sexta-feira, 15 de fevereiro de 2019

PODER [ES]: Briga de foice no laranjal do PSL. Bebianno, ministro de Bol...

Nossa bandeira nunca será laranja

RIO DE JANEIRO EM PÂNICO: Um Estado refém das milícias (Boletim #SDM-33)

Encurralam Gov Bolsonaro, de apenas 45 dias. E a Nova Política?

NANDO MOURA EM SEU TRONO DE PÓ

BEBIANNO E MAIS UMA CRISE DO BOLSONARO

BEBIANNO E MAIS UMA CRISE DO BOLSONARO

PC SIQUEIRA NO APRENDIZ E O CRISTIANISMO FAJUTO DE NANDO MOURA

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2019

Podem existir consequências boas do governo Bolsonaro?

Obrador eleva o tom e recusa uso da força na Venezuela

Se Bebianno cair, Bolsonaro cairá junto



BEBIANNO, O RASPUTIN DA REPÚBLICA.


A crise entre Gustavo Bebianno e a família Bolsonaro é a mais grave do governo até agora, pois conta com um alto grau de traição do lado Bolsonaro e que, se for vingado pelo lado Bebianno, pode derrubar de vez o governo. Por que?

1 - Gustavo Bebianno é uma figura soturna, desconhecida, que não tem nenhum traquejo político, pois nunca o foi. É um advogado que diz ser formado pela PUC e sequer possui currículo lattes. Vivia nos EUA, conheceu o Bolsonaro através da internet e em menos de 2 anos de "amizade", já foi presidente do PSL e hoje ocupa o Ministério de Secretário-Geral da Presidência da República.

2 - Por essas credenciais, Bebianno não tem nada a perder.

3 - Apenas um COMPLETO idiota acredita que o Bolsonaro gastou menos que 2 milhões numa campanha presidencial. Tem vereador de Belford Roxo que gasta mais do que isso em campanha.

4 - Um esquema de Caixa 2 empresarial multimilionário foi desvendado ainda em campanha. Quem votou no Bozo já votou sabendo que sua eleição era toda baseada em corrupção.

5 - A situação ficou mais feia quando o atual presidente do PSL, Luciano Bivar foi arrolado junto com o Gustavo Bebianno num esquema de laranjas e lavagem de dinheiro para verba de campanha sem precedentes na história política brasileira. Lavaram dinheiro da onde? Tráfico? Sonegação? Milícia?

6 - É evidente que o Bolsonaro sabia.

7 - De acordo com a Teoria do Domínio de Fato, Bolsonaro é para ser considerado Chefe de Quadrilha deste esquemão.

8 - Mas agora Bolsonaro quer se desvincular e empurrar tudo no fiofó do Bebianno. A pergunta que fica é: Bebianno vai deixar barato?

Mas, afinal de contas, quem é Gustavo Bebianno?

Lembram de um personagem do Casseta e Planeta dos anos 90 chamado "Massaranduba", um fortão lutador burro que gostava de resolver tudo na base da pancada e tinha como bordão o "vou dar porrada"? Os anos 90 foram auge dos "pitboys" na Barra da Tijuca e Zona Sul carioca.

Bebianno, de apenas 55 anos, tinha então 30 neste período, era um famoso playboy dessa mesma região, faixa preta de jiu-jitsu, pretenso lutador de MMA, só que nunca foi muito dado à arte marcial e sempre gostou mais participar de pancadaria e espancamentos nas boates cariocas frequentadas por gente de dois neurônios mas muito dinheiro. Após tanto se envolver em confusão foi mandado para os Estados Unidos e lá passou um bom tempo.

Nos EUA, ele morava em Miami (óbvio) e advogava para facilitar pequenos delitos tributários de pequenos empresários brasileiros, destes que amam abrir canal em youtube mostrando como são baratas as coisas por lá, como o brasileiro que continua morando no 'Brazil' é retardado e sem dignidade porque não consegue vender o cu para comprar um Camaro tão facilmente e etc.

Neste processo, neste milk shake de merda que era a vida de Bebianno, brasileiros de Miami, ostentação fajuta, baladinha, pseudo lutador, orelhinha de repolho e etc, é ÓBVIO que ele se encantaria pelo Bolsonaro. Só que este bolsominion em si foi mais 171 do que outros...

De lá inebriado pelos vídeos do Jair Bolsonaro, pouco antes das eleições, um belo dia, voltou para o Brasil e ofereceu DE GRAÇA seus serviços de advogado para Jair Bolsonaro.

Bolsonaro aceitou esse cavalo de tróia e, quando menos se viu, um era presidente da república e o outro secretário geral da mesma...

Olha nas mãos do tipo de gente que uma das 10 maiores economias do mundo está?



.

.

Maduro mostra certas verdades que a BBC não quer ver

BEBIANO E JAIR BOLSONARO | GOVERNO DO CAOS!!

MEDO e o "MARXISMO CULTURAL" ( sic! )

NANDO MOURA ESTÁ FICANDO DESESPERADO!!

UM DOS PIORES OLAVISTAS DA TERRA PLANA, BERNARDO KÜSTER ACUSA LULA E O PT DE INCENDIAR O BRASIL

Brigas causam crise no governo Bolsonaro. Artigo de Jasson de Oliveira Andrade


Por incrível que possa parecer, a oposição ao governo encontra-se no próprio governo, incluindo ainda os filhos do presidente!

O ESTADÃO revelou o que aconteceu: “A ausência do presidente Jair Bolsonaro do Palácio do Planalto nos 17 dias em que permaneceu internado em São Paulo reabriu espaço para uma GUERRA por poder no governo. A crise acentuou ontem [13/2] quando o vereador Carlos Bolsonaro (PSL-RJ) escreveu no Twitter que o ministro da Secretaria Geral da Presidência, Gustavo Bebianno, ERA MENTIROSO e divulgou na rede áudio que o pai enviou pelo WhatsApp para o ministro, quebrando o sigilo da mensagem do presidente, NUM MOVIMENTO SEM PRECEDENTES”.

Bruno Boghossian, em artigo à Folha, sob o título “Bolsonaro aterrissa no LARANJAL do PSL e leva crise para o Planalto”, comenta o assunto: “Liberado do hospital após 17 dias, Jair Bolsonaro embarcou no avião presidencial em São Pauo e pousou no meio do laranjal do PSL. As falcatruas dos aliados e as barbeiragens da família (sic) levaram para dentro do Palácio do Planalto as suspeitas sobre o esquema de candidaturas de fachada revelado pela FOLHA. (...) O novo governo mostrou mais uma vez sua INABILIDADE em construir barreira para a contenção de crises. Acuado, Bolsonaro decidiu JOGAR NA FOGUEIRA o ministro Gustavo Bebianno, que comandou o PSL, durante a campanha eleitoral. (...) O auxiliar sofreu um ataque público inusual. Para negar rumores de que seria demitido, Bebianno declarou que havia conversado com Bolsonaro sobre os repasses financeiros feitos a candidatas suspeitas. O presidente e um de seus filhos fizeram questão de detonar a versão. (...) Em uma publicação nas redes sociais, Carlos (Bolsonaro) acusou Bebianno de mentir sobre esses diálogos. Reproduziu ainda uma gravação em que Bolsonaro dizia ao ministro que não trataria do assunto. No fim do dia, o presidente repetiu essa informação. (...) Chamado de MENTIROSO pelo chefe, Bebianno perde condições de ficar no cargo, mas diz que não deixará o governo. É VERGONHOSO, aliás, que Bolsonaro escolha QUEIMAR um auxiliar em vez de apenas demiti-lo. (...) Uma eventual saída de Bebianno seria insuficiente para estancar a crise. SUA DIMENSÃO PODE ATÉ CRESCER. O ministro sabe que tem responsabilidade pelos cheques que assinou pelo partido, mas também conhece o CAMINHO DO DINHEIRO. Exposto em praça pública, ELE PODE CAIR ATIRANDO. (...) As sequelas do conflito podem ainda causar novas dores de cabeça em Bolsonaro. Homem de confiança do presidente na disputa eleitoral, Bebianno conhece como poucos aliados OS SEGREDOS DE SUA CAMPANHA”.

Deu na COLUNA DO ESTADÃO – COD 1 – O ataque público de Carlos Bolsonaro ao ministro Gustavo Bebiano reforçou em Brasília duas impressões sobre o governo. A primeira: assim como o PSL, ele também é um grande saco de gatos.

COD 2 – A segunda impressão: os Bolsonaros são elefantes em lojas de cristais. Mesmo parlamentares aliados acham que a condução do episódio fragiliza o Planalto em momento crucial.

Pelos motivos expostos, não creio na demissão de Bebianno. No entanto, se sair seria o Palocci de Bolsonaro!

JASSON DE OLIVEIRA ANDRADE é jornalista em Mogi Guaçu

.

terça-feira, 12 de fevereiro de 2019

Nando Moura, O ETERNO ADOLESCENTE, e seu PAI - COMPLEXO DE ÉDIPO

BERNARDO KÜSTER ESTÁ LOUCO????

MAMAEFALEI revelou ter MEDO da ESQUERDA PROGRESSISTA!!!!

Bolsominions arrependidos

A RESISTÊNCIA | DENÚNCIAS, PETIÇÕES E PROCESSOS CONTRA MINISTROS, BOLSON...

FANTÁSTICO HUMILHA DAMARES - OS LARANJAS DO BOLSONARO

domingo, 10 de fevereiro de 2019

FIM DAS FÉRIAS, 13º E FGTS PARA TRABALHADORES JOVENS: Novas medidas do g...

ESTE LIVRO É O CULPADO PELO NAZISMO DE ESQUERDA NO BRASIL E OUTRAS CONSP...

EDUARDO BOLSONARO, BERNARDO KÜSTER, NANDO MOURA E BRASIL PARALELO EM DEF...

Governo planeja espionar Igreja Católica. Marcha do autoritarismo

Oito testemunhas do caso Flávio Bolsonaro desapareceram sem deixar pistas



O sumiço das oito testemunhas

O que no início parecia ser apenas um assunto financeiro já tem desdobramentos para se transformar num caso policial. Já tinha, dadas as ligações dos dois envolvidos, o ex-PM Fabrício Queiróz e o então deputado estadual Flávio Bolsonaro com milicianos do Escritório do Crime, o segundo empregando parentes de um dos chefes, o ex-capitão Airton Magalhães, indicados pelo primeiro, em seu gabinete, o que já era um escândalo federal. 
Agora os laços se estreitam mais ainda com a notícia de que todos os oito funcionários que depositaram parte do salário na conta do colega de gabinete Queiróz tomaram chá de sumiço. Todos. Inclusive a mãe do miliciano, Raimunda Veras Magalhães. 
Sumiram sem deixar novo endereço. Trancaram as casas. Uma operação com todas as evidências de ter sido orquestrada. Uma operação que indica que se trata de um grupo que trabalha unido. Operação típica de uma quadrilha. 
Não é difícil adivinhar de quem teria partido a ordem de se escafederem. Basta indagar a quem interessava o sumiço. Fazer desaparecer as testemunhas é clara obstrução à Justiça. Sem seus depoimentos fundamentais o processo fica manco. 
Sumir assim, de um dia para o outro, deixando emprego, família, amigos, responsabilidades não é para qualquer um. Requer dinheiro, infraestrutura e um motivo de extrema relevância. Só se faz isso em último caso. Quando não há outro jeito. 
Mudaram de cidade, de estado, de país? Não se sabe. Mas é certeza que alguém os financiou e ainda os financia. Para comprar o seu silêncio.
Dados os novos ingredientes da trama, que a cada dia lembra mais as novelas de Agatha Cristie não é mais admissível que o caso seja investigado apenas pelo Ministério Público do Rio de Janeiro. Ele já transcendeu a esfera estadual. É um caso federal. E que está dentro do gabinete do presidente da República, amigo de Queiróz, pai de Flávio, admirador de milicianos. 
Um caso a exigir uma investigação mais profunda, da Polícia Federal. Eventualmente, da Interpol. As oito testemunhas têm que estar em algum lugar do mundo. 
Depois de ter construído a fama de justiceiro ao condenar a 9 anos de prisão o ex-presidente Lula por supostamente receber imóvel no valor de R$1 milhão, sem provas, por convicção, o atual ministro da Justiça tem o dever e a obrigação de mandar a Polícia Federal, que atua sob suas asas abrir uma investigação para apurar o sumiço das oito testemunhas. 
Se não mandar investigar dará a entender que participa da Operação Abafa. O que vai pegar muito mal para um ministro que acabou de apresentar um pacote de combate ao crime organizado. 
Eis a oportunidade de combater o crime organizado na prática.


.

.

NILSON PAPINHO, O VOVO DO SLIME, FOI USADO PARA DESMORALIZAR A ESQUERDA

Entrevista Heloísa de Carvalho - A filha do "guru" de Bolsonaro.

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2019

PROFESSOR FAZ DENÚNCIA: BOLSONARO ESTÁ DESTRUINDO A EDUCAÇÃO NO BRASIL

DOM ORVANDIL - Profecia vespertina: “As ligações de Bolsonaro com as milícias assassinas”

d

"Fui investigador e delegado de polícia e acho que o governo Bolsonaro está dando carta branca para a violência policial e legalizando o abuso e a impunidade"


"Fui policial civil paulista (Investigador e Delegado) durante quase 30 anos de minha vida. Sempre na linha de frente, no combate direto ao crime, no enfrentamento cara a cara. Comandei equipe de gente valente. Comprometida. Perdemos amigos e abatemos bandidos. Nunca soube, em nenhum momento sequer, que foi preso um policial em ação legítima, seja em operação programada ou na rua, em defesa de terceiros. O item a ser aprovado é carta branca para o descontrole policial. A instituição já tem muita legislação que a ampara. Mais do que existe, é legalizar o abuso e a impunidade. É incentivar a violência desmedida e a corrupção. É estimular o crescimento das milícias e das gangues travestidas de defensores da sociedade. É decretar a mortandade das minorias !!" 

( FERNÃO D.S. LEITE, no Facebook )

.

domingo, 3 de fevereiro de 2019

O erro bárbaro que esta sendo cometido na discussão da Reforma da Previd...

STALIN GANHOU O PRÊMIO NOBEL DA PAZ 2 VEZES?!!!

Surpresa: DEM controla o Congresso. Artigo de Jasson de Oliveira Andrade


Teve uma época que o DEM (antigo PFL), quase desapareceu. Agora, em 2019, para surpresa geral, o partido, embora com poucos parlamentares, conseguiu o que parecia impossível: controlar o Congresso.

O ESTADÃO noticiou: “Triunfos consolidam poder do DEM – Partido assume o comando do Congresso apesar de ser apenas a 4ª. bancada do Senado e a 11ª. da Câmara; sigla ainda tem três ministérios (sic)”. Na reportagem o jornal revela: “A renovação impulsionada pelas redes sociais varreu velhas figuras e oligarquias, mas o DEM voltou ao poder com força. Depois de amargar um décimo lugar geral em votos nas eleições para deputado federal e um quinto para senador em 2018, o partido inverte posição na INFLUÊNCIA POLÍTICA com a reeleição de Rodrigo Maia (RJ) no comando da Câmara e a vitória de Davi Alcolumbre (AP) na disputa pela presidência do Senado”. Para mim, Davi Alcolumbre é um ilustre desconhecido!

Adiante o jornal comenta: “É a primeira vez que um partido comandará as duas casas desde 2014, quando o então PMDB elegeu Renan Calheiros (AL) no Senado e Eduardo Cunha (RJ) na Câmara. Mas nessa época, o PMDB tinha maioria no Senado e a segunda na Câmara. Agora, o DEM assume as duas Casas (sic) com APENAS a quarta bancada no Senado (seis senadores) – empatado com PT e PP – de a 11ª na Câmara (27 deputados)”.

Eliane Cantanhêde, no texto sob o título “O LIDER DA OPOSIÇÃO”, comenta: “Diante da derrota iminente, Renan Calheiros renunciou à disputa por um quinto mandato na presidência do Senado e automaticamente vira candidato a LIDER DA OPOSIÇÃO AO GOVERNO JAIR BOLSONARO, reunindo parte da esquerda, do centro e da direita. Será um teste de força para um dos últimos líderes políticos remanescentes, num momento de grande FRAGILIDADE do Congresso.” Adiante diz a Jornalista: “O presidente Jair Bolsonaro foi prudente e sai ileso da guerra pelas presidências da Câmara e do Senado, mas é cedo para se dizer o mesmo do chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni. Ele bancou Alcolumbre, que ganhou por um mísero voto, e cutucou um adversário implacável. Como bem sabem FHC, Lula e Dilma, Renan é um precioso aliado e um TEMÍVEL adversário”. Afirma ainda Cantanhêde: “Com Senado dividido, Renan VAI DAR O TROCO e Alcolumbre [que nome difícil de guardar!] terá dificuldade para virar protagonista” Será? A conferir!

Acho que ainda teremos muitos confrontos pela frente. Vamos aguardar...

JASSON DE OLIVEIRA ANDRADE é jornalista em Mogi Guaçu

.

NARLOCH - AUTOR DO GUIA POLITICAMENTE INCORRETO ME ATACA E PASSA VERGONHA NO TWITTER

terça-feira, 29 de janeiro de 2019

Primeiro a tutela: "Relatório" mostra como Mourão assumirá o governo no lugar de Bolsonaro


Estaria em curso um "golpe brando" no boçalnaro? Os golpistas querem uma medida tutelar que imporia limites e restrições ao comportamento e liberdade decisória de Bolsonaro, incluindo a vigilância e redução das iniciativas dos seus três filhos – Nas redes sociais e fora delas. Essa informação saiu no informativo Relatório Reservado (newsletter especializada em economia existente desde 1966).
"Tutela militar é a melhor opção para Bolsonaro
Em andamento as negociações para uma tutela do presidente da República, Jair Bolsonaro, pelo seu vice-presidente Hamilton Mourão, e demais ministros militares prestigiados no Palácio do Planalto. Trata-se de uma ação realizada em sintonia com o ministro da Defesa, general Fernando Azevedo e Silva, e os comandos das Forças Armadas. O termo negociação é pro forma.
O projeto é impor limites e restrições ao comportamento e liberdade decisória de Bolsonaro, incluindo a vigilância e redução das iniciativas dos seus três filhos – Nas redes sociais e fora delas. No entorno do presidente ele é comparado a João Baptista Figueiredo, que surpreendeu inclusive aos seus camaradas pelas atitudes estapafúrdias após ser eleito. Justificou-se o comportamento de Figueiredo pela operação cardíaca que sofreu. Bolsonaro levou uma facada, mas não teria sido ela o componente emocional responsável pelo seu desarvoramento.
Bolsonaro simplesmente não está à altura do cargo e muito menos do time que montou. Não entende grande parte do que se discute no governo e não se empenha para isso. Ele se dirige somente a um contingente dos seus eleitores. Desrespeita os protocolos. E parece manietado pelo gnomo de Richmond, Olavo de Carvalho, em uma simbiose familiar que já incomoda os militares. Entre os generais, empresário e boa parte dos formadores de opinião melhor seria se fosse possível fazer algum acordo cordial para que Bolsonaro deixasse o cargo e Mourão o assumisse, imediatamente.
Depois que deixou de lado a linguagem do quartel, tornando-se mais comedido, o vice-presidente tem mostrado preparo muito superior e a autoridade necessária para o exercício da função. O que se diz quase nas fuças do presidente é que ele governa para um gueto, e Mourão governaria para os brasileiros. O escorpião que passeia em meio às conspirações destila a certeza que o filho Flávio Bolsonaro não tem como explicar seus atos inconfessáveis. E não é possível esterilizar as estranhas armações do jovem senador, de forma que eles não respinguem no presidente e nos demais membros do clã. É o bolsonarogate ou a temerização já, no curto governo do capitão. Mourão está pronto para assumir. Basta que as condições sejam dadas. Por enquanto, a tutela é um primeiro estágio."


Jô Miyagui, no FACEBOOK

.

.

"Charlatão", "aliciador", "aproveitador": ex-olavetes contam porque se afastaram do 'guru' Olavo de Carvalho


POR QUE DEIXEI DE SER OLAVETE: EX-SIMPATIZANTES NARRAM ROMPIMENTO COM GURU OLAVO DE CARVALHO

Discordâncias filosóficas e retóricas com ideólogo da nova direita marcam desilusão de antigos admiradores

Jan Niklas e Victor Calcagno
29/01/2019

“Guru”, “um tipo de mestre”, “professor”, “ideólogo”, “intelectual”, “filósofo”, “mentor” e “espécie de guia intelectual”, mas também “charlatão”, “aliciador”, “impostor”, “aproveitador” e por vezes até “líder de seita”. Os termos utilizados para descrever o pensador conservador Olavo de Carvalho, de 71 anos, cujos seguidores já ocupam cargos de importância no governo de Jair Bolsonaro, são diversos entre os ex-alunos ou ex-simpatizantes do brasileiro natural de Campinas, desde 2005 autoexilado nos Estados Unidos. Em comum, todos eles compartilham, além de alguma admiração passada por Carvalho, seja pela “rebeldia” em desafiar paradigmas acadêmicos ou por acusar problemas da esquerda, a desilusão com o professor expressa em desavenças intelectuais, religiosas, políticas e pessoais em um momento específico — além da surpresa em ver sua autoridade potencializada nos últimos meses. Nesta semana, em que foi convidado pelo Departamento de Estado dos EUA para uma reunião a portas fechadas em Washington e aproveitou para se encontrar por três vezes com o ex-estrategista da Casa Branca Steve Bannon, a influência de Carvalho mostrou-se em expansão.

Em jantar, Bannon sabatinou Carvalho sobre o Brasil e seus líderes e estimulou-o a se contrapor ao “cara de Chicago”, em referência ao ministro da Economia, Paulo Guedes, que obteve doutorado na universidade americana. Num momento devidamente registrado por um dos convidados, que o definiu como símbolo da nova era, Bannon, que é católico, pediu para Olavo de Carvalho fazer uma prece antes da refeição. Olavo rezou um pai-nosso, no que foi seguido por todos. Bannon pediu que Carvalho explicasse o curso on-line que oferece. Ele não soube explicar e pediu socorro aos demais brasileiros presentes. “Passamos um bom tempo tentando, e não foi fácil. Bannon ficou impressionado com a amplitude do tema tratado”, escreveu o cineasta Josias Teófilo, que dirigiu documentário sobre o professor de filosofia. Carvalho por vezes se mostra orgulhoso do protagonismo no governo Bolsonaro, mas, por vezes, rejeita-o. “E eu sou o guru dessa porcaria? Eu não sou o guru de m... nenhuma”, reclamou antes mesmo que a nova gestão completasse um mês. A contradição, como se verá aqui, é uma de suas marcas intelectuais.

Morador da zona rural perto da cidade de Ovar, no Norte português, o luso-brasileiro Carlos Velasco não se define no passado, quando começou a frequentar o Curso On-line de Filosofia (COF, ministrado por Carvalho desde 2009), como um legítimo “olavete”, termo depreciativo usado pelos adversários para caracterizar os seguidores mais assíduos de Olavo de Carvalho. Com 42 anos, o empresário do ramo de importação e exportação relembrou o primeiro contato que teve com o professor, por meio da internet e das colunas que mantinha na imprensa durante os anos 2000, história parecida com a de grande parte dos seguidores, antigos ou atuais, acima dos 30 anos.

“Por volta de 2003, me impressionou o fato de ele ser o único que escrevia em português com capacidade sobre temas que me interessavam na época, como a centralização dos poderes e a diluição do Estado institucional. Fui acompanhando até decidir fazer o COF no fim de 2009”, disse Velasco. Apesar de ter assinado as aulas — uma por semana — até o fim de 2013, quando teve uma ruptura total com Carvalho, Velasco afirmou que seu interesse começou a decrescer após algumas sessões. Segundo ele, além do professor ser pouco pontual, as aulas, que deveriam ser de filosofia, “entravam constantemente em assuntos paralelos, que só compreenderia, dizia o Olavo, quem assinasse outros cursos especializados que ele oferecia ou acompanhasse seu trabalho por fora”. Além disso, incomodava o empresário a virulência com que Carvalho atacava simpatizantes da esquerda, “como se quisesse iniciar uma guerra civil, sem lugar para a discussão saudável”. O ponto final de discordância, no entanto, veio dos desdobramentos da guerra na Síria e da Primavera Árabe: segundo Velasco, o pensador tentava justificar os acontecimentos baseado numa espécie de “globalismo islâmico”, “como se houvesse uma agenda comum à religião no mundo inteiro”, algo que jamais o convenceu.

“Como todo aluno, questionei o professor, primeiro por e-mail, depois pelas redes sociais, mas ele se esquivava. Então comecei a escrever sobre isso publicamente, como ele ensinava que devia ser feito.” Desde 2013, Carlos mantém uma cruzada anti-Olavo de Carvalho por meio de um blog em que rebate Carvalho, o que também rendeu alguns vídeos no YouTube com o irmão, Jorge Velasco — em uma das gravações, houve uma conversa com Heloisa de Carvalho, filha e desafeto de Carvalho, que em 2017 publicou uma carta aberta contra o pai. As críticas tiveram reação: contra o empresário há pelo menos 30 postagens na página oficial do pensador no Facebook desde 2014, algumas em que Velasco é xingado de “celerado”, “satanista” ou “criminoso”, principalmente quando o assunto é o passado de Carvalho ligado ao islã.

DISCORDÂNCIA POUCO ENCORAJADA

Não são todos os ex-alunos que têm a disposição de questionar publicamente o antigo mestre, com receio de perseguições dele ou dos olavetes, catapultadas pelas redes sociais. Depois de frequentar o seminário de filosofia que Carvalho oferecia presencialmente enquanto ainda morava no Brasil, entre o fim da década de 90 e o início dos anos 2000, um aluno que prefere se identificar como Paulo resolveu se afastar das aulas silenciosamente por causa de divergências nos posicionamentos religiosos e no que classificou como “contradições” do discurso olavista. Segundo ele, foi o único que recebeu com desconfiança a súbita mudança de opinião de Carvalho quanto à invasão americana ao Iraque, passando a apoiá-la. Paulo descreveu sua relação com o professor como de “alguém próximo”, tendo lido seus principais trabalhos até então e contribuído para a difusão de seus posicionamentos, o que perdurou em diversas aulas de Carvalho. A dinâmica delas e a relação com os alunos, segundo contou, tinham uma natureza sutil de acordo tácito, no qual o guru não era questionado, ainda que os alunos, em tese, pudessem fazê-lo a qualquer momento. “Nunca vi, nas aulas, alguém discordar do Olavo sem ter o pensamento ridicularizado de algum jeito.”

“Teoricamente, você pode discordar, mas, na prática, não há clima e ninguém faz. Tudo isso é muito sutil, claro, e a dinâmica não favorecia o questionamento. Se você discorda, ele diz: ‘Mas isso é um ponto de vista idiota’. Nessa, descobri que era idiota, mas resolvi ter minha opinião”, afirmou ele. Ainda sobre as aulas, Paulo destacou a ausência de exercícios, de produção escrita ou oral, para testar os alunos, como num curso normal, além de não terem um fim definido: o COF já passa das 450 aulas, uma por semana, ao custo de R$ 60 por mês e não dá sinais de que vai parar tão cedo, o que justifica a classificação do ex-simpatizante de “não ser um curso, mas uma espécie de seita”. A falta de uma área definida das exposições, que, apesar de se rotularem como filosofia, pulam nos ramos da política, da religião, literatura, moral e ética, também o incomodou: “No começo, era realmente sobre filosofia, mas depois a aula se resumia no Olavo abrindo o jornal e falando mal do PT. Ele justificava dizendo que era preciso ‘filosofar em tempo real contra a ameaça do comunismo’”, disse Paulo, que se definiu como liberal.

O ex-aluno não esconde o motivo que o levou até o professor: a capacidade retórica de Carvalho, que o faz “vender geladeira no Polo Norte”. Como é um “ótimo escritor”, Paulo afirmou que o filósofo consegue ser um expert no mundo da linguagem, trazendo seguidores pela retórica enfática, mordaz, belicosa, que “atinge quem não tem a capacidade de julgar as referências”. Apesar das críticas, ele elenca dois bons fatores trazidos pelo guru: a divulgação e publicação de autores conservadores no país e a difusão do pensamento liberal num primeiro momento. O ex-aluno classificou Carvalho como intelectualmente fraco, apesar de conseguir influenciar muitos com argumentos virulentos: “Ele fala com o máximo de ênfase e o máximo de ambiguidade para, se errar, poder sair quanto antes”.

'OLAVO NÃO RESISTIU À TENTAÇÃO DE ESTAR CERTO'

A mesma crítica ao conhecimento de Carvalho fazem o mestre em filosofia Joel Pinheiro da Fonseca, que, apesar de jamais ter sido seu aluno, foi influenciado pelo professor nos anos 2000, e Francisco Razzo, escritor e doutor em filosofia que se desentendeu com o guru depois de ter negado, por ocasião de uma entrevista, que lhe devia “pedágio intelectual”.

Tendo conhecido Carvalho em 2004 como leitor das colunas e de seus livros, Fonseca chegou a publicar artigos de Carvalho em uma revista cultural que mantinha, além de cultivar interações on-line com o professor. Na época, o filósofo lhe pareceu interessante por ser alguém “fora do cânone”, tanto por sua formação, já que nunca cursou faculdade, quanto pelo conteúdo divulgado, “sem medo de argumentar, de uma forma debochada, mas muito assertiva”. A relação degringolou quando os dois se envolveram num debate sobre filosofia medieval, evidenciado em posts na internet, o que rendeu desavenças, segundo Fonseca. Ele contou que acusou Carvalho publicamente de sempre tentar diminuir seus oponentes de forma desleal e pouco respeitosa, com “xingos” — o professor então teria questionado a existência da palavra e, comprovado o erro na dedução, bloqueado Fonseca das redes sociais. O episódio é ilustrado por Fonseca para atacar a erudição de Carvalho: “Ele tem, sim, uma erudição, mas a aumenta muito além do que ela é. Por exemplo, ele não sabe grego, mas quer discutir Aristóteles com uma autoridade de quem já leu no original perfeitamente. Fora que há sempre espaço para alguma teoria da conspiração na boca dele, desde FHC com maçonaria até programação neurolinguística, entre outros”.

Razzo, que se define como um “conservador não militante” e diz ser um ex-simpatizante do professor, mas nunca olavete, acusou Carvalho de subverter ideias básicas quando se trata de conceitos filosóficos, cometendo erros que “estudantes do segundo ano de filosofia jamais fariam”. Como exemplo, cita o pensamento do filósofo alemão Immanuel Kant (1724-1804), dos maiores expoentes do idealismo alemão e frequentemente citado pelo guru em suas aulas no COF: “Para Kant, todo sujeito só conhece as interpretações dos objetos, esse é o cerne do idealismo. Olavo diz que, se Kant estivesse certo, você nem poderia ler os livros dele, uma vez que não seria possível conhecer a obra em si. Ele dizia: ‘Como pode se promover um pensamento que não é em si mesmo conhecido’? Erro básico. Kant partilha com seus leitores não a obra em si, mas as representações expressas na linguagem, enquanto um sujeito do idealismo. De tão básico, chega a ser vergonhoso que alguém afirme o contrário”, disse o escritor.

Outro problema de Carvalho, para Razzo, é o fato de defender a filosofia de forma unitária, de modo que o conhecimento também se expressasse nas práticas do indivíduo e em seus afazeres cotidianos. O escritor, por sua vez, afirma que a filosofia do ideólogo “pretende a síntese, mas não apresenta acabamento de pensamento unificado”, já que a conceituação de Carvalho passa por vários ramos de forma enfática e grandiosa, mas fragmentada. Para ele, “Olavo de Carvalho apenas não resistiu à tentação de estar sempre certo”.

A relação entre os dois azedou oficialmente depois de uma discussão no Facebook em 2014. Entrevistado por um blog, foi perguntado a Razzo sobre os pensadores que mais o influenciaram. Não citou Carvalho, apesar de então estar envolvido com a “nova direita”, o que despertou o rechaço do guru: num post, o professor escreveu que “é natural um estudante universitário só reconhecer a influência dos seus professores imediatos, sem ter em conta a atmosfera cultural criada por um antecessor”.

ESOTERISMO MARCA PENSAMENTO DE GURU

Razzo, Fonseca, Paulo e Velasco destacaram todos a fascinação que Carvalho exerce sobre os alunos, principalmente os mais jovens. Fonseca afirmou que a maior parte dos olavetes são pessoas à procura desesperada de certezas, ainda em processo de formação intelectual, que encontram abrigo nas vociferações do filósofo autoexilado. Já Razzo colocou o interesse na conta de uma desilusão intelectual — vindos de uma formação da qual não gostaram ou consideram atingida pelo esquerdismo, os alunos encontram em Carvalho alguém que não só sempre tem razão, como também elege um culpado para os desencantos acadêmicos passados. Paulo destacou a capacidade do guru de ter organizado intelectualmente parte da direita e “ter feito Bolsonaro possível”, já Velasco creditou o fato à capacidade de Carvalho em se apresentar como o único pensador existente num mar de lama dominado pela esquerda e pelo marxismo cultural. O professor de inglês Caio Rossi, no entanto, acredita que a principal influência no pensamento do professor, e, por consequência, no que é passado aos alunos, venha de sua ligação com o esoterismo.

Com a leitura de O imbecil coletivo, Rossi foi fisgado pelo texto de Carvalho e tornou-se um dos colaboradores do portal Mídia sem Máscara, site à direita do espectro político, fundado e mantido pelo professor em 2002. Ele afirmou que a capacidade do filósofo em citar e refletir sobre autores nunca discutidos nas universidades brasileiras era um enorme atrativo numa época sem internet. Tomou conhecimento, por esse meio, dos filósofos René Guénon e Frithjof Schuon, expoentes do perenialismo, ou tradicionalismo, linha de pensamento que defende a existência de uma verdade absoluta e transcendental comum às principais religiões do planeta. Schuon (1907-1998), explicou Rossi, aproximou-se do sufismo, ala esotérica do islã, tendo fundado uma tarica, ou confraria islâmica, da qual Carvalho fez parte e influenciou fortemente nos anos 80, antes de declarar-se católico: “Esses grupos têm a ideia de um resgate da ‘tradição’. O que eles querem construir é o retorno de uma mentalidade conservadora religiosa, porém coordenada por uma elite esotérica gnóstica. Tendo uma posição mais cristã e contrária a esse tipo de perspectiva, comecei a rejeitar”, disse Rossi.

Ex-estudante de psicologia e filosofia, Rossi afirmou que seu interesse por esses autores citados por Carvalho aconteceu porque resolveu, de fato, lê-los. A desilusão com o guru veio pela análise detalhada dessas leituras, o que lhe tomou tempo e energia: “Era muitas vezes uma interpretação pessoal do Olavo, e não raro as posições dele contrariavam as dos autores citados”. Rossi afirmou que chegou a conversar algumas vezes pessoalmente com Carvalho sobre o assunto, até que resolveu criticá-lo on-line. Como resposta, recebeu um vídeo, em que foi escrachado, além de ter sofrido ameaças, contou.

Os ex-simpatizantes de Carvalho veem de diferentes formas a relação dele com o governo Bolsonaro. Se Paulo disse “se perguntar o que quer” o guru da nova direita, Razzo afirmou que há um “projeto de poder”, mais importante que qualquer projeto de formação intelectual. Já Fonseca, que em 2015 já alertava para o crescimento da influência da “ala olavista”, agora disse que a questão é quanto o governo pode dar ouvidos a ela, principalmente via Eduardo Bolsonaro, olavete convicto. Rossi, por sua vez, expandiu os limites dessa influência: “O Olavo sabe exatamente aonde ele quer ir e, no meio do caminho, tenta se adequar à tendência. A relação dele com Bolsonaro é acidental. Já com Bannon, não, mas de outro nível: estão construindo algo”, completou. Olavo de Carvalho preferiu não conceder entrevista a respeito das críticas dos ex-simpatizantes.



.

.

segunda-feira, 28 de janeiro de 2019

URGENTE | BOLSONARO TEM BOTS NO GATILHO PARA PASSAR PANO

Parceria com Israel: equipamentos caros e ineficazes

Caio Coppolla destrói Edgar Piccoli sobre o autoexílio do Jean Wyllys na...

Prometheo Liberto: Eu acuso: Olavo de Carvalho e seus asseclas são in...

Prometheo Liberto: Eu acuso: Olavo de Carvalho e seus asseclas são in...: Não apenas imbecis incorrigíveis, mas sobretudo inimigos conscientes dos interesses brasileiros! Muito critiquei o general Mou...

"FELIPE NETO É DOENTE", DIZ BERNARDO KÜSTER E OLAVO DE CARVALHO É HUMILHADO POR REVISTA

ENSINANDO HISTÓRIA AO MBL | KIM KATAGUIRI, MARX E A SEGUNDA GUERRA MUNDIAL

JEAN & MARIELLE CONTRA AS MILÍCIAS NA POLÍTICA #meteoro.doc

Prisão de Cesare Battisti. Artigo de Jasson de Oliveira Andrade


AZAR – Segundo a COLUNA DO ESTADÃO, Prisão de Cesare Battisti na Bolívia foi por acaso – A prisão de Cesare Battisti ocorreu por acaso. A Polícia Federal brasileira tinha um indicativo de que ele estava escondido em Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia, e relatou o fato à corporação daquele país. A polícia italiana também tinha essa informação. Porém, ninguém sabia onde ele estava escondido. Uma fonte da PF no Brasil diz que nenhuma diligência para localizar Battisti foi feita, como mandados de buscas em residências. Um policial local, que não estava nessa missão, esbarrou com ele na rua, o identificou e o prendeu.”

FLAVIOGATE

A situação de senador eleito Flávio Bolsonaro está cada dia pior. Ranier Bragon, em artigo à FOLHA, sob o título “Bolsonaro tem tudo a ver com o Flaviogate, só não vê quem não quer”, analisa essa crítica situação.

O jornalista escreveu: “Adota-se até aqui a covarde estratégia de cortes dessa e de todas as épocas de EMPURRAR para auxiliares em desgraça – incluindo filhos – a responsabilidade exclusiva por DESATINOS. A velha tática do avestruz, a de “eu não tenho nada a ver com isso”. (...) Perdoem-me os EMBEVECIDOS pela lua de mel, mas infelizmente Jair [Bolsonaro] tem muita coisa a ver com isso. O presidente recebeu na conta da mulher, Michelle, R$ 24 mil de Queiroz. Também empregou no gabinete em Brasília uma filha desse motorista, que repassava quase todo o salário ao pai e cuja atividade identificável era a de personal trainer no Rio. (...) A explicação de Jair Bolsonaro, para um caso, é a de que o dinheiro na conta da mulher era parte do pagamento de um empréstimo de R$ 40 mil que ele fez a Queiroz. No outro caso, nem ele diz saber (sic). Que perguntem ao seu chefe de gabinete, figura especialista em se manter calada e quase nunca atender jornalistas. (...) Que me perdoem os corações puros e generosos. Essas explicações podem ser tudo, menos plausíveis”.

Reinaldo Azevedo, em artigo na FOLHA: “Flávio Bolsonaro tem de renunciar para tentar preservar o presidente”. Já Josias de Souza afirma: “Enquanto Flávio Bolsonaro afunda, Jair se escora em Moro”.

Quando essa história mal contada vai terminar? Não se sabe!

JASSON DE OLIVEIRA ANDRADE é jornalista em Mogi Guaçu


.

.






domingo, 27 de janeiro de 2019

Como debater com um conspiracionista

“Para de torcer contra!!”. Esse video é para você...

CARLUXO DEFENDE A BI SEXUALIDADE!



.

Caio Copplla espalhando FAKENEWS sobre Jean Wyllys

CAIO COPPOLLA E FELIPE MOURA BRASIL | A VEGONHA ALHEIA NA JOVEM PAN

JEAN WYLLYS FOI SIM AMEAÇADO | ISSO ACONTECEU COMIGO TAMBÉM

Olavo de Carvalho propaga video com acusação sem provas.

Mobilização coloca MBL e direitistas para correr KKKKKKK!!!

quinta-feira, 24 de janeiro de 2019

NANDO MOURA, O SANTO! Resposta a Mamaefalei - feat Maestro Bogs e Dead C...

BOLSONARO REJEITOU PRINCIPAL ENTREVISTA INTERNACIONAL DE 2019

KIM KATAGUIRI DIZ QUE "É IMPOSSIVEL O FLÁVIO BOLSONARO SER INOCENTE" | M...

Clã Bolsonaro e sua conexão com as milícias.

JAIR BOLSONARO VAI PUNIR SEU FILHO, FLÁVIO BOLSONARO!!!

Será que Jair Bolsonaro esta mesmo jogando o filho aos leões???

terça-feira, 22 de janeiro de 2019

O LADO PODRE DA FAMÍLIA PRESIDENCIAL

Kim Kataguiri não sabe nada de Marx

BOLSOMINION PRESO PELO FBI

GRANDE MÍDIA PASSANDO PANO PARA BOLSONARO!!!

NANDO MOURA QUER SE DESVINCULAR DO BOLSONARO

ESPECIAL PLANTÃO: Bolsonaro é envolvido com a milícia do Rio de Janeiro?

FLAVIO BOLSONARO NA CADEIA?!

sábado, 19 de janeiro de 2019

Sérgio Moro ensina como pegar corruptos

Recado a DIEGO ROX e NANDO MOURA

OLAVO DE CARVALHO ESTÁ PERDENDO A SANIDADE?

A CASA CAIU!!! Flavio Bolsonaro recebeu 48 depósitos em um mês!

PARLAMENTARES DO PSL QUEREM PROCESSAR OLAVO DE CARVALHO

BOLSOMÍNIONS ARREPENDIDOS

Bolsonaro facilita aumento do pedágio nas rodovias.

sexta-feira, 18 de janeiro de 2019

Flávio Bolsonaro se complica. Artigo de Jasson de Oliveira Andrade

Escrevi um artigo sob o título “Queiroz se complica e pode também complicar Bolsonaro”. Realmente Queiroz complicou o presidente. Só que não foi ele e sim, por mais incrível que isto pareça, o próprio Flávio Bolsonaro! Ele “pisou na bola”...

O Estadão (18/1), em manchete de primeira página publicou: “Flávio Bolsonaro trava no STF investigação sobre ex-assessor – Ministro Luiz Fux atende pedido do senador eleito e paralisa análise das movimentações financeiras de Queiroz”. Esse pedido do filho do presidente causou surpresa e também temor. O mesmo jornal noticiou: “Recurso de filho de Bolsonaro desgasta (sic) governo – Para auxiliares do presidente, estratégia usada por Flávio para se defender é um “tiro no pé” porque contamina o Palácio do Planalto”. A jornalista Vera Magalhães pensa da mesma maneira: “Senador leva crise à vizinhança do Planalto”, acrescentando: “A ação de Flávio Bolsonaro denota desespero”. Já Eliana Cantanhede faz uma pergunta que o filho do presidente precisa responder: “Se Flávio Bolsonaro nem era investigado, por que tanto medo das investigações?” A mesma jornalista comenta: “Em vez de esclarecer, os Bolsonaro trataram de complicar e quem cobrou publicamente explicações não foram o PT, a imprensa, a oposição, foram os generais (sic), à frente o vice-presidente Hamilton Mourão”.

Monica Bergamo informa: “Ministro do STF afirma que pedido de Flávio Bolsonaro sobre motorista foi uma confissão (sic) de culpa”. Em suma, o senador Flávio Bolsonaro se complicou! Para um governo que tem o propósito de combater a corrupção, lema que lhe deu milhões de voto, não fica bem essa atitude do filho...

JASSON DE OLIVEIRA ANDRADE é jornalista em Mogi Guaçu

.

OS CONSERVADORES SÃO MAIS BURROS?!

quarta-feira, 16 de janeiro de 2019

Lula não deixa Bolsonaro dormir

GABINETE DE BOLSONARO DIZ QUE FILHA DO QUEIROZ SEMPRE CUMPRIU SUAS HORAS...

QUAL É A FUNÇÃO DAS ARMAS │ MENTIRAM PARA MIM SOBRE O DESARMAMENTO 2/...

RAÍZES DO BRASIL 4.0: O brasileiro não é cordial nem bom, mas cínico, perverso e primitivo



Sobre esse lance do decreto de liberação de armas.

Enquanto a oposição ao governo Bolsonaro não compreender que o bolsonarismo não é um fenômeno político, mas sim cultural, vão continuar batendo cabeça.

O Bolsonaro não se qualificou, não construiu um processo político durante duas décadas para chegar à presidência, mediando debates entre a sociedade civil e os movimentos sociais, como o PT chegou no início dos anos zerenta.

Ele foi levado ao poder, ele só sentou num tronco de árvore na beira de um rio e deixou a correnteza levar. A sociedade vinha dando nítidos sinais disso há pelo menos 8 anos.

Bolsonaro fez uma contra-campanha. Ele se escondeu de entrevistas, de debates, muito provavelmente forjou uma facada e ganhou prometendo apenas destruir. Não prometeu construir uma escola, uma universidade, um hospital, não apresentou nenhuma proposta para saúde, educação e etc. Só apresentou proposta para aquilo que ele vai destruir e quem ele vai aniquilar.

É sintomático que uma semana antes da eleição ele escondido no meio do mato, na sua casa, grave um vídeo ao para uma horda de animais de verde e amarelo que se amontoavam na Avenida Paulista, prometendo "banir os vermelhos do país", "levar para a ponta da praia" (que significa matar no jargão da ditadura militar), "deixar o cachaceiro morrer na cela em Curitiba" e etc.

Foi assim que este sujeito ganhou a presidência.

Só pra ficar em um exemplo, em 2003 foi divulgada uma pesquisa mundial que posicionava o povo brasileiro com o "2° povo mais antiamericano do mundo, atrás apenas do povo da Arábia Saudita", e a conclusão da pesquisa, que estranhou o resultado, dizia que um dos fatores era o repúdio que os brasileiros entrevistados sentiam pelas guerras no Afeganistão e no Iraque.

Agora eu vos pergunto, se o governo Bolsonaro decidisse HOJE iniciar uma guerra com a Venezuela, ele contaria ou não com amplo apoio da população? Mesmo sem saber por que, mesmo que a Venezuela ou os venezuelanos não sejam nossos inimigos e etc.

E por que isso? Há um nítido processo de brutalização e de giro ideológico e cultural permeando o nosso povo.

O que mais tem se visto nos comentários sobre a liberação da posse de armas, são pessoas querendo desforra, "agora meu vizinho não me perturba mais", "quero ver alguém botar funk alto aqui na rua agora" e etc. As pessoas querem vingança, contra o que eu não sei.

Se uma mulher é assaltada e encontrada nua na rua de noite, qual vocês acham que será a primeira reação dos homens que cruzarem o seu caminho? Oferecer roupas? Ajudar? Não, no Brasil de hoje será pegar o celular, gravar, rir e querer passar a mão. Eu estou mentindo por acaso?

Portanto, finalizando como eu iniciei. Enquanto a oposição não entender que o povo brasileiro não é nada daquele povo bom e cordial, e somos, no geral, um povo cínico, ruim, perverso, primitivo, que ama linchamentos, espancamentos, ultrarreligioso, infantilizado, com a alma cheia de ódio, eles não vão conseguir compreender e resistir ao governo Bolsonaro que é um fenômeno "das esquinas", "do cafezinho na padaria", "do seu parente que passa o dia no whatsapp".

Estão subestimando o monstro.

VINICIUS CARVALHO, no Facebook

.

.

O QUE É O MBL? #meteoro.doc

O MINISTÉRIO PUBLICO DO RIO DE JANEIRO JUSTIFICA A FALTA DO FLÁVIO BOLSO...

NOVOS ESCÂNDALOS DE BOLSONARO E FAMÍLIA QUEIROZ!!!

Entenda o porquê a distribuição de renda deve sempre começar pelos mais ...

Se os ricos pagassem mais impostos haveria mais desemprego?

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Golpe