na Operação Satiagraha foram captados diálogos dos sócios do banco Opportunity e seus intermediários com deputados, senadores, ex-congressistas e caciques de diferentes partidos, do DEM ao PT, que formam a rede de contatos do grupo de Daniel Dantas no mundo político.
De um lado, as conversas revelam uma relação de amizade de Carlos Rodenburg, homem de confiança de Daniel Dantas, com o ex-senador e ex-presidente do DEM Jorge Bornhausen, o ex-governador de São Paulo Orestes Quércia (PMDB), o senador Heráclito Fortes (DEM-PI) e integrantes da bancada ruralista no Congresso Nacional, como o deputado federal Abelardo Lupion (DEM-PR).
De outro, os diálogos mostram quando os ex-deputados petistas Luiz Eduardo Greenhalgh e Sigmaringa Seixas, por meio do lobista Guilherme Sodré, são acionados a mando de Dantas para defender os interesses do Opportunity.
A Folha teve acesso ao áudio dos grampos, realizados com autorização judicial pela Polícia Federal.
Nas conversas, Bornhausen, Quércia e Heráclito se referem a Rodenburg como "Carlinhos". Com freqüência, Rodenburg coloca à disposição dos políticos carro e motorista para buscá-los em aeroportos e eventos sociais.
Três dias após a Folha ter revelado, em 26 de abril, a existência de uma investigação da PF sobre o Opportunity e seus sócios, Bornhausen procura Rodenburg para lhe oferecer ajuda. O sócio de Dantas comenta com o ex-senador que está com medo de ser preso.
Bornhausen: "Me disse o Rafa [...] que é uma ação absolutamente ilegal, né?".
Rodenburg: "Totalmente, totalmente [...]. É um negócio feio. A sensação é horrível, porque você não sabe o que está acontecendo. Aí acorda de manhã achando que tem carro de polícia".
Bornhausen: "Se você precisar de mim, me avise".
Nesse mesmo período, Daniel Dantas telefona para Guilherme Sodré para obter mais informações sobre a operação da Polícia Federal.
"Greenhalgh tá ligado, tá certo? Já acionou tudo que podia acionar. Sig também tá ligado, mas eu vou falar na 12ª [Vara Federal] para ver se pode ser [a localização do inquérito]. Tá bom?", responde Sodré.
Conforme a Folha publicou no começo deste mês, Greenhalgh foi contratado por Daniel Dantas para fazer lobby em nome do Opportunity no processo de venda da Brasil Telecom para a Oi (Telemar). Um dia após o fechamento do acordo, em 25 de abril, Dantas agradece Greenhalgh pelos serviços prestados:
Greenhalgh: "Tá precisando de um emprego?"
Dantas: "[Risos] Tô! Tem alguma coisa para eu fazer?"
Greenhalgh: "Nós vamos sentar, os seus amigos, e decidir o que você vai fazer daqui por diante".
Dantas: "Pois é [...]. Eu tava dizendo para o Humberto que eu ia ligar, para dizer "graças a Deus", deixa eu ligar para Deus [numa referência a Greenhalgh]".
Greenhalgh: "Mas deixa eu te falar, Daniel. Eu quero que Deus te ajude, realmente, que você progrida, [por] que você é um cara legal".
Empresário convidou congressistas para leilão
DA SUCURSAL DE BRASÍLIA
Os diálogos captados pela Polícia Federal entre Carlos Rodenburg e sua rede de contatos políticos mostram que, no começo de maio, o homem de confiança de Daniel Dantas organizou um leilão de gado para o qual convidou toda a bancada ruralista no Congresso Nacional. Captadas pela PF durante a Operação Satiagraha, com autorização da Justiça, as conversas apontam que o senador Heráclito Fortes (DEM-PI) e o ex-governador Orestes Quércia (PMDB) também estavam entre a lista dos convidados:
Quércia: "Carlinhos!"
Rodenburg: "Ô meu governador!"
Rodenburg: "Queria só te lembrar do nosso leilão aqui no dia 1º".
Quércia: "Carlinhos, eu acho que não vou poder ir lá. Eu tava até programado de ir (...), mas aí deu um probleminha aqui (...). Mas vou ver se consigo contornar aqui, viu? (...) Eu tenho, inclusive, uma venda minha. Tenho até obrigação de ir".
Rodenburg: "Não, não tem obrigação nenhuma. Mas Quércia, deixa eu te falar. Eu tenho um outro assunto para te perguntar, daquela pessoa que eu te falei, para tomar um conselho".
Quércia: "(...) Nós podemos fazer o seguinte: chegando lá (...), a gente sai e conversa um pouquinho.(...)
Rodenburg: "Então quarta-feira você me chama no telefone, quando você chegar, de repente eu te pego no aeroporto e a gente vai junto".Rodenburg também combinou de buscar Heráclito para o leilão:
Heráclito: "Onde estás?"
Rodenburg: "Ainda estou solto!"
Heráclito: "Que milagre!".(...)Heráclito: "Carlinhos, estou indo para aí agora".
Rodenburg: "Que horas que você chega?"
Heráclito: "Três, três e pouquinho"
Rodenburg: "Então eu te pego lá e a gente vem para a fazenda direto".
Heráclito: "Não, não. Eu vou ficar com Mariana, a gente tem um hotel reservado".
Rodenburg: "Não vai ficar em hotel, tem uma casa boa aqui".
Rodenburg chegou a tratar da estadia da bancada ruralista em sua fazenda com Lupion e Bornhausen:
Bornhausen: "Você convidou a senadora [Kátia Abreu, DEM-TO], né?"
Rodenburg: "Falei, eu te liguei até. O problema é o seguinte: eu estava preocupado com a programação de Uberaba, que [inaudível] já tinha me dito que vocês iam por Uberaba. Então eu disse: bom, vou convidar para ficar lá em casa, porque pelo menos dá outro rumo, né?"
Pelas conversas captadas pela PF, parecia estar tudo acertado para a hospedagem dos congressistas durante o leilão.
"Eu falei com o Jonas também, vê quem é que vocês precisam que fique na minha fazenda de Uberaba. Até o dia 3, eu tô com a casa lotada, porque vêm o Ronaldo Caiado, o Lupion, o Ônyx Lorenzoni, os deputados da bancada ruralista, mais a senadora Kátia Abreu", disse Rodenburg à secretária do fazendeiro Jonas Barcelos.
Entre os citados nos diálogos captados, somente o deputado federal Abelardo Lupion confirmou ter passado uns dias na propriedade do empresário.
Outro lado
Aliado de banqueiro diz ter contato com congressistas
Deputados da bancada ruralista negam envolvimento com grupo Opportunity
DA SUCURSAL DE BRASÍLIA
Por meio da assessoria da Agropecuária Santa Bárbara, um dos investimentos do grupo Opportunity, Carlos Rodenburg, braço direito e ex-cunhado do banqueiro Daniel Dantas, afirmou que se relaciona com pessoas do setor "que atuam e defendem o agronegócio brasileiro, como os parlamentares da bancada ruralista do Congresso Nacional [...] Onyx Lorenzoni, Kátia Abreu, Abelardo Lupion e Ronaldo Caiado", além do ex-governador Orestes Quércia (PMDB-SP).
Rodenburg disse que Lupion, "companheiro de criação de gado zebu de muitos anos", foi o único dos congressistas que se hospedou em sua fazenda.
De acordo com Rodenburg, sua amizade com o ex-senador e ex-presidente do DEM Jorge Bornhausen é pública e vêm de longa data. Por meio de sua assessoria, Bornhausen afirmou que não iria se pronunciar sobre o assunto.
O ex-governador de São Paulo Orestes Quércia disse conhecer o empresário Rodenburg, que "mexe com gado nelore", mas afirmou não ter nenhuma relação com o grupo Opportunity. Questionado sobre a carona que teria recebido para participar do leilão realizado na cidade de Uberaba (MG), ele disse apenas que esteve na casa de Rodenburg. Ressaltou, contudo, o empresário nunca lhe pediu nada que precisasse de sua interferência política.
Por meio de sua assessoria, a senadora Kátia Abreu (DEM-TO) negou ter se hospedado na fazenda de Rodenburg. Ela afirmou que ficou na casa do fazendeiro Jonas Barcelos. Sobre suas relações com o Opportunity, disse que "não havia declaração a fazer".
O deputado Abelardo Lupion (DEM-PR) confirmou que ficou hospedado na fazenda de Carlos Rodenburg. Acrescentou que ambos são grandes criadores de gado nelore, de onde vem sua amizade. Ressaltou que não tem negócios com o Opportunity nem contato com o banqueiro Daniel Dantas.
O deputado Ronaldo Caiado (DEM-GO) nega ter qualquer relação com o grupo Opportunity e Dantas. Disse ter sido recebido em Uberaba pelo colega de Câmara Federal Marcos Montes (DEM-MG) e ter pago por sua própria estadia em um hotel na cidade.
Leilões
Já o deputado federal Ônyx Lorenzoni (DEM-RS) disse que, na condição de presidente da Comissão de Agricultura da Câmara, participou de três leilões promovidos neste ano, um deles justamente o promovido por Jonas Barcelos (em parceria com Rodenburg). O democrata também afirmou ter ficado em um hotel pago de seu próprio bolso.
Sigmaringa Seixas confirmou ter percorrido varas da Justiça em Brasília à procura de eventuais processos contra Daniel Dantas. "Recebi a ligação de um amigo, Guilherme Sodré [publicitário, apontado pela Polícia Federal como lobista de Dantas no governo federal], que me pediu para verificar se havia processos contra Daniel Dantas. Sou um advogado, não tem nenhum problema movimentar um estagiário meu para atender à solicitação de um amigo."
O senador Heráclito Fortes (DEM-PI) disse que é amigo de muitos anos de Rodenburg, mas que não tem relação de amizade com Dantas.
O ex-deputado federal Luiz Eduardo Greenhalgh preferiu não de pronunciar sobre o caso.

MÉTODO PEDAGÓGICO ADEQUADO: ALUNO É ESPANCADO ATÉ A MORTE POR PROFESSOR POR NÃO FAZER LIÇÃO DE CASA!!

Egipto: Professor espanca aluno até à morte por não ter feito os trabalhos de casa
RTP
Cairo, 29 Out (Lusa) - Um professor primário de um colégio em Alexandria, Egipto, espancou um dos seus alunos até à morte por este não ter feito os trabalhos de casa, relata terça-feira o jornal Al Masry.

O profesor Haytham Nabil Abdel Hamid, de 23 anos, bateu no aluno, de seu nome Islam Amr, 11 anos, com uma régua, advertindo-o para que não voltasse a ir as aulas sem fazer os deveres.
Depois, decidiu voltar a "repreender" o aluno, batendo-lhe até que este perdeu a conciencia e teve de ser transportado para o Hospital Sharq al Medina, onde acabaria por falecer.
O professor declarou que "não tinha intenção de matar o estudante, pretendendo somente castigá-lo por não ter feito os exercícios".
As autoridades já prenderam Haytam Hamid que, segundo fonte judicial, "deve ser julgado por homicídio involuntário".
BZR.
Lusa/Fim

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Golpe