quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Assédio horrível contra velhinha!: Médico usa confiança que pacientes depositam em sua autoridade, para fazer campanha para Aécio no consultório!




Oftalmologista questionou voto de idosa de 89 anos. Episódio é exemplo do engajamento [ sic! ] inédito dos médicos nas eleições

Arlette Fleury Teixeira, de 89 anos, entrou no consultório do seu oftalmologista, em Belo Horizonte (MG), para uma corriqueira consulta. Mas após três minutos de diagnóstico, a aposentada viu a sala em que estava se tornar um palanque político. Irritada e insatisfeita com a velocidade do atendimento, ela se encaminhava para deixar o consultório quando ouviu: “A senhora vai votar em quem, dona Arlette? Dilma ou Aécio?”. A pergunta deu início a um período de 10 minutos de argumentação. “Até avisei que já não voto há anos só para ele parar”, relata Arlette. 

Com dificuldade na fala, a idosa, que já não é obrigada pela Justiça Eleitoral a ir às urnas por ter mais de 70 anos, define o encontro como “muito esquisito” e esclarece que nunca discutiu política com o médico em outras consultas. “Ele passava as letras tão depressa. Eu não tinha tempo para ler o que estava na minha frente”, reclama. O depoimento de Arlette, no entanto, é o exemplo claro do inédito engajamento da classe médica nas eleições presidenciais, em grande parte [ sic! ] a favor do candidato do PSDB, Aécio Neves.

.

Após ser denunciado por atriz Letícia Sabatella, Aécio Neves está despertando ódio de artistas globais



Hoje, terça-feira (21), está sendo um dia difícil para o candidato Aécio Neves, que despertou ódio de artistas globais. A atriz Leticia Sabatella denunciou, em seu perfil no Facebook, uma propaganda política do ex-governador de Minas Gerais. A publicação causou bastante polêmica e gerou uma série de compartilhamentos. Veja:

‘‘Acabo de assistir, com muita indignação, um vídeo de propaganda política pró candidato Aécio Neves, utilizando imagens de vários atores que haviam sido feitas pra campanha do Gota D’água, contra a realização da Usina de Belo Monte, em defesa das populações e das áreas atingidas, naquela região. Eu quero deixar bem claro, que isto é um roubo, um desrespeito. Eu não vou votar em Aécio Neves! Nenhum daqueles atores deram sua autorização para constar suas imagens e depoimentos, descontextualizados, naquele vídeo de propaganda pró PSDB! Trata-se de uma enorme MENTIRA! Quem puder , por gentileza, compartilhe. Grata.

Leticia Sabatella’’.


.

terça-feira, 21 de outubro de 2014

Luiz Carlos Bresser-Pereira, fundador do PSDB, ontem em SP: "Temos que reeleger Dilma!"




Pronunciamento de Luiz Carlos Bresser-Pereira, fundador do PSDB, ontem em SP no TUCA ( Teatro da Universidade Católica ):

"Meus amigos

Estou aqui para convocar os intelectuais brasileiros a votarem pela reeleição da Presidente Dilma Rousseff.

Esta é novamente uma eleição em que se confrontam pobres e ricos, progressistas e conservadores, esquerda e direita, desenvolvimentistas e neoliberais.

Ora, nesse quadro, não há dúvida em quem votar.

É necessário votar em quem representa os pobres ou os trabalhadores;

Em quem é progressista ou de centro-esquerda, em quem está comprometido com os pobres e as novas classes médias, não com os ricos e a classe média tradicional;

No candidato cujo compromisso seja continuar a avançar nas conquistas sociais destes últimos 12 anos, não em congelá‐las e fazê‐las regredir.

Em quem, além de defender os interesses dos pobres, defende também os interesses dos empresários que investem e criam empregos;

Em quem defende o Brasil, porque defende o nacionalismo econômico e a soberania nacional, ao invés de o liberalismo econômico e a dependência ou o colonialismo.

É necessário votar em quem é desenvolvimentista, porque sabe que é necessário combinar mercado e Estado, ao invés de professar o credo neoliberal do Estado mínimo;

Em quem sabe que não basta responsabilidade fiscal (que não basta controlar as despesas públicas);

Que é também necessária responsabilidade cambial, ou seja, na busca do equilíbrio comercial ou da conta‐corrente do país;

No candidato desenvolvimentista que defende um pacto político social-democrático que envolva os empresários, os trabalhadores e a nova classe média.

No candidato que rejeita a coalizão rentista ou neoliberal – o acordo dos muito poucos que une os capitalistas e as classes médias rentistas aos financistas e aos interesses estrangeiros, que rejeita o acordo de muito poucos em favor de juros reais altos e câmbio apreciado.

Eu sei que essa coalizão de interesses financeiros se declara representar a razão econômica universal;

Eu sei que ela engana a muitos, que acreditam que o neoliberalismo pode levar ao desenvolvimento econômico e mesmo à justiça social;

Mas não tenham dúvida: o neoliberalismo aprofunda sempre as desigualdades, e – o que é pior – leva sempre os países em desenvolvimento ao baixo crescimento e à crise financeira;

Sim, ao baixo crescimento e à crise da dívida externa, porque o liberalismo econômico defende déficits em conta‐corrente crônicos, que mais cedo ou mais tarde levam o país a quebrar e a pedir socorro ao FMI.

Meus amigos, no próximo domingo nós, brasileiros, temos uma decisão crucial a tomar:

Ou continuamos a promover o desenvolvimento econômico e a diminuir as desigualdades, ou nos entregamos ao rentismo e ao neoliberalismo;

Ou nos inserimos na economia mundial em termos competitivos, ou nos submetemos aos países ricos;

Ou continuamos a construir uma nação que cresce com diminuição das desigualdades, ou entregamos nossa soberania aos interesses estrangeiros.

A presidente Dilma está a um passo de ser reeleita.

Os pobres sabem que ela os defende, e por isso votam nela;

Já os ricos, votam praticamente todos no candidato da direita, porque assim defendem seus interesses.

Os rentistas estão hoje ressentidos. 12 anos de governo de esquerda já basta para eles.

O sistema financeiro e seus economistas, que representam os interesses rentistas e externos, reúnem todas as suas imensas forças contra a presidente Dilma Rousseff.

Mas isto não impedirá que Dilma seja reeleita.

Mas isto não impedirá que o Brasil continue realizando uma revolução democrática e progressista.

Muito obrigado".

Ana Helena Ribeiro Tavares


.






.

2013: Conceituada revista Veja inclui Aécio entre os piores senadores do Brasil.




A revista Veja não tem a menor credibilidade para nós (*), mas é idolatrada pelos demotucanos.

Então não deixa de ser curioso que o senador Aécio Neves (PSDB) esteja entre os piores senadores do Brasil na avaliação da própria revista.

No ranking de 2013 feito pela revista, Aécio é considerado pior senador do que seu amigo Zezé Perrella, José Sarney, Fernando Collor, Renan Calheiros.

Com notas variando de zero a dez, Aécio recebe 3,8. Dos 81 senadores, 57 estão mais bem avaliados do que Aécio. ( Os amigos do Presidente Lula )


(*) Nota do blog O Correio da Elite: Nem pra nós. O "conceituada revista" do título foi uma piadinha.

.

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Burrice ou ignorância: Youssef tem comprovadas ligações com tucano Álvaro Dias, que andava nos jatinhos do doleiro



EM BUSCA DE PROTEÇÃO


Diogo Costa


As vezes eu fico imaginando o que é pior, se a burrice ou a ignorância.

O doleiro Alberto Yousseff tem fartas e documentadas ligações com o senador tucano Álvaro Dias. São tão parceiros que o tucano andava para cima e para baixo nos jatinhos arrumados pelo doleiro.

Essa estória da delação premiada da Petrobras e do doleiro é um conluio montado por Álvaro Dias e pelo deputado federal Francischini, do PEN do Paraná. Esse deputado fascista era do PSDB e foi para os PEN tempos atrás.

Tanto ele quanto o senador tucano citado tem estreitas ligações com o doleiro Yousseff, e não é por acaso que eles não são citados (será que não?) pelo doleiro lá do Paraná.

O PSB, através do finado Eduardo Campos, se vendeu ao PSDB ainda em 2012, em busca da blindagem que o PSDB possui na mídia, no judiciário e no ministério público.

Ao demitir Paulo Roberto Costa da Petrobras, em abril de 2012, a Presidenta Dilma Rousseff rompeu com o elo de uma máfia que abastecia diversos partidos políticos.

Não é também por acaso que Eduardo Campos rompe com Dilma logo após esses episódios da demissão de Paulo Roberto Costa e principalmente depois da votação da MP dos Portos (lembrem do Porto de Suape), que retirou o poder dos governos estaduais para licitar os administradores dos portos brasileiros.

Com a vitória de Dilma no dia 26 muitos santos do pau oco vão ser desmascarados. Com a vitória da oposição, a impunidade será a regra para os que se ajoelharem, caso do PSB.

E toda a culpa, como sempre, será do PT.

Isto é o Brasil há 500 anos. A indignação lacerdista, como a que vemos agora, nada mais é do que o grito desesperado dos ladrões que estão prestes a serem desmascarados.


.

.

domingo, 19 de outubro de 2014

“A melhor propaganda contra Aécio são os próprios eleitores de Aécio”







O vídeo mostra tucanos e petistas nas ruas de São Paulo.

A ideia é mostrar a “falta de sutileza” dos dois lados. Mas um olhar honesto vai notar uma “pequena” diferença. Os petistas mostram, aqui e ali, sinais de alguma intolerância, vaiam Aécio enquanto assistem ao debate num telão. Alguns fazem críticas poucos sustentadas na lógica.

Mas quando entram em cena os tucanos, aí vem um festival que nos mostra porque estamos às portas do fascismo em São Paulo.

Uma garota de 18 anos berra: “aqui não tem liberdade de expressão”, e culpa o PT por isso – enquanto exerce seu legítimo direito de se expressar (apesar de dizer asneiras).

Outro rapaz tenta justificar porque no ato tucano há poucos negros: “tem pouco negro em qq lugar porque país foi colonizado por brancos”.

E não poderia faltar o apoio à ditadura militar (certamente, fazendo Franco Montoro se revirar no túmulo): “ “militares ficaram em cima de comunista, limparam nossa pátria”. Limparam… Mas não muito. A mesma loira tucana afirma que quer “salvar” o Brasil: com Aécio, ou então por meio de uma intervenção militar.

Os petistas defendem Dilma e o projeto petista, rebatem as acusações de partido corrupto, constroem (com imprecisões e dificuldades) um discurso positivo, com uma agenda positiva, não de destruição.

A turma de Aécio odeia. Quer o PT fora daqui, quer Lula fora daqui, quer “limpar” o Brasil.

Um dos internautas que assistiu o vídeo definiu perfeitamente o tom grotesco dos manifestantes tucanos:

“A melhor propaganda contra o Aécio são os próprios eleitores do Aécio” 

Berram contra nordestinos, criticam programas sociais, pedem “intervenção militar” ao mesmo tempo em que reclamam de uma “ditadura cubana”. Espalham preconceito e ódio.


Falta água em SP: PSDB de Aécio e Alckmin desmontou Sabesp e põe a culpa na população



A receita tucana é sempre a mesma: enfraquecem as empresas públicas, diminuem os custos com funcionários, não realizam investimentos e, quando o valor da empresa está lá embaixo, privatizam ou, ao menos, abrem o capital para investimentos estrangeiros, transformando-a em empresa de capital misto. Depois, é só dividir o lucro entre os acionistas, sempre com o menor gasto possível, para que os acionistas fiquem bem felizes.

Mas quando a receita é aplicada a uma empresa responsável por um bem essencial como a água, fica claro o quanto ela é nociva à população. Em 2009, o então governador José Serra eliminou quase 500 postos de trabalho na Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp). De acordo com o que foi veiculado na época, os analistas acreditavam que a notícia fosse repercutir positivamente, para valorizar as ações da Sabesp na Bolsa de Valores.

Enquanto se enxugou o quadro de funcionários, também se economizou nos investimentos. O Plano Metropolitano de Água III, elaborado pela própria empresa e divulgado pela Folha de S.Paulo, previa investimentos que não foram feitos. De 2008 a 2013, “37% do que tinha previsto para a realização de obras” não foi realizado. Esses planos são elaborados, justamente para que haja prevenção ao que pode acontecer em períodos de estiagem, como o que vivemos em 2014. Paralelamente, por “falta de manutenção e monitoramento adequado” no sistema da companhia, 32% da água da companhia são desperdiçados, de acordo com nota técnica da Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo (Arsesp).

Ou seja, mais de um um terço do que deveria ter sido investido não foi e a própria empresa desperdiça um terço do que produz. E quando isso resultou na maior crise hídrica que o estado já viveu, a conta foi, literalmente para o consumidor. Desde a sexta-feira (17), a empresa tem enviado mensagens de texto aos celulares dos consumidores, solicitando que ECONOMIZEM ÁGUA, para que o abastecimento seja mantido. Ignorando que as altas temperaturas e o consequente aumento de consumo já tinham sido previstos no Plano Metropolitano de Água da empresa, o governo tucano agora joga toda a culpa nas costas do consumidor.

Sim, a consciência e a boa utilização dos bens naturais são fundamentais, mas, mais do que isso, também é importante a consciência política de perceber que os atos de uma gestão inconsequente dos tucanos estão levando o estado mais rico da nação a uma situação caótica. Em meio a tudo isso, a presidenta da empresa, Dilma Pena, teria pedido para sair do cargo. Ao que o governador do estado, Geraldo Alckmin (PSDB), considerou que, politicamente seria ruim ela sair ainda no período eleitoral e pediu que ela ficasse até dezembro. E a população? Será que aguenta até dezembro?


.

Esquemas do PSDB: Todos estão soltos



Jornal GGN – Em debate com Aécio Neves, Dilma Rousseff enumerou alguns dos escândalos envolvendo tucanos. “Caso Sivam”, “Pasta Rosa”, "Compra de votos para a reeleição de FHC", "Mensalão tucano mineiro" e "Compra de trens em São Paulo". Onde estão os responsáveis? Todos soltos, disse a presidente. Elio Gaspari fez um levantamento desses casos de corrupção em sua coluna na Folha de S. Paulo. 

Da Folha de S. Paulo 

Não foi Dilma quem prendeu a bancada da Papuda, nem Aécio quem soltou os tucanos, mas a conta está aí 

Nos debates medíocres da TV Bandeirantes e do SBT, em que Dilma Rousseff parecia disputar a Presidência com Fernando Henrique Cardoso e Aécio Neves parecia lutar por um novo mandato em Minas Gerais, houve um momento estimulante. Foram as saraivadas de cinco "todos soltos" desferida pela doutora. 

Discutia-se a corrupção do aparelho petista e ela arrolou cinco escândalos tucanos: "Caso Sivam", "Pasta Rosa", "Compra de votos para a reeleição de FHC", "Mensalão tucano mineiro" e "Compra de trens em São Paulo". A cada um, ela perguntava onde estavam os responsáveis e respondia: "Todos soltos". Faltou dizer: todos soltos, até hoje. 

Não foi Dilma quem botou a bancada da Papuda na cadeia, foi a Justiça. Lula e o comissariado petista deram toda a solidariedade possível aos companheiros, inclusive aos que se declararam "presos políticos". Aécio também nada tem a ver com o fato de os tucanos dos cinco escândalos estarem soltos. Eles receberam essa graça porque o Ministério Público e o Judiciário não conseguiram colocar-lhes as algemas. O tucanato deu-lhes graus variáveis de solidariedade e silêncio. 

Pela linha de argumentação dos dois candidatos, é falta de educação falar dos males petistas para Dilma ou dos tucanos para Aécio. Triste conclusão: quando mencionam casos específicos, os dois têm razão. A boa notícia é que ambos prometem mudar essa escrita. 

A doutora Dilma listou os cinco escândalos tucanos, todos do século passado, impunes até hoje. Vale relembrá-los. 

CASO SIVAM 
Em 1993 (governo Itamar Franco), escolheu-se a empresa americana Raytheon para montar um sistema de vigilância no espaço aéreo da Amazônia. Coisa de US$ 1,7 bilhão, sem concorrência. Dois anos depois (governo FHC), o "New York Times" publicou que, segundo os serviços de informações americanos, rolaram propinas no negócio. Diretores da Thomson, que perdera a disputa, diziam que a gorjeta ficara em US$ 30 milhões. Tudo poderia ser briga de concorrentes, até que um tucano grampeou um assessor de FHC e flagrou-o dizendo que o projeto precisava de uma "prensa" para andar. Relatando uma conversa com um senador, afirmou que ele sabia "quem levou dinheiro, quanto levou". 

O tucano grampeado voou para a Embaixada do Brasil no México, o grampeador migrou para o governo de São Paulo e o ministro da Aeronáutica perdeu o cargo. Só. FHC classificou o noticiário sobre o assunto como "espalhafatoso". 

PASTA ROSA 
Em agosto de 1995, FHC fechou o banco Econômico. Estava quebrado e pertencia a Ângelo Calmon de Sá, um príncipe da banca e ex-ministro da Indústria e Comércio. Numa salinha do gabinete do doutor, a equipe do Banco Central que assumiu o Econômico encontrou quatro pastas, uma da quais era rosa. Nelas estava a documentação do ervanário que a banca aspergira nas eleições de 1986, 1990 e 1994. Tudo direitinho: 59 nomes de deputados, 15 de senadores e 10 de governadores, com notas fiscais, cópias de cheques e quantias. Serviço de banqueiro meticuloso. Havia um ranking com as cotações dos beneficiados e alguns ganharam breves verbetes. No caso de um deputado, registravam 43 transações, 12 com cheques. 

Nos três pleitos, esse pedaço da banca deve ter queimado mais de US$ 10 milhões. A papelada tornara-se uma batata quente nas mãos da cúpula do Banco Central. De novo, foi usada numa briga de tucanos e deu-se um vazamento seletivo. Quando se percebeu que o conjunto da obra escapara ao controle, o assunto começou a ser esquecido. FHC informou que os responsáveis pela exposição pagariam na forma da lei: "Se for cargo de confiança, perdeu o cargo na hora; se for cargo administrativo, será punido administrativamente". Para felicidade da banca, deu em nada. 

COMPRA DE VOTOS PARA A REELEIÇÃO DE FHC 
Em maio de 1997, os deputados Ronivon Santiago e João Maia revelaram que cada um deles recebera R$ 200 mil para votar a favor da emenda constitucional que criou o instituto da reeleição dos presidentes e governadores. Ronivon e Maia elegiam-se pelo Acre e pertenciam ao PFL, hoje DEM. Foram expulsos do partido e renunciaram aos mandatos. Ronivon voltou à Câmara em 2002. De onde vinha o dinheiro, até hoje não se sabe. 

MENSALÃO TUCANO MINEIRO 
Em 1998, Eduardo Azeredo perdeu para o ex-presidente Itamar Franco a disputa em que tentava se reeleger governador de Minas Gerais. Quatro anos depois, elegeu-se senador e tornou-se presidente do PSDB. Em 2005, quando já estourara o caso do mensalão petista, o nome de Azeredo caiu na roda das mágicas de Marcos Valério. Quatro anos antes de operar para o comissariado, ele dava contratos firmados com o governo de Azeredo como garantia para empréstimos junto ao banco Rural (o mesmo que seria usado pelos comissários.) O dinheiro ia para candidatos da coligação de Azeredo. O PSDB blindou o senador, abraçou a tese do "caixa dois" e manteve-o na presidência do partido durante três meses. 

Quando perdeu a solidariedade de FHC, Azeredo disse que, durante a disputa de 1998, ele "teve comitês bancados pela minha campanha". Em fevereiro passado, o Supremo Tribunal Federal aceitou a denúncia do procurador-geral contra Azeredo e ele renunciou ao mandato de deputado federal (sempre pelo PSDB). Com isso, conseguiu que o processo recomeçasse na primeira instância, em Minas Gerais. Está lá. 

COMPRA DE TRENS EM SP 
Assim como o caso Sivam, o fio da meada da corrupção para a venda de equipamentos ao governo paulista foi puxado no exterior. O "Wall Street Journal" noticiou em 2008 que a empresa Alstom, francesa, molhara mãos de brasileiros em contratos fechados entre 1995 e 2003. Coisa de US$ 32 milhões, para começar. O Judiciário suíço investigava a Alstom e tinha listas com nomes e endereços de pessoas beneficiadas. Um diretor da filial brasileira foi preso e solto. Outro, na Suíça, também foi preso e colaborou com as autoridades. 

Um aspecto interessante desse caso está no fato de que a investigação corria na Suíça, mas andava devagar em São Paulo. Outras maracutaias, envolvendo hierarcas da Indonésia e de Zâmbia, resultaram em punições. Há um ano a empresa alemã Siemens, que participava de consórcios com a Alstom, começou a colaborar com as autoridades brasileiras e expôs o cartel de fornecedores que azeitava contratos com propinas que chegavam a 8,5%. 

Em 2008, surgiu o nome de Robson Marinho, chefe da Casa Civil do governo de São Paulo entre 1995 e 2001, nomeado ministro do Tribunal de Contas do Estado. Em março passado, os suíços bloquearam uma conta do doutor num banco local, com saldo de US$ 1,1 milhão. Ele nega ser o dono da arca, pela qual passaram US$ 2,7 milhões. (Marinho tem uma ilha em Paraty.) O Ministério Público de São Paulo já denunciou 30 pessoas e 12 empresas. Como diz a doutora, "todos soltos".

.

A estratégia do vazamento dos depoimentos de Sérgio Moro


Primeiro, a marcação do depoimento dos acusados em pleno início do segundo turno, para que, sem o segredo de justiça, trechos selecionados pudessem ser aproveitados para o jogo eleitoral.

Houve uma indignação geral contra o jogo do juiz Sérgio Moro e dos procuradores, por parte das redes sociais, de instituições nacionais e de operadores do direito. Para não dar margem a nenhuma dúvida sobre a partidarização do julgamento, Gilmar Mendes, o verdugo dos juizes justiceiros, o garantista dos seus, o homem que jogou o peso do STF contra o juiz De Sanctis, veio a público dar pleno apoio a Moro.

Os vazamentos pararam por alguns dias e voltaram contra o “outro lado”. Num assomo de isenção, liberou-se a parte do depoimento de Costa que implicava, dentre tantos muito vivos, um dirigente tucano morto e, nessa condição, fora do alcance do instituto do foro privilegiado, que tiraria o inquérito das mãos de Moro.

Dentro da estratégia atual, de emular todas as barbaridades das campanhas tucanas, o PT engoliu a isca, aprovou o método condenável - contra quem quer que fosse - e repercutiu o vazamento, tão irresponsável quanto os anteriores. E, com isso deu o aval de credibilidade aos vazamentos, como bem lembrou Aécio Neves no debate, liberando os vazadores para prosseguir na sua estratégia inicial.

Como não tem mais nenhum dirigente tucano muito morto, os próximos dias serão dedicados à retomada de vazamentos contra dirigentes petistas não muito vivos.



COMENTÁRIO DO BLOG: Quando surgiu uma manchete na Folha, não lembro a data, dizendo sobre a delação ter chegado a Sérgio Guerra ( "Presidente do PSDB" ) eu busquei a noticia e postei aqui, apenas observando que tinhamos que ter cautela porque a noticia aparentemente tinha como ponto de partida uma nota publicada pelo Claudio Humberto, nem um pouco confiável em meu modo de ver. Em seguida, lendo com mais atenção, comecei a achar que o cuidado deveria ser redobrado, pois poderia ser um "Cavalo de Tróia" e que não se deveria por o carro na frente dos bois. 
Explico: os governistas insistem que trata-se, em primeiro lugar, de denúncias sem provas. Em segundo lugar, que eram vazamentos seletivos cuidadosamente vazados para a imprensa em favor da candidatura Aécio Neves. Mas poucos insistiram que, na verdade, qualquer que fosse o conteúdo, a favor ou contra o PT, os vazamentos são proibidos. Nassif é um deles.
Eu passei a considerar que as pessoas se deparariam com umas questões: se as informações contra o PSDB e seu presidente já morto e já longe de qualquer possibilidade de punição fossem verídicas, o que seria de agrado de petistas, eles acabariam endossando também todas as outras denúncias, dessa vez contra pessoas vivas do PT e endossando a prática dos vazamentos ilegais. Além disso, se era verdade que Sérgio recebeu dinheiro para "esvaziar" a CPI ( na qual o governo teria maioria folgada ), alguém poderia sugerir uma pergunta com resposta já encaminhada: a quem interessaria pagar para esvaziá-la? O governo? 
Entendem porque lembrei do Cavalo de Tróia?

Quem não deve não pode temer, em tese. Mas o que está em jogo é a eleição, esse é o objetivo dos vazamentos. Ser honesto se tornou menos importante que parecer honesto. Ou melhor: ser mostrado como honesto não tem nada a ver com ser honesto. "Ser mostrado" não está dentro de seu controle. A lição de Gushuken ainda serve. Então talvez essas noticias sobre Sérgio Guerra não sirvam muito. Claro que ver o PSDB implicado numa trama diabólica e isso aparecer finalmente na manchete de um jorna que é totalmente pro-PSDB soa como vitória, mas ela pode ser de Pirro.

;

.

Seca provocada em SP pela turma de Alckmin e Aécio faz paulistanos enlouquecerem e brigarem entre si!



Ambos, Alckmin e seu correligionário Aécio foram MUITO BEM VOTADOS em terras paulistas  















'Xerifes da água' fiscalizam desperdício e cobram economia de moradores de SP

Crise hídrica leva paulistanos a controlar consumo dos vizinhos e a criar 'código de conduta' para tempos de seca


A crise hídrica sem precedentes em São Paulo fez surgir nos bairros da periferia o típico "xerife da água", aquele morador sempre disposto a dar bronca em quem lava a calçada ou o carro. Em algumas regiões onde o desabastecimento já é realidade, até adolescentes e idosos se mobilizam na patrulha contra o desperdício. Não raro, discussões entre vizinhos por causa de gastos com água têm ocorrido sob forte clima tenso, com ameaças e xingamentos.

Para a população das áreas mais pobres da cidade, os cortes recentes indicam que a água pode acabar de vez. Com temperaturas superiores a 30°C e ar quase irrespirável, bairros mais distantes do centro ficaram sem água durante o período noturno, entre sábado e quinta-feira. A Companhia do Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) argumenta que os problemas ocorreram de forma pontual, por causa de trabalhos de manutenção na rede.


Diego Zanchetta/Estadão
Canos levam água captada de minas da Serra da Cantareira para o Parque Taipas


As famílias, porém, que enfrentam períodos sem água há mais de três semanas, foram tomadas por uma aflição geral. Em lugares como o Parque Cocaia, no extremo da zona sul, moradores, com auxílio de comerciantes e lideranças comunitárias, criaram até um "código moral" para o uso do recurso. Eles avaliam que agora ninguém mais tem direito a desperdiçar "nenhuma gota". 

Jovens passam o dia circulando de motos pelas vielas estreitas do bairro, chamando a atenção de quem é flagrado lavando calçada ou veículo. O Estado rodou 312 quilômetros, por 19 bairros, e constatou que cenas de desperdício viraram raridade.

"Já deu para o pessoal perceber que acabou a água, não dá mais para ficar dando banho no cachorro todo dia", diz o pedreiro Juvenal Gomes, de 49 anos, morador no Cocaia há duas décadas. 

Na mesma região, na Rua Ugo Fóscolo, a "xerife" Marcélia Monteiro, dona de casa de 48 anos, costuma tirar satisfação com vizinhas que lavam o quintal. "Avisamos todo mundo que a água para fazer a faxina tem de ser a mesma do tanque ou da máquina de lavar. Se estiver usando água da rua eu xingo mesmo, não tem 'boi'. Tem casa com quatro famílias que tem de passar a noite e a madrugada toda com uma caixa de água de 80 litros", afirma Marcélia. Ela contou ter perdido uma amizade de mais de 20 anos na semana passada ao xingar uma vizinha que enchia a piscina de plástico para os filhos. 

A briga entre moradores por causa do desperdício chegou até a Ilha do Bororé, península da zona sul às margens da Represa Billings. Lá, os cerca de 3 mil moradores são abastecidos com água de poços artesianos. Wilson Cavalcanti, vendedor de 50 anos e espécie de "xerife da água" na ilha, afirma que muitas famílias estão aprofundando a perfuração de seus poços, levando à falta de água nas casas vizinhas e rebaixando o lençol freático da região.

"No desespero de garantir a água do verão, tem muita gente buscando mais no fundo, para garantir a pressão. Isso é uma irresponsabilidade sem tamanho. Quem está fazendo isso também diminui a água do vizinho", reclama Cavalcanti. Ele diz medir, com galhos de árvores, a queda no nível da represa a cada 7 dias. "A represa desce meio metro por semana."

Regras. A mais de 60 quilômetros da Billings, no alto da zona norte, moradores do Jardim Damasceno também criaram regras próprias para o consumo de água. Lavar a calçada é "infração" que pode render xingamentos em público.

"Deu até pena de uma senhora na semana passada que estava lavando a frente da casa. A molecada começou a xingar, chegou um monte de gente para xingar ainda mais, formou uma roda em volta dela, achei que ela ia ser agredida. A mulher está sem sair de casa até hoje", conta a moradora Cláudia Pinto, de 41 anos.

No Parque Taipas, também na zona norte, moradores sem água à noite recorreram a minas localizadas na Serra da Cantareira. Um emaranhado de 800 metros de canos busca a água que brota em uma área na mata. "Foi o jeito para a gente conseguir tomar banho depois que escurece por aqui", afirma Divino Frausino, de 59 anos, um dos moradores mais antigos do bairro. Ele também atua como "xerife" do racionamento. "Aqui na mina não vale pegar água para lavar carro. Esse é um aviso que já dei para todo mundo. Outro dia, quase quiseram bater em um moleque que pegou água da mina para lavar a moto dele."

Perseguidor implacável. Na periferia da zona leste, na região de São Miguel Paulista, quem faz as vezes de "xerife" é o comerciante Gilberto Castilho, de 50 anos. Ele diz ser um "perseguidor implacável" de quem lava carros. "Eu já fui a três lava-rápidos aqui da área e perguntei se era água de reúso que eles estavam usando. Se fosse água da rua, eu iria juntar toda a comunidade para cobrar. Nessa hora temos de ter água para beber, não para lavar carro" (*), diz Castilho.

O medo que alguns motoristas têm de ser xingados por usar água para limpar o carro tem deixado lotado o Lava-rápido Jê, na comunidade União de Vila Nova, na zona leste.

"Ninguém tem mais coragem de lavar o carro com essa falta de água. Aqui, com certeza, quem lavar carro está correndo o risco de apanhar de verdade. Por isso o movimento aumentou tanto", relata Wesley Dias, de 35 anos, dono do estabelecimento.



COMENTÁRIO DO BLOG: Sabe qual maior a ironia disso tudo? Eu e meus familiares sempre conversávamos com vizinhos quando nos deparávamos com cenas explicitas de desperdício de água cometidas por pessoas que, no meu modo de ver, desprezávam a água, tratavam-na como lixo. E sempre tem aquele ou aquela que gostavam de lavar o quintal três vezes por semana ou mais. Eu dizia que elas regavam a calçada. E sabe o que escutávamos? Ia desde: "Eu pago a conta!" ou "Tô pagando e gasto o que quiser!" além do - devia estar na bandeira paulista ou no lugar daquela inscrição Non Ducor Duco - indefectível "Deus deu a vida para cada um cuidar da sua!". 
A título de informação, vejam o que escrevi neste post de 2008.
Assim, desistimos. Então, por causa disso vocês talvez compreendam meu regojizo pela seca catastrófica cometida pelo Alckmin, Serra e a turma do Aécio. Graças a eles as pessoas que "pagam as contas" de água todo mês aqui da vizinhança estão tendo uma resposta que eu jamais teria condição de dar. HA HA HA!

(*) "Nessa hora temos de ter água para beber, não para lavar carro" - Isso ilustra bem o que disse acima nos comentários. A fillososfia de não desperdiçar água e que ela é para ser fundamentalmente usada para beber, preparar alimentos e fazer nossa higiene devia ser perene, e não apenas observada "nessas horas".

.

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Recompensa justa: em bairro paulistano, moradores cavam poço em terreno baldio à procura de água


do Agora

Moradores da região do Jabaquara, na zona sul [ "Onde Alckmin consquistou cerca de 54% dos votos", Nota do Blog ] , estão recorrendo a bicas e até mesmo cavando poços por causa da falta da água fornecida pela Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do estado de São Paulo).

Foi o que fez o serrelheiro David Ferreira de Brito, 28 anos, depois que seu bairro, o Jardim Lourdes, ficou quatro dias sem água, entre a sexta-feira passada e esta semana.

"Tinha gente sem tomar banho há dois dias, sem lavar louça, estava muito difícil", afirmou Brito.

O serralheiro disse que a ideia de cavar atrás de água veio do irmão dele, o montador Anderson Brito dos Santos, 30 anos.

"Ele me disse que a mulher dele tinha sonhado com um regato saindo de duas nuvens no céu e caindo no bananal que tem aqui perto", disse Brito.

.

Mais de cem entidades repudiam propostas eleitorais de redução da maioridade penal



Com o Congresso mais conservador, o debate sobre o tema será uma das tônicas da próxima legislatura

Um dos temas mais debatidos na disputa eleitoral deste ano, a redução da maioridade penal foi repudiada por 104 organizações que compõem a Renade (Rede Nacional de Defesa do Adolescente em Conflito com a Lei).

Em manifesto público, as entidades consideram a ideia um “retrocesso para os direitos humanos de crianças e adolescentes”.

Vários candidatos, nos diversos níveis de disputa eleitoral, defenderam a redução da maioridade penal como resposta à sensação de impunidade trazida por crimes cometidos por crianças e adolescentes. Com o resultado das eleições, levantamento feito pelo Diap (Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar), mostra que, com a composição “mais conservadora” do Congresso Nacional, a partir de 2015, o debate sobre o tema será uma das tônicas da próxima legislatura.

Para a Renade, no entanto, trata-se de discussão inócua, que afasta o país das diretrizes do ECA (Estatuto da Criança e Adolescente) e do Sinase (Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo). “Ocorre que, ao relacionar de maneira superficial justiça social e segurança pública, os candidatos parecem desconhecer a realidade do cotidiano do Sistema de Justiça Juvenil no Brasil”, diz trecho do manifesto.

De acordo com as organizações que assinam o manifesto, as propostas relacionadas à redução da criminalidade infantojuvenil deveriam se dar no sentido de “garantir efetivamente a implementação e aplicação do ECA e do Sinase em todo o território nacional, sendo possível, assim, falar-se em soluções que implicam em redução da violência e criminalidade”.

De acordo com dados apresentados pela Renade, em 2011, dos 22.077 atos infracionais cometidos por menores no país, 2,9% correspondiam a crimes considerados hediondos - como estupro e latrocínio – enquanto 72% foram infrações análogas aos crimes contra o patrimônio e tráfico de drogas.

“Infelizmente, constata-se que, ao flexibilizar garantias que protegem esses adolescentes em situação de vulnerabilidade, sob o argumento de que cometem crimes muito graves, os candidatos apenas saciam a ânsia punitivista que demanda, de maneira irracional, o isolamento desses sujeitos”, diz o manifesto.

O candidato à Presidência Aécio Neves (PSDB) é um dos defensores dessas propostas.


.

Por que Aécio Neves está errado em defender redução da maioridade penal?


"Preso, aprendi cedo tudo sobre crime e roubo"


Como impedir que os maiores de idade influenciem ou cooptem os garotos, ainda frágeis em seus critérios de julgamento, para o crime?

Moro na periferia da cidade e vejo sempre cenas assim: o traficante é preso, paga, e é solto. Dia seguinte está acelerando seu possante na viela, com a "mina" mais bonita da "quebrada" na garupa. A molecada o rodeia, ele trata a todos com generosidade. Promove festas, financia comemorações e é padrinho de várias crianças na favela. Não é preciso pensar muito para imaginar o que os meninos aprendem com aquela cena. São garotos que trabalham de carregadores, ajudantes gerais e serventes de pedreiros. Não são registrados e ganham uma mixaria que, ao fim do mês, só paga as dívidas. E as meninas só querem sair com os meninos que têm motocicleta nova e andam com o tênis da moda. Aos "duros" resta andar na madrugada em bandos em busca de grana para fumar mais um baseado ou coisa pior.

Saí do juizado de menores ( Fundação Casa da época ) aos 18 anos, querendo o prestígio e a grana do bandido. Esses eram os valores que eu havia aprendido lá dentro. Claro, eu não era inocente, mas aprendi cedo tudo sobre crime e roubo nas instituições do Estado. Aos 19 anos fui preso definitivamente. Havia cometido uma longa série de assaltos e assassinara uma pessoa em um tiroteio. Durante o cumprimento da pena que se estendeu por 31 anos e 10 meses, aprendi a ler e a escrever e descobri um mundo que não tinha nem ideia que existia.

Aprendi a amar quando, mesmo preso, fui amado. A partir daí comecei a me dar conta da riqueza que existe em cada pessoa. Quando então nasceu Renato, meu primeiro filho, o processo se consolidou.

Depois de 45 anos, voltei ao que hoje chamam de Fundação Casa, desta vez para produzir Oficinas de Leitura e Escrita com os meninos. Eu já estivera em uma encruzilhada como aquela em que eles se encontram. E minhas escolhas foram desastrosas. Fui contando a eles as consequências. Queria desromantizar, desmistificar, expor ao ridículo todo o glamour que eles pudessem ter pelo crime e a prisão. Tentava desconstruir a cultura de crime clandestina que eles vivem como vítimas abandonadas que são.

Queria esfregar na cara deles a realidade de suas vidas. Eles são meninos, crianças como nossos filhos e nós os desumanizamos ao chamá-los de "menores". Tanto que, quando comecei a falar nas mães, foi mágico: os "bandidos" choravam. A maioria tinha a pelé escura e morou em favelas e, em uma sala com 20 meninos, apenas 2 tinham uma vida regular com casa, pais e irmãos vivendo juntos sob o mesmo teto.

No final das contas, algumas conclusões: é preciso fazer alguma coisa, e já está mais que provado que a violência tem sua raiz na má distribuição de renda e na desigualdade social. Os países que melhor distribuem riqueza têm menos desigualdade social e, consequentemente, menores índices de violência. Aprendi por experiência própria, dentro e fora das prisões, que promessas eleitoreiras de redução de maioridade penal não ajudam em nada. Um candidato a presidente deveria se preocupar em reduzir as desigualdades e proteger as crianças e os adolescentes de seu país, e não em jogá-los numa prisão.



teólogo e acadêmico de Direito.

Nascido no interior da Bahia, Conceição do Coité, formado em teologia e estudante de Direito. Pesquiso nas áreas da Teologia da Libertação e as obras do Karl Marx e Jacques Lacan aplicadas ao Direito.

..

Físico e professor da Unicamp desmonta o ‘choque de gestão’ de Aécio em Minas Gerais: "Aplicou em Educação menos que o Ceará"


O professor emérito da Unicamp, Rogério Cézar de Cerqueira Leite, que é colunista do jornal Folha de S.Paulo, escreveu um artigo nesta sexta-feira, mostrando os números da segurança, educação e da saúde em Minas Gerais durante o governo de Aécio Neves, candidato à presidência pelo PSDB. Segundo Cerqueira Leite, Aécio Neves provocou “um choque de indigestão em Minas Gerais” com gastos abaixo de 10% nas principais áreas como saúde (8,78%), educação (6,57%) e segurança (6,87%).

Cerqueira Leite ressalta que Aécio Neves aplicou menos do que o Ceará na Educação. Isso significa “muito menos do que Estados mais pobres e,supostamente, menos desenvolvidos, como Maranhão, Acre, Roraima, Tocantins. Fica em 26º lugar entre 27 unidades da federação. “Mas Aécio não mente jamais”, ironiza o professor.

Na segurança, como consequência do choque de gestão de Aécio, afirma que a criminalidade, ao contrário do que afirma Aécio, medida pelo número de ocorrências policiais aumentou em 69% de 2002 a 2008. Na saúde, o professor da Unicamp lembra que o estado de Minas Gerais no governo Aécio ficou em 22º lugar ente os 26 estados e o distrito federal.

“O resultado depois de oito anos de choque de gestão foi passar a dívida pública de um valor de R$ 18,5 bilhões, em 1998 (governo Eduardo Azeredo), para R$ 56,4 bilhões, em 2009. Não somente foram gastos no serviço de dívida mais R$ 40 bilhões, como aumentou em valores reais mais que 100% durante o governo de Aécio”, afirma. 


.

.

Humorista do "Porta dos Fundos" é ameaçado em restaurante por ter declarado voto em Dilma. E mais: Cadeirante eleitor do PT é agredido em SP!




ÓDIO AO PT FEZ MAIS UMA VÍTIMA: GREGÓRIO DUVIVIER


O ator e poeta Gregório Duvivier, integrante do grupo Porta dos Fundos, foi agredido verbalmente e quase fisicamente no Rio de Janeiro; o motivo: ter declarado seu apoio à reeleição da presidente Dilma Rousseff e criticado a pressão para votar em Aécio Neves; aos berros, num restaurante do Leblon, um radical de direita o classificava como integrante da "esquerda caviar", expressão disseminada no País pelo colunista neocon Rodrigo Constantino; discurso de ódio ao PT, que vem sendo alimentado há vários anos por meios de comunicação conservadores, alimenta a radicalização política e a violência; estimulados por brucutus como Constantino, trogloditas de alma fascista saem da toca



247, 16.10.2014 - O discurso de ódio ao PT, que vem sendo alimentado há vários anos por colunistas de extrema direita e meios de comunicação conservadores, já deságua em violência. Ontem, a vítima foi o poeta e ator Gregório Duvivier, que integra o grupo de humor Porta dos Fundos. O relato está na coluna desta quinta-feira do jornalista Ancelmo Gois:


Gregório Duvivier almoçava ontem no Celeiro, no Leblon, quando um sujeiro disse que não ficaria mais ali porque ia "acabar metendo a porrada" nele. O talentoso ator e escritor ficou calado. 

Mas o agressor continuou o xingamento, dizendo que ele era da "esquerda caviar" e que deveria estar almoçando no bandejão, "já que gosta tanto de pobre". Meu Deus!

Dois dias atrás, em artigo publicado na Folha de S. Paulo, Duvivier criticou a patrulha política para que votasse em Aécio Neves e declarou seu apoio à reeleição da presidente Dilma Rousseff. "Nos postes da cidade, os adesivos se multiplicam. ´Aqui se vota Aécio´. Você, que não vota como o poste: ame o Rio - ou deixe-o. Aqui não é sua área. Aqui se brinda pelo fim da maioridade penal. Aqui a gente cansou da corja do PT e quer gente nova - mas logo quem? O mensalão tucano, a compra da reeleição, o aeroporto, o helicóptero, tudo virou pó", disse ele. “A militância de jipe e os comentaristas de portal não me dão essa opção. Se quem defende causas humanitárias e direitos civis é tachado de petista, não me resta outra opção senão aceitar essa pecha”.

Instantes depois, o colunista neocon Rodrigo Constantino, que escreve em Veja.com e disseminou a expressão "esquerda caviar", publicou artigo afirmando que o apoio de Gregório Duvivier a Dilma representaria "mais um ponto" para Aécio. "Causas humanitárias? Tipo… aquelas adotadas na Venezuela ou em Cuba, países que o PT defende? Direitos civis? Tipo… aqueles presentes nos países islâmicos que o PT também defende? Pergunto-me: pode apenas a burrice explicar algo assim?", questionou o colunista de Veja.com, tão troglodita quanto alguns de seus colegas e o agressor de Duvivier.

Como diria Nelson Rodrigues, os idiotas perderam a modéstia e os agressores, de alma fascista, agora saem da toca.

E MAIS: 



Agressores exigiram que blogueiro tirasse a camisa vermelha com adesivos de Dilma; Ênio, que sofre de doença degenerativa, se recusou, levou um tapa e tentaram derrubá-lo da cadeira de rodas


O blogueiro Ênio Barroso Filho foi agredido na última terça-feira (14) e relatou o incidente em sua página no Facebook. A agressão teria sido motivada pela camisa vermelha que o blogueiro usava no momento do ataque e os adesivos em apoio à Dilma Rousseff.

Ênio estava a caminho do “Churrascão da Gente Desinformada”, um ato em resposta às críticas de Fernando Henrique Cardoso aos eleitores petistas, quando foi surpreendido por três homens que exigiram que o blogueiro tirasse a camisa. Ênio não obedeceu e, a partir de então, começaram as ameaças.

Eles desceram do carro, deram um tapa e tentaram derrubar Ênio da cadeira de rodas que utiliza devido ao agravamento de uma doença degenerativa. “Não é porque você é um aleijado comunista que não mereça uma surra para te endireitar”, disseram.

Inconformado com as humilhações que acabara de sofrer, Ênio recorreu a policiais militares para relatar o ocorrido, mas de nada adiantou. “Um dos PMs disse que como não anotei a placa do veículo nada poderia fazer e me ‘orientou’ a não andar por aí com ‘esse tipo de estrelinha e esse tipo de adesivo’ pois isso nessas épocas ‘é muito perigoso’”, contou.

Leia o depoimento completo:

Preciso contar a agressão que sofri

Quase todos aqui sabem que sou cadeirante devido ser acometido por uma doença degenerativa que me extingue aos poucos a forças musculares. Já praticamente nas as tenho mais.

Terça-feira saí de casa para participar do “Churrascão da Gente Desinformada” na Praça Roosevelt a noite e vesti minha camisa vermelha, paramenteia-a de adesivos pró Dilma acompanhados da minha velha estrelinha de metal do PT que ostento com orgulho e de cabeça erguida desde Fevereiro de 1980, data da fundação do PT.

Saltei na estação República do Metrô e como não havia nenhum elevador funcionando (muitas estações estão assim depois da eleição do 1º turno) funcionários me levaram pela escada rolante e saí pela Rua do Arouche. Estava escuro e ermo como quase todo o centro de São Paulo nas noites de hoje. Nisso um carro (acho que era Pajero) encostou na calçada e seus ocupantes começaram a me xingar pedindo que eu tirasse a camisa. Respondi que não e lhes disse

“- É Dilma !!!”


PRA QUÊ !!! Um deles disse:

“-Te conheço da internet [ grifo deste blog BFI ], “petralha do ca…alho” !!! Estamos de olho !!!” [ idem ]

e outro anunciou:

“-Não é porque você é um aleijado comunista que não mereça uma surra pra te endireitar”

VEJAM BEM O TERMO USADO —> “ENDIREITAR !!!”.

Mandei irem à merda e os três brutamontes carecas e bombados (menos o motorista) desceram e começaram a chacoalhar a minha cadeira tentando me derrubar. Gritavam muito e um deles me deu um tapa na cabeça. Pareciam drogados, enfurecidos !!! Não tive medo já que isso não é novidade para mim. Na ditadura militar enfrentava soldados armados por quem fui preso quatro vezes mas NUNCA por civis !!! Muitas pessoas viram mas nada fizeram a não ser uma moça do outro lado da rua que gritou

“Polícia !!!”.

Foi aí que eles me deixaram, entraram no carro e seguiram sem pressa.

Evidente que não pude anotar a placa devido as circunstâncias, Só notei dois adesivos no carro “chic”, “AÉCIO 45″ e aquele conhecido “FORA DILMA e leve o PT junto” mas os rostos dos “elementos” enfurecidos eu não esquecerei jamais !!!

Segui meu caminho na direção da Pça. Roosevelt e encontrando uma dupla de PMs contei o ocorrido.

O PIOR VEM AGORA !!! Um dos PMs disse que como não anotei a placa do veículo nada poderia fazer e me “orientou” a não andar por aí com “esse tipo de estrelinha e esse tipo de adesivo” pois isso nessas épocas “é muito perigoso”.

NUNCA ME SENTI TÃO REVOLTADO !!! Tenho certeza que se fosse o contrário e eu sendo um riquinho “bem trajado” e com as cores políticas “certas” a reação dos policiais seria outra.É esse o estado em que se encontra o Estado de São Paulo, uma beligerância !!! Uma guerra tal qual as guerras de torcidas que marcam as camisas de torcedores dos times adversários para lhes cobrirem de porrada se possível até a morte !!!


A nossa sociedade está envenenada e não dividida !!! O veneno sabemos de onde vem, VEM DA MÍDIA COMERCIAL E GOLPISTA !!! Ou acabamos com ela ou ela acaba com a política e com o Brasil !!!

Tem gente que pensa que democracia é só para eles, que liberdade de expressão é só para eles. Tem gente querendo também a “liberdade de espancamento” !!! Nazistas na Alemanha e agentes do Apartheid na África do Sul faziam assim. Deu no que deu.

Não há notícias de agressão partindo de petistas ( a não ser uma ou outra bolinha de papel ) mas do lado de lá a baba de ódio escorre pela boca como cachoeira !!!

Queria escrever mais mas meu dedo cansou… MAS EU NÃO !!!

É DILMA 13 CADA VEZ MAIS CONVICTO !!!

com informações de Fórum

NOTA DO BLOG BFI: As agressões se tornam cada dia mais frequentes e se multiplicam por SP e RJ. As vítimas relatam nas redes sociais. Quem apanha não são os Zé Dirceus ou Genoínos, mas simples eleitores do PT, uns que são militantes, outros são filiados, outros simpatizantes e há vitimas entre simples individuos que eventualmente votam no PT. Basta você colocar um adesivo no carro ou uma faixa em frente em casa, e você estará sujeito a agressões e vandalismo. E o Mensalão, que serve como respaldo argumentativo e daí como "prova" de que o PT é o partido mais corrupto do Universo não existiu, ok?

.

10 fatos sobre os sem-teto nos EUA




Por BILL QUIGLEY*

Renee Delisle era uma dos mais de 3.500 sem teto em Santa Cruz quando descobriu que estava grávida. O jornal Santa Cruz Sentinel informou que ela foi obrigada a sair de um abrigo pois não havia espaço para ela. Enquanto outros sem teto viviam em carros ou debaixo de lonas, Renee acabou indo morar em uma carcaça de um elevador abandonado até o momento em que sua bolsa estourou.

Jerome Murdough, de 56 anos, um ex-fuzileiro naval, foi preso em Nova Iorque pela infração de dormir debaixo de uma escada de um prédio público em uma noite fria. O The New York Times relata que uma semana depois Jerome faleceu de hipotermia em uma cela da prisão.

Paula Corb e suas duas filhas perderam sua casa e têm vivido em uma minivan por quatro anos. Eles lavam roupa para uma igreja nas proximidades, usam banheiros de postos de gasoline e estudam sob lâmpadas de rua, de acordo com a publicação America Tonight.

Primeiro fato. Mais de meio milhão de pessoas sem teto

Em qualquer noite, há mais de 600,000 sem teto nos Estados Unidos de acordo com o Departamento dos EUA para Moradia e Desenvolvimento Urbano (HUD, sigla em inglês). A maioria destas pessoas passa as noites em abrigos ou em qualquer tipo de moradia transitória. Pouco mais de um terço vive me carros, debaixo de pontes, ou em qualquer forma de desabrigo.

Segundo fato. Um quarto dos sem teto são menores

O HUD informa que, em qualquer noite, mais de 138,000 dos sem teto nos EUA são menores de 18. Milhares destes vivem desacompanhados de acordo com o senso do HUD. Um outro programa do governo federal, Nenhuma Criança Para Trás, define os sem teto infantis e juvenis de forma mais ampla e inclui não apenas os que vivem Another federal program, No Child Left Behind, defines homeless children more em abrigos ou moradias transitórias mas os que dividem moradias com outros devido a dificuldades econômicas, morando em carros, parques, ônibus ou estações de trem ou aguardam por espaço em abrigos públicos. Sob esta definição, o Centro Nacional para Educação aos Sem Teto, informou, em setembro de 2014, que os distritos escolares contabilizam mais de um milhão de alunos em escolas públicas como sem teto.

Terceiro fato. Dezenas de milhares de veteranos de guerra estão sem teto

Mais de 57.000 veteranos estão sem teto a cada noite. 60% em abrigos e o restante desabrigados. Em torno de 5.000 são mulheres.

Quarto fato. A violência doméstica é das causas principais para o desabrigo entre mulheres

Mais de 90% das mulheres sem teto são vítimas de severos abusos físicos ou sexuais e a tentativa de escapar destes abusos em uma das principais causas do desabrigo.

Quinto fato. Muitas pessoas estão desabrigadas por não poderem mais pagar aluguel

A falta de moradia a preços acessíveis é a principal causa da existência dos sem teto, de acordo com Centro Nacional de Apoio Legal aos Pobres e Sem Teto. O departamento de moradias teve seu orçamento cortado em mais de 50% nas décadas recentes resultando na perda de 10 mil unidades de moradias subsidiadas para pessoas de baixa renda a cada ano.

Sexto Fato. Há cada vez menos moradias para alugar para pessoas pobres

20% do suprimento de moradia para baixa renda foi perdido desde 2001. Os EUA necessitam de no mínimo 7 milhões de apartamentos mais acessíveis às famílias de baixa renda. Como resultado do déficit, milhões de famílias têm mais de 50% de sua renda gasto com aluguel.

Sétimo fato. Nos últimos anos, milhões perderam suas casas

Mais de cinco milhões de casas foram executadas desde 2008, uma em cada dez das casas hipotecadas. Isto tem causado mais pessoas a saírem em busca de imóveis mais acessíveis.

Oitavo fato. A ajuda governamental é parca

A assistência pública a aluguéis ajuda a cerca de um em cada quarto pessoas de renda muito baixa. Os que não recebem ajuda estão em listas de muitos anos na fila de espera. Por exemplo, Charlotte acaba de abrir a lista para assistência pública a aluguéis. É a primeira vez em 14 anos e mais de dez mil se registraram imediatamente.

Nono Fato. Um em cada cinco sem teto sofre de problemas mentais severos sem tratamento

Enquanto 6% da população em geral sofre de doenças mentais graves, este número sobe para de 20 a 25% dos sem teto de acordo com estudos governamentais. Metade desta população se auto-medica e estão mais sujeitas a adição e piora nas condições físicas. Um estudo da Universidade da Pensilvania acompanhando perto de 5.000 sem teto durante dois anos descobriu que apoio abrangente a saúde e tratamento de problemas mentais é menos custoso do que o encarceramento, abrigo e serviços hospitalares para os sem teto não atendidos nem tratados.

Décimo fato. Cidades que aprovam leis criminalizando os sem teto são em número cada vez maior.

Uma pesquisa deste ano em 187 cidades pelo Centro Nacional de apoio legal a Sem Teto e Pobres destaca que: 24% destas considera crime pedir esmolas; 33% considera ilegal ficar parado por muito tempo ou perambular em qualquer lugar da cidade; 18% torna crime dormir em qualquer local público; 43% considera ilegal dormir no próprio carro e 53% torna ilegal deitar em locais públicos. Estes números crescem constantemente.

*O articulista é professor de direito na Universidade Loyola em New Orleans


.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

vEJA: A tenebrosa máquina de difamação do Doktor Civita

vEJA: A tenebrosa máquina de difamação do Doktor Civita
- - - - - - Idéia: Humberto - - - - - - - - - - - - Arte: ONIPRESENTE - - -

"No tolerancia, venimos a aniquilar"
Edificante frase motivacional grafitada por soldados israelenses em paredes de imóveis tomados como bases, durante a última guerra de Israel contra o Hamas, em janeiro, em Gaza, quando o Estado israelense cometeu inúmeros crimes de guerra. Saiu no El País.

"Você acha que os Estados Unidos foram um Estado fascista até 1945, quando tínhamos a mesma regra?"
Noam Chomsky
, em entrevista à Isto É, sobre as possibilidades de Hugo Chavez se reeleger infinitas vezes, o que alguns chamam de "caminho asfaltado para uma ditadura".


“Graças a Deus que nós conseguimos comprar aquele delegado babaca, que não sai do nosso pé.”
Verônica Dantas, irmã do banqueiro Daniel Dantas, traíndo o Segundo Mandamento

"Quero me pronunciar em termos práticos como cidadão, distintamente daqueles que se chamam antigovernistas: o que desejo imediatamente é um governo melhor, e não o fim do governo. Se cada homem expressar o tipo de governo capaz de ganhar o seu respeito, estaremos mais próximos de conseguir formá-lo."
Henry David Thoreau, A Desobediência Civil

"The torture never stops."
Frank Zappa, músico

"Além da nobre arte de fazer coisas, existe a nobre arte de deixar coisas sem fazer. A sabedoria da vida consiste na eliminação do que não é essencial."
Lin Yutang, filósofo chinês (1895-1976 )


" Nunca deve valer como argumento a autoridade de qualquer homem, por excelente e ilustre que seja...
É sumamente injusto submeter o próprio sentimento a uma reverência submetida a outros; é digno de mercenários ou escravos e contrário à dignidade humana sujeitar-se e submeter-se; é uma estupidez crer por costume inveterado; é coisa irracional conformar-se com uma opinião devido ao número dos que a têm...

É necessário procurar sempre, com compensação, uma razão verdadeira e necessária... e ouvir a voz da natureza"
Giordano Bruno


" (...) E depois, quando um astrônomo lhe disser que o que você viu não existe, lembre-lhe que cem anos atrás (1874) isso era o que os astrônomos diziam sobre meteoritos. (...)"
Ralph Blum e Judy Blum, em "Toda a verdade sobre os discos voadores" , Edibolso , 1974

Na rádio Agulha pop/rock você escuta:

The Doors, The Smiths, Link Wray, Nick Cave & The Bad Seeds, Nirvana, Blondie, Ramones, The Rolling Stones, The Beatles, David Bowie, Lobão, The Who, Roberto Carlos, Sex Pistols, The Pretenders, The Seeds, The Saints, The Cramps, Ozzy Osburne, Iggy Pop, DEVO, Johnny Cash, Guilherme Arantes, Patti Smith, MC5, The Chocolate Watchband, Iron Maiden, Dead Kennedys, The Sonics, Wilson Pickett, The Jimi Hendrix Experience, B-52's, Janis Joplin, Joy Division, Echo and The Bunnymen, Lou Reed, Velvet Underground, Bauhaus, Joan Jett, Titãs, Raul Seixas, Led Zeppelin, The Clash, The Cream, Elvis Presley, Syd Barrett, AC/DC, New Order, Hawkwind, Creedence Clearwater Revival, Talking Heads, Barão Vermelho, Green Day, The Who e por aí vai... [ CLIQUE AQUI ]